s
s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Bruna Nicole Tafner
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
brunanicole.tafner@gmail.com
Biografia

Bruna Nicole Tafner, da cidade de Timbó – SC.

Natural de Timbó, SC, nascida em 16 de junho de 1988. A artista descobriu o desenho aos 10 anos, e a pintura à óleo aos 12, e também tornou-se uma apreciadora escritora, quando passou a dedicar-se pela literatura. Realizou disciplinas práticas do curso de Artes Visuais da FURB, em busca de um olhar mais acadêmico. Aos 22 anos se formou em de Fisioterapia pela FURB. Durante a graduação realizou trabalho de monitora no Laboratório de Anatomia da FURB, onde a artista buscou representar a figura humana, principalmente de mulheres, as tantas etnias e culturas.

Sua linha de trabalho hoje abrange vários temas, mas todos com o objetivo de expressar a vida. Destaca-se pela realização de retratos humanos.

Participa desde o inicio de 2008 na Associação de Artistas Plásticos de Timbó.

Algumas poesias saíram quando Bruna tinha seus 10 anos, vencendo um concurso de poesias do Lindolf Bell nesse mesmo ano. Os versos foram amadurecendo e melhorando conforme os anos passavam. Atualmente escreve tanto poemas e sonetos, como textos reflexivos baseados nas vivencias e experiências que possui tanto como artista plástica, como nos seu cotidiano de consultório fisioterapeutico.

Participa desde o inicio de 2008 na Associação de Artistas Plásticos de Timbó.

E-mail: brunanicole.tafner@gmail.com

 

 

ENCANTO

 

Fecho meus olhos

Um sorriso abre em mim

Logo vem teu rosto em minha mente

Mais precisamente

Teu sorriso, teus olhos.

Vejo sua combinação

Transito seus passos

Reescrevo seus atos

Inspiro-me e te presenteio

Criando-te, uma nova canção.

Ao cantá-la, me emociono.

Sinto um pesar, em meu respirar.

Incontrolável e incômodo

Um arrepio frio, a garganta seca.

Sinto minhas unhas se tornarem roídas

E lágrimas rolarem por toda minha face

Inevitável jamais isso vivi.

É como um rosto que parece conhecível

Mas não sabes de onde

Um cheiro que te relembra

Mas não descobres do que

Uma agonia devastadora

 


SAUDADE...


Isto é porque não estás aqui

Apenas eu, na minha cama.

No meu quarto, meu violão.

Meu caderno, uma caneta.

Porém, sentimentos.

Os mais puros sentimentos

Descrevam o poema

E logo, uma canção.

Que já tem dono

Já te pertence

Pena só, que nesse encanto.

Tão magnífico

E também tão manso

Pena só, Você não está

Você não estará,

Nesse meu canto

Apenas,

No que eu canto

 

 

Não há Inspiração e sim Transpiração

 

Hoje falo dos sonhos

Sonhos?

Isso, aqueles que abandonastes

Pela falta de tempo

Ou por medo

Por não acreditares

Naqueles seus desejos

Que se encontram ao longe

Mas estão impregnados em você

Falo da decepção

Que o esquecimento deles provoca

Estais na realidade dura que criaste

Sempre irá impedir-te

De sonhar, os teus sonhos diurnos,

Mas é somente você que pode satisfazê-los

O desejo de sorrir

Teu apelo à realização

Não precisas apenas de “inspiração”

Não é uma sensibilização

Que poderá saber fazer sonhar

É também tua “transpiração”

O teu esforço contínuo,

Que te realizará

Ao resgatar tua essência

O que sonhas realizar,

Hoje falo do medo que sinto disto

Ao saber que pessoas sonham, e gostam,

Mas desistem, por que não querem,

Nos sonhos acreditar.                    

 

 

Ore

 

Se os momentos fossem diferentes

Minha escolha seria outra

E, talvez estivesse,

Um pouco mais contente.

 

Se as chances tornarem tão únicas

E você as deixasse perder

Peça aos céus outra, oportunidade,

Ele irá, irá entender-te.

 

Sei que o tempo jamais voltará

E meus erros não mudarão

Acredito na força que há

E ganharei o perdão.

 

Suba ao céu e peça conselhos

Conselhos de mel

Ele irá te dar

Sei que vais ganhar

 

 

 

 

 

 

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s