s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Adriano Ferris
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
adrianoferris@gmail.com
Biografia

Adriano Ferris

Adriano Ferris: Poeta, Escritor, Editor, Antologista, Ativista Cultural, Embaixador da Paz, Comendador Grão-Colar, Autor de 8 livros, participante de dezenas de antologias literárias, membro de diversas academias de letras, entre elas Aclasp - Sp e Alac-BR-SP. Diversas honrarias e prêmios recebidos.  

 

AUTÓPSIA DO CORAÇÃO

 

Tentei entender o meu coração

Me esforcei para compreender

As dúvidas e martírios no meu ser

Quisera poder extrair o medo

A insegurança e a covardia existente

Tentei entender o meu coração

Mas é difícil de explicar o temor

Na esperança que habita na alma

Procuro onde firmar meus pés

Quem sabe unir meu coração a outro

E enfim extirpar a dor e a dúvida

Será necessária a autópsia do coração...

 

MAR BRAVIO

 

Poesia e o mar são irmãos

Em momentos atrozes saem às poesias

Poesia que transmitem sentimentos

Mar em revolta em noite de tempestade

Coração dolorido poetizando a saudade

Escrever poesia é às vezes simples

Quando o coração está em doce calma

Mas quando atormentado, saem doces melodias

Em forma de poesia, quem sabe acalma o coração

São mistérios da alma, misturado à dor

Quem sabe uma paz será certa

Mergulhar no mar sem medo de voltar

Em cada letra das poesias um significado

Não quero ser compreendido, não é fácil

Quando se tem o coração magoado

Navegarei entre as letras, molharei minha alma

Sentimentos, angústias, tormenta, saudade

Saberei decifrar cada sonho que me perturba

Poesia e o mar são irmãos

Assim como o amor e a paixão são distantes

Mesmo que os sintomas sejam idênticos

Mas que traz uma calma ou revolta

Seguirei minha sina sem olhar atrás

Não quero ser compreendido, seguirei em frente

Quem sabe o meu barco alcance o porto seguro

O mar está revolto, mas alcançarei meu destino

Içarei as velas, o vento está calmo, ainda é dia...

 

TRISTE DE FATO

 

Cada dia que passa na minha vida

São relatos de um coração despedaçado

Quisera poder apagar essa sina

Mas de verdade vivo triste de fato

 

Não sou perfeito e nem busco ser

Sou apenas um ser humano que sente

Creio que o meu coração me faz viver

No fundo da alma às vezes fico descrente

 

O que escrever em noites de luar

Pois fico a olhar para o céu estelar

Na varanda sem alguém para amar

Então o que resta é ir me deitar

 

Aqui encerro o meu curto relato

Quem sabe alguém possa me entender

Já é madrugada e confesso estar cansado

Mas ser poeta é o que me faz sobreviver...

 

 

Adriano Ferris 

 

 

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s