s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Roberto Silva
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
robertoalvessilva1970@hotmail.com
Biografia

Roberto Silva

Nome: Roberto Alves da Silva
Natural de: Araraquara - SP - Brasil
Idade: 43 anos
Profissão: Assistente de Recursos Humanos - atua há quase 25 anos em Recursos Humanos.
Escolaridade: Graduado em História (1992) e Pedagogia (1995) pela antiga FEFIARA - Federação das Faculdades Isoladas de Araraquara - atual UNIARA - Centro Universitário de Araraquara . Pos-Graduação lato sensu em Psicopedagogia Institucional pela UNIARA (2006).
Blog: Sonetos Eternamente (www.betomoradadosol.blogspot.com.br) .
Começou a escrever poemas à partir de 2009, blog tem mais de 100 poemas postados, não possui um estilo definido, escreveu sobre diversos temas: amor, tristeza, melancolia, sensualidade, natureza. 
Como vê a poesia? : essência da alma. As palavras são os suspiros da alma.

 

DOMINGO, 5 DE JUNHO DE 2011

Pegadas na areia - Footprints in the sand

As estrelas cintilam no céu infinito salpicando em diversas cores como se dissessem-me algo...

o plenilúnio imenso desfila com tua magia e mistério deixando um véu sublime e gracioso na imensidão do mar...

a brisa suave da madrugada sopra em direção a praia....

tênues clarões avermelhados, fogosos, etéreos anunciam o amanhecer por vir...

 

contemplo as brumas etéreas e fogosas no distante horizonte em sintonia com o plenilúnio que insiste ficar, a espreitar...

absorto com as profundezas de minha alma, caminho lentamente pelas areias, a buscar compreensão, explicação, reflexão, meditação...

o astro rei começa a brilhar, gaivotas, albatrozes, mergulhões, voam pelo céu, impondo tuas melodias em sintonia com a dança das ondas no mar infinito...

é um lindo dia, céu azul, sublime, diante do espetáculo, minha alma sente tua falta, quer me levar para o horizonte distante...

 

caminho pelas areias sem parar, admirando o mar imenso e infinito, sinto a tua brisa morna, distante...

como se ti estivesse-me enviando beijos e abraços além do horizonte e imensidão do mar...

a saudade deixa-me, a brisa é meu bálsamo, minha alma renasce e começo a sorrir, acreditar, sonhar...

 

caminhando por estas areias deixo minhas pegadas como se fossem palavras....

de que tudo o que sinto por você neste momento... o meu amor, além do horizonte e o céu infinito...

contemplo as pegadas, sei que no horizonte distante, em outras areias tu caminhas e deixas tuas pegadas, que serão transformadas em brisa que chegarão até a mim e então estaremos juntos, além do infinito e para a eternidade..

 

 

DOMINGO, 10 DE ABRIL DE 2011

Dance comigo - Dance with me

É noite, uma brisa suave envolve-nos com tua  magia atingindo as profundezas de nossas almas...

as estrelas cintilam harmonicamente impondo tons coloridos como holofotes no céu infinito...

o plenilúnio dourado lembra-me um favo de mel adocicado, irresistível...

eu e você, somente nós, a contemplarmos a harmonia e o cenário sublime, etéreo...

 

você com teus cabelos negros, provocadores na brisa morna e serena desta noite...

teus olhos castanhos, profundos, envolventes, penetrantes, misteriosos, me encaram...

tua boca carnuda, quente, doce, irresístivel, deixa-me como uma abelha enlouquecida...

teu corpo moreno, esbelto, suave, delicado, perfumado, me faz suspirar de paixão...

 

olho nos teus olhos, você sorri para mim...

aproximo-me, te abraço, sinto o calor de teu abraço e teu corpo, sinto a tua respiração...

teus lábios transmitem-me a tua sensualidade,  enlouquece-me cada vez mais...

 

juntos nos abracemos cada vez mais, quero dançar, quero esquecer todas as amarguras e incertezas..

as horas passam, nossa dança atravessa a madrugada, as estrelas intensificam teus brilhos...

o luar fica cada vez mais dourado e doce, juntos continuemos a dançar sem parar, como almas apaixonadas eternamente...

 

 

 

ERÇA-FEIRA, 29 DE OUTUBRO DE 2013

Incertezas - Uncertainties

Incertezas...

tudo estranho, tudo nebuloso, tudo sombrio, tudo enigmático, tudo ermo, tudo sem sentido....

tantas decepções, tantas incompreensões, tantas negações, tantas desilusões...

ahhhh, tantas incertezas, somente incertezas...

 

incertezas...

no teu olhar enigmático és um plenilúnio sem brilho escondendo-se nas nuvens de tantas incertezas...

frio, silencioso, não são mais calientes como o ocaso etéreo no horizonte longinquo...

essas incertezas que a cada segundo, a cada minuto, a cada hora leva minha alma a mergulhar num mar de agonia e desilusão, afogando-me em tantas incertezas...

 

incertezas...

ao te abraçares não és mais como outrora, és ermo...

não sinto o perfume adocicado como uma abelha enlouquecida vinha a contemplar as flores salpicadas do orvalho e da brisa da madrugada, tudo se foi, ficaram as incertezas..... somente incertezas....


incertezas...

quiseras eu pudesse olhar para teus olhos mais uma vez, desvendar o porque de tantas incertezas....

eu necessito saber onde foi que errei, pois quero recomeçar, voltar no tempo, nada de incertezas, somente a certeza de que voltaremos a amar e contemplarmos o brilho das estrelas graciosas no infinito..

 

TERÇA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2012

Plenilúnio - Full Moon

na imensidão destes verdes campos de minha terra, um ocaso impõe-se no horizonte distante...

teve-se um dia quente, sufocante, envolvente, como duas almas extasiadas que se amam....

o ocaso  despede-se  gracioso, sublime, majestoso com tua harmonia etérea...

deixando uma brisa morna que chega as profundezas de minh'alma erma como se fosse teus beijos quentes, envolventes, enigmáticos....

 

deito-me na relva, as primeiras estrelas começam a cintilar timidamente como te vi pela primeira vez....

teus brilhos aumentam aos poucos, um véu negro envolve a abóbada como um abraço paralisante, intrigante, estimulante, envolvente... como na primeira vez que te abracei há tanto, tanto, tanto tempo...

a brisa suave, delicada, graciosa da noite envolve-me até as profundezas de minh'alma como um bálsamo que liberta-me do turbilhão que parece não ter fim.... sem você.... este turbilhão que me agoniza, me entristece, me sufoca, me enlouquece... sem você...

absorto em pensamentos um espetáculo inicia-se no imenso véu, indiferente ao meu drama, ao meu sofrimento, a minha agonia... sem você...

 

um plenilúnio surge lentamente no véu infinito salpicado de estrelas ternas, serenas, graciosas, além do infinito..

agigantando-se cada vez mais como se estivesse dando me forças para reerguer-me, como se tu estivesse ao meu lado...

como se fosse teu olhar paralisante, envolvente, intrigante, estimulante, provocante...

 

ahhhh este plenilúnio, misterioso, majestoso, sedutor, tentador, provocador, enlouquecedor...

contemplo-o como te contemplei tantas vezes, como se estivesse ao meu lado a desvendar todos os teus mistérios, teus desejos...

a noite avança, este plenilúnio seduz-me, como tu seduzistes-me, intensifica-se meu êxtase pela brisa noturna, suave, terna, delicada como tu, na qual lembro-me de nossas noites intermináveis tantas vezes abençoadas por este plenilúnio a despertar a nostalgia de nosso amor que ecoa além das estrelas, além do infinito...

 

 

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s