s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Solange Rech [1946 - 2008]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Ode ao amor

Embevecido ao te admirar, perdi-me
No emaranhado desse amor ciumento.
Estranho que me perco e no lamento,
Sou ru impenitente, adoro o crime.

O amor no me condena, me redime,
minha essncia, no meu complemento.
Se ele priso, adoro ser detento,
Em suas grades colho a paz sublime.

Tem o amor meu cuidado e meu denodo,
Com igual devoo do velho monge
Que nos braos de Deus busca sossego.

Vontade de gritar ao mundo todo:
'Desculpe a pressa, amigo, moro longe,
E a minha amada sofre se eu no chego'.

Pe-te linda

Enleva-te, minha alma, pe-te linda,
Faz-te merecedora desta festa.
s amada e, no mnimo, te resta
A esperana de ser feliz ainda.

Embriaga-te de amor, minha alma, e brinda
vida que te fere e te molesta.
Amor bem-vindo apara toda aresta,
Por isso canta o dom da sua vinda.

Mas, se ficares s, sem a alma-par,
E a negra solido, como uma peste,
Trouxer-te o manto da tristeza espessa,

Vivas tu, alma-viva, de lembrar
O amor antigo e terno que tiveste
E que em ns nenhum novo amor floresa.

Eu fiquei velho de repente

Eu fiquei velho de repente, um dia,
No sei como ocorreu nem quando ou onde.
Desde ento, uma velha bruxa esconde
O meu brinquedo, o sonho, a fantasia.

Cobro-lhe o dolo e a bruxa silencia,
Quando insisto em ser jovem, no responde.
Ela sabe que a infncia traz na fronde
Compromisso vivaz com a alegria.

Conto um segredo [boca de siri,
Que minha alegao desgraa puxa,
E eu quero ter remdio para a dor]:

Por fora, bem verdade, envelheci,
Mas dentro - que no saiba a feia bruxa! -
Sou o mesmo moleque sonhador.

BIOGRAFIA LITERRIA:

SOLANGE RECH
reside em Florianpolis [SC]. poeta, membro de vrias organizaes culturais. Acumulou diversos prmios em concursos nacionais e internacionais de poesia. Recentemente, obteve o segundo lugar no Concurso Nacional de Sonetos, promovido pela Fundao Roberto Marinho e Canal Futura, com 'Imenso Amor o Meu', o que lhe rendeu uma crtica literria no Jornal do Brasil [RJ], edio de 27.01.2004. Seu nome verbete na Enciclopdia de Literatura Brasileira [Afrnio Coutinho, co-edio da ABL, 2 edio, 2001]. Cidado Honorrio de So Loureno do Oeste [SC] e recebeu o ttulo de 'Personalidade do Ano do Distrito Federal - Ano 1983', outorgado pela Associao de Imprensa de Braslia. Tem publicaes em vrios pases. Participa de dezenas de antologias literrias. Publicou, entre outros, os seguintes livros: TROVES DOLENTES, PARA MATAR A NOITE, DE AMOR TAMBM SE VIVE..., OS ESPARTANOS DE DEUS, SERES NA REDE, SACERDCIO POTICO e MEUS SONETOS PREMIADOS.

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s