s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Ana Rosenrot
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
anarosenrot@yahoo.com.br
Biografia

Ana Rosenrot

Ana Rosenrot, de Jacareí-SP, é Pesquisadora, Escritora, Ativista Cultural e Cineasta Independente, assinou a “Coluna CULTíssimo” na Revista Suíça Varal do Brasil por 4 anos, participou de várias Antologias, recebeu diversos troféus e menções honrosas em concursos literários, destaque para o “Troféu Jorge T. Rizzini ” pelo 1º lugar no 4º Concurso de Contos e Poesias com Temática Espírita em 2012 e novamente na 5ª edição em 2013 e  na 6ª em 2014; em 2016, teve seus trabalhos expostos em Salvador – BA no “Projeto Pé de Poesia”, no “Consulado Geral de Genebra” e no “Principado de Liechtenstein” pelo “Cercle Universel Ambassadeurs de La Paix”

No cinema participou como produtora e diretora em diversos curtas e longas-metragens, atuando em alguns, premiada em 3 categorias no “Prêmio Corvo de Gesso”, em 2013 e 2 em 2014 e 2015. Foi finalista do “Festival de Vitória” em 2014, conseguiu a seleção oficial no “Cinefest Gato Preto – Lorena SP” em 2015 e na “Mostra do Filme Livre 2016”, onde teve seu curta“Mistérios Obscuros” escolhido como vinheta para a sessão “Trash ou Cinema de Gênero”; é curadora da “Mostra Monstro - Mostra de Cinema Fantástico de Jacareí-SP”.Criadora da “Revista LiteraLivre”, publicação digital e gratuita em pdf criada para unir escritores e leitores da Língua Portuguesa de todos os lugares do mundo.

 

Mulher

 

Não nasci,

me fiz,

me inventei,

me recriei…

 

Pois sou mais que um gene,

um gênero,

um cromossomo,

sou mulher!

 

Minha força,

não se mede em libras,

minha coragem vem do coração...

Não quero conquistar o mundo, sobrepujar,

quero igualdade,

num jogo de regras justas, empatar…

 

Quero ser amada, amar,

ser feminina, sonhar…

Enfrentar com ternura o que vier,

sem destruir, nem ameaçar…

Sem deixar de ser…

Mulher.

 

Poema exposto no “Consulado Brasileiro em Genebra – Suíça” e no “Principado de Liechtenstein” pelo “Cercle Universel Ambassadeurs de La Paix” (2016)

 

Confissão Calada

 

Me deixou sem forças para lutar,

perdida, só, exposta ao ar...

num campo violado de sonhos,

sem saber o que esperar…

 

As chances se esvaem,

como o sangue que de mim escorre,

e nas lágrimas quentes que caem,

meu corpo seca, a alma morre…

 

Minha memória jamais irá se curar…

sempre estarei com você naquele campo;

solidão, medo, dor a me atormentar…

 

A inocência despedaçada,

violência sem sentido, esperanças roubadas,

mente confusa, asas aleijadas…

 

A face do ódio desmascarada,

me obriga a ficar eternamente calada,

presa na lembrança, a guerra perdida,

mergulhada na vergonha;

E eternamente

CULPADA!!!

 

Silêncio

 

Silêncio...

que retumba em cada poro,

em cada gesto, em cada olhar,

que fere e pode matar,

que diz muito sem nada falar...

 

Silêncio...

eterno, que faz a alma penar,

que mente sem pensar,

insano, sempre a gritar...

 

Silêncio...

que cala, a esperar,

perseguindo, sem parar,

capturando, para aprisionar...

 

Silêncio...

que acompanha quem deixou de amar...

e ouve o coração chorar,

que lamenta, sem perdoar...

 

 

 

 

Site:

http://cultissimo.wixsite.com/anarosenrot

 

Página Facebook:

https://www.facebook.com/AnaRosenrott/

 

Blog: 

http://anarosenrot.blogspot.com.br/

 

Email:

anarosenrot@yahoo.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s