s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Ricardo dos Reis Oliveira
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
ricardodosreis@uai.com.br
Biografia

Ricardo dos Reis Oliveira

Parceria com Carlos Ernest Dias, na música "Mais que universo", gravada no CD intitulado “Carlos Ed”.  Obs.:  Esta música  passou a integrar o repertório da Rádio Inconfidência (FM 100,9), após sagrar-se vencedora no  programa “Melhor de Três", apresentado por Tutti Maravilha; Parceria com o senegalês Mamour Ba, na música “Yankady”, gravada no CD do grupo “Conexão Tribal African Beat”, brevemente a ser lançado no Brasil; Parceria com Philippe Lobo, na música “Bossa-me”, gravada em CD brevemente a ser lançado;

Compositor e intérprete do CD autoral intitulado “Canção na cesta”, aprovado pela LMIC (endereços para verificação: www.ufmg.gov.br (digitar “Canção na cesta:...”) facebook: procurar por “Ricardo Dos Reis”; Intervenções, como poeta, em saraus e shows musicais em Belo Horizonte/MG, nos espaços Belas Artes Liberdade, Status Café e Pedacinhos do Céu; como músico e palestrante, nos centros culturais São Bernardo, Lagoa do Nado, Zilah Spósito e Venda Nova, todos pertencentes à Prefeitura Municipal de BH. 

 

Palavra


Que vou agora dissecar

Extrair-lhe o sumo, o cheiro

A parte, o quarto, o meio

De pisá-la (deixa comigo!), vou quebrar-lhe o queixo duro

Num nocaute surdo, sem devaneio

 

Vou deitá-la, à força, no prato

E, com o garfo, espremer-lhe o caldo

Prazerosamente vendo-o escoar pelo ralo

 

Vou pisar-lhe o estômago, as vísceras, o pescoço

Vou levá-la ao fundo do poço

 

Um minuto de silêncio, senhores

Pois vai falar  agora a palavra

Agonizante, aflita, com as mãos sobre o esôfago, quase já sem vida

 

É qu’eu sofro, mas não morro

Diz a palavra, então, entre dores e gemidos

 

Em face disso, levanto-a então

Acaricio-lhe os cabelos, a boca

Tomo-lhe as mãos e saio moço, vivo, por esse mundo louco

Cúmplices, temos um ao outro

Palavra, minha companheira, agora, no dia, na lida

Nessa jornada longa, nesta breve vida.

 

Cão de rua

 

 

Vi agora um cachorro atravessar a rua

Cão somente, mas parecia gente

Resoluto, renitente

Olhou para os dois lados da rua movimentada

Para a esquerda, para a direita

Eu, hein, morrer atropelado, nem pensava

Era dia, não era tarde

Cão vadio,  solto, não era lobo

(mas se fosse noite, ele até uivava)

Cão danado. Que late. Cão amável

Não era bobo, feito muitos cães de rua

Simplesmente um cão.

Sim, senhor, mas um verdadeiro cão de rua

Cão cabeça, que não é besta. Cabeça boa. Cabeça erguida

Cão sem raça. Cão de luta. Cão de lua

Cão que laça, que vai à caça todos os dias

Que vê um tigre, que vê um gato, que vê um rato,

Que não morde. Cão lorde. Cão que pode

Me ver, parado, observando-o atravessar a rua

Cão lampejo. Cão fumaça. Cão da hora

Que não responde, mas já entende

Cão da massa, que não é gente, é boa praça

Cão resoluto. Cão renitente

Cão sem dono, eloquente, que me olha e segue em frente

                               

Ricardo dos Reis

       

 

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s