s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Laura Limeira [Cnsul - Recife - ZS - PE]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
NO CAMINHO DOS EUCALPTOS
@ Texto de Laura Limeira

Aquele um lugar tranqilo, silencioso, sossegado...
'No caminho dos eucaliptos', o pr-do-sol cobre
A plancie de dourado, e o brilho tanto que
Chega a ofuscar os meus olhos!

O eucaliptal balana seus galhos num bailado to
Frentico, que nos d a impresso de estar
Havendo festa em toda a natureza...

Aqui e acol, ao lado do meu, passam outros
Veculos, mas quase nem os percebo...
Aquela paisagem chama-me tanto a ateno
Que no consigo esquec-la nem quando a perco de vista!

Por l, o encantamento natural...

O cheiro agradvel de alguns vegetais;
A terra molhada aromatizando mais aind o mato verde;
O gorjear dos pssaros;
O ranger dos carros-de-bois;
O contnuo sobrevo das aves carniceiras;
Gados espalhados pelo pasto;
Os cortadores de cana com seus feixes na cabea;
Agricultores retornando da lavoura;
Os vendedores de frutas ao longo da estrada...

Tudo, tudo naquele caminho mgico!

Durante o percurso, admiro a vasta plantao
De cana-de-acar...
No ar, o cheiro da fabricao do mel as denuncia
Em todo o trajeto, avistamos treminhes
Transportando a cana queimada
E soltando palhas ao vento...

Mais adiante, entre uma paisagem e outra
Alguns vilarejos
Pees ajuntados, espera da conduo
Que os leve de volta casa, aps mais um dia
De labuta pelos campos...

Assim aquele caminho...
Exatamente como eu gostaria
Que fosse o meu pela vida...

Cheio de paz!

Recife, 04.10.2002 - 16:32H

AS PAPOULAS
@ Texto de Laura Limeira

De repente um claro...
Abrese a cortina do passado e comea o replay
Voc al, parado!

Lentamente a madrugada adormece
E o dia vem nascendo...lindo!
Atravs da vidraa desse quarto de hotel
Observo 'as papoulas'...

So muitas, e esto juntas
Seus galhos tremulam ao vento
Como se tivessem asas...
Seu colorido esplendoroso!

Diante de mim, o mar...
Barulhento na quebrada das ondas
S permitindo ecoar o canto da gaivota,
Que o sobrevoa...

Ento, szinha, fecho os meus olhos
Abro os braos da alma
E te acolho no crepsculo
Da vida que eu perdi...

Recife, 05.10.2002 - 04:37H

CONCHINHAS DO MAR
@ Texto de Laura Limeira

Nesse dia de sol sento-me beira-mar
E tudo em mim incomoda, desde as lembranas
At as saudades que sinto...
O pior, so os pensamentos:
Neles, tudo se fixa!

Na areia, tento escrever uma poesia
Mas s o teu nome desenho
Decido ento, cantarolar uma melodia
E logo escuto, ao lnge, aquela nossa cano
Olho para o calado e lembro de ns dois
A passear abraados...
No d!

Estou prisioneira pelos retalhos da minha vida
Pedaos remendados pelo teu amor
Que contam nossa histria, cerzida pela minha dor

Fico a olhar o horizonte ao longe, e observo...

O pescador retornando praia
Com o seu barco cheio de peixes
Pessoas caminhando de um lado para outro
Sem pressa de chegar l, nem c
A maria-farinha que se esconde sob a areia molhada
E casais, trocando carinhos, bem aqui, ao meu lado!

Ai meu Deus, a estrela-do-mar est morta!
Olha, encontrei as conchinhas que voc me pediu, lembra?
L se foram as minhas sandlias com a onda...
O dia est to lindo...

Que pena!

Recife, 07.10.2002 - 03:43H

biografia:

PERFIL


Laura Limeira uma figura expressiva no meio literrio atual como pesquisadora, humanista, escritora e poeta, nasceu no dia vinte e oito de dezembro e Recife/Pernambuco/Brasil, e escreve desde os qatorze anos de idade, mas somente a partir de pouco tempo veio a deciso de compartilhar seus manuscritos. Contemplativa, eloqente, contemporizadora, e por vezes at incauta, mantm por convico o seguimento s temticas com tendncias ao romntico-ertico-sensual em seus escritos, praticando-o em suas criaes com a liberdade que o modernismo proporciona inovao dessa forma literria. De formao universitria, destaca-se, entre outras, na rea das comunicaes pblicas e sociais, expressando-se com clareza ao transmitir uma linguagem potica deveras impressionante, quando esquece a diferena entre a tnue linha que divide o real do imaginrio, e mantm a mesma simplicidade da poeta que no segue regras passando a escrever apenas, com a alma e o corao. Em seus textos, a autora consegue aliar criatividade, romantismo, sensualidade, erotismo, e legitimidade no seu estilo mpar, claro e inconfundvel, personalizado de extremo refinamento e sensibilidade fzendo desta feita, a grande diferena. uma artista que veio reposicionar o lirismo contemporneo do idioma portugus, escrevendo com o mais belo dos sentimentos, e mostrando que nunca o amor e a saudade foram to bem ditos. Atualmente membro efetivo da Academia Virtual Brasileira de Letras, e alm de divulgar sua arte em seu site oficial com endereo em http://www.lauralimeira.com.br, tambm tem trabalhos publicados por toda a rede onde j publicou um livro eletrnico editado pela on-line book intitulado 'Portal do Sol', possuindo 495 KB, e disponibilizado para download em http://www.livrariadesonhos.com.br/acervo/poesias/pop-portaldosol-exe.htm. Seu primeiro livro no papel foi a Antologia 'Poesia S Poesia', lanada recentemente pela Editora Novas Letras e Secretaria de Cultura da Cidade de So Paulo, onde aconteceu a noite de autgrafos com uma presena considervel de fs e leitores, que l estiveram para homenage-la. Pessoa humana de natureza mpar, suave, delicada, calma, inteligente e extremament bem-humorada, esse o perfil legtimo dessa nossa amiga pessoal, confidente e poeta predileta, uma mulher incomum que reside na 'Terra do Frevo' da Regio Nordeste do Brasil.

Fabrizio Bianco Prieux - Venezia - Itlia
Maxwell Rhirsan - New York - USA
24.04.2004 - 16:37H

LauraLimeira@aol.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s