s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Roberto Pires de Oliveira
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
MENDIGO

Maltrapilho pelas ruas vai vagando
Cabelos em desalinhos por a,
Com seu saco de bobagens carregando
Desgraado, nunca chora, nunca ri...

Sem amor, sem carinho, sem destino...
Sem presente, sem passado e sem futuro,
Vil pessoa que das coisas no tem tino
Procurando pela vida no monturo.

Segue teu caminho, o teu presente,
Revirando este mundo que no sente.
Pois, esperando pela morte merencria,

Deitado na sarjeta humilhante,
Agonizas pela rua torturante,
Sem notar que escrevo tua histria

O POETA E O COMPUTADOR
A R.B.Sotero...

Olhos no cran colorido
Pensamentos sempre em alvoroo
Dedos no teclado, mal batido
Na alma a poesia. Um colosso!

Na mquina, impulsos em abundncia
Chips da emoo, agora eltrica...
Zeros e Um`s pulsam em ressonncia
Reproduzindo emoo, sempre potica.

Veloz digitador, transfere tudo!
Incauto, se esquece o 'Control-B'
Inpedido de salvar o contedo,
Perde a 'emoo' sem perceber.

-Tragam mo de pilo! Tragam martelo!
Que assim, castigo a ingratido
Desta mquina, no mais eu zelo
O que sobrar, vai pro poro!

Corao acelerado em polvorosa
Pedaos p`ra todo lado, u`a tragdia!
O Poeta olha o vdeo, todo prosa
Sem saber se um drama ou u`a comdia...

LIBERDADE

[ minha filha querida: Suzana Pires, com todo amor!]

O cadver de caro, em sua ssea brancura
E Izabel, a Princesa, todos clamavam!
Prometeu de olhos no horizonte, a bravura!
Com a liberdade, em comum, todos sonhavam

Barrabs cabisbaixo passa na ruela
Maria chorando implora clemncia
Na cruz, ele ora pensando s nela,
E foragida, espera com pacincia

A me preocupada examina a barriga
O Negreiro navega sobre os olhos de Castro
O tufo nunca chega e isto o intriga
A Liberdade escapole, ela sai pelo mastro

No Sudo, a triste lembrana da foto
O abutre aguardando o menino que parte
Novamente ela foge este o seu voto
O fotografo falece por causa da arte

O menino sentado prisioneiro da tela
Seus olhos fixados no cran colorido,
No canto de cima o cone da terra
Gira veloz , objetivo atingido!

Clicando com gosto o menino navega
Brasil, Portugal, o mundo, a fantasia
O espao acabou e no tempo trafega:
Internet nas mos e tudo ele via

Navegando o virtual o menino prossegue
Do sexo proibido liberdade sonhada
O mundo virtual, sem o corpo, consegue
A Liberdade e consigo! ela foi apanhada!

biografia:

Roberto Pires de Oliveira
nasceu na Serra de Petrpolis, Rio de Janeiro, trabalhando muitos anos na sua rea profissional de Engenharia Eltrica. Nasceu de fato em 11 de junho de 1947, mas s foi registrado depois. Para escapar da...

multa, seu pai providenciou o registro em 01 de setembro de 1947. RPires, como gosta de ser chamado no ambiente literrio, diz que no se importa com isto. Na verdade at bom ter duas datas de nascimento, uma de fato e outra de direito, pois, com um pouco de sorte, acaba ganhando dois presentes! Por volta de 1980, Roberto veio a Fortaleza pela primeira vez atravs da empresa Montreal Engenharia para solucionar alguns problemas num equipamento de comunicao, importado, na Plataforma de Petrleo Montreal III, que na poca explorou petrleo no litoral cearense. Apaixonou-se por Fortaleza e depois de tentativas infrutferas de transferncia para o Cear, Roberto deixou a empresa e mudou-se para Fortaleza. Um dia, em passeio por Camocim trazido pelo empresrio Barcelos, da rea de explorao de castanha de caju, gostou e aqui passou um ano. Roberto passou alguns anos nos EUA, a fim de aprender sobre computadores, pois tivera contato com uma dessas mquinas com mdicos amigos seus - Paulo Iran e Sebastio Fernando Vieira, o Bab, no Hospital Walter Teles em Fortaleza; afinal, os computadores haviam mexido com sua alma. Em 1992, ainda na Amrica e a convite do amigo Ernesto Saboia, veio a Camocim para participar da campanha poltica de Manoel Siqueira. Porm aqui ficou e no mais voltou a morar na Amrica do Norte. RPires fundou junto com o prefeito Antnio Manuel Veras o Curso de Computao da Casa de Cultura, que viria mais tarde contribuir, fortemente, para a informatizao da cidade. Conversando em 1998 com Carlos Cardeal na Casa de Cultura, exibiu-lhe um exemplar de informativo que fizera para a Escola de Promoo Humana, em parceria com o ex-padre Benedito; props ento a Cardeal criar um jornal de cunho literrio. Carlos Cardeal disse-lhe: - Um momento que irei chamar outro amigo interessado para lhe apresentar. De telefone em punho, chamou um colega e minutos depois lhe apresentou Raimundo Bento Sotero. Desta parceria, Rpires, que possui muita habilidade nas artes grficas de computadores, logo tinha em mos o rascunho do que viria a ser O Literrio, mdia papel, que daria origem ao Literrio On-Line [http://www.literrio.com.br]. O site hoje conta com mais de 50.000 visitas de escritores, poetas e leitores do mundo todo de lngua portuguesa. Como conseqncia deste movimento nas letras camocinenses, criou-se o Grmio Literrio Ivan Pereira de Carvalho, do qual Rpires um dos fundadores. Trs anos mais tarde props ao grupo a transformao do Grmio na Academia de Letras da Cidade. O grupo no aceitou e Rpires, em 31 de maio de 2001, com a cooperao de intelectuais da terra e trs escritores convidados de Portugal para esta tarefa, fundava a Academia Camocinense de Letras que, ao mesmo tempo, integrou em seu quadro, trazidos por Rpires, o escritor e humorista Chico Anysio, Arimata Filho, Raimundo Silva Cavalcante e a grande Rachel de Queiroz. Rpires scio emrito da Academia Municipalista de Letras do Cear- ALMECE , scio efetivo da Academia Fortalezense de Letras, Cadeira 3 da Academia Camocinense de Letras e atual presidente e Acadmico Honorrio da Academia de Letras e Arte do Cear - ALACE. Seu livro Crnicas de Uma Vida foi primeiro lugar no Concurso Literrio Ideal Clube 2002.

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s