s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Gustavo Dourado [Cnsul - Brasilia]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Latina Amrica...

LatinAmrica:
Vvida Latinamrica:
Amrica solar
Iracema menina
Tupamara Caraba
Tupamrica
Tapuiaimor
Nhambiquara
Tupinambrbara
Americantropofgica
Tropicanibal
Maiasteca tupinca
Amrica tupiniquim
Afro-brasilndia
Jamaicuba Caribela
Regaee Mar-Ley Tosh Cliff
Quetzal Manco Mama Ollo
Mu Sum Zumbi... Ohana Manitu
Americabralina lusibaiana
Americastelhana colombina
Amerititi[ca]ca Amenti Inti
Navegatlntica-pacfica
No podes ser cativa
'Libertas quae sera tamen'
Americamaznica ecolgica
Da Hilia Pampa Chaco-Pantanal.
No Americativa!
Faamos a Americsmica!
PoeticArtisticAtiva
Rgia Amrica Latina
Platina Castelhandina
Luxafro-Brasiliana
Revolte Amrica!
Desarme o oficial terror
Libertando Brasil-Haiti-Peru
Guatemala-Panam
Cuba-Nicargua-U.$.A.
Granada -El Salvador
Salve o Deus Meru-Tup
Os povos Gs-Tapuias
Tolteca Zapoteca Inca
Xavante Tupinamb Yanomami
Tupi-Guarani Navajo Moicano
Todo o povo Xinguano
Os povos das Misses
O gacho Martim Fierro
O bravo sertanejo Lampio
Chico Mendes seringueiro!
------------------------------

Cordel para Neruda

Pablo Poeta Neruda
Cem Sonetos de Amor
Uma Cano Desesperada
Do Poeta Cantador...
Confesso que Vivi: Pablo
Do Nobel foi ganhador

20 Poemas de Amor
Navegam na Barcarola
O Poeta-Sol del Chile
Com Lorca espanhola,
Cultivou a esperana,
Na Poesia fez Escola...

Neruda! Estrela doceano
Anfbio do mar-sereia
Como um cetceo passeia,
Nas plagas do firmamento,
Ola sempre em movimento,
A molhar a branca areia...

Poeta Ultramarino
Transandino universal
Alvoresceu Crepusculrio
E fez En.Canto Geral
Navegaes e Regressos
sualdeia luznatal...

Em Neruda se destaca:
O Amor: A Amizade...
A fantasia o sonho
Germina a fecundidade
O MarOceano Nalma
Em ondas de liberdade...

Relembro teus companheiros:
Jimnez, Lorca e Amado
Hernandz - Poeta Pastor
Jesus Brito ensismemado
Neruda: Peixe do eterno
Pssaro Cigano Alado...

Vate sempre militante
Da Poesia, Embaixador
Nobel de Literatura
TransPoeta.Senador
Cosmunista sempre ativo
PaNativista do Amor...

Poeta Estravagario
Ser:Transmutador do bem
Poeta de Saber.Dor.ia
Do oceano provm...
Espuma a flutuar:
Eterna.mente no alm...
------------------------------

Cultura Nordestina
Para Patrcia Arajo
[Doutoranda da Universidade Federal da Paraba]...


A cultura nordestina-se
Transcende o regional
Xaxado-maracatu
Xote frevo carnaval
Sanfona de Gonzago
Forr-baio sideral...

Litaratura de Cordel
Improviso e embolada
Ciranda, boi e reisado
Praia, arte, luarada
Lobisomem meia-noite
Em busca da madrugada...

Carne de sol: baio de dois
A sagrada rapadura
Bebo uma talagada
Gole de cachaa pura
Para cantar o Nordeste
Terra de amor e ternura...

So Joo em Campina Grande
Castro Alves condoreiro
Ariano Suassuna-nos
Cordelisa o Romanceiro
Auto da Compadecida:
Sucesso no mundo inteiro...

Glauber Rocha cinearte
Torquato em Teresina
Mrio Faustino traduz
O raio da silibrina...
Joo Gilberto Bossa Nova
Tem essncia nordestina...

Elba, Gal e Betnia
Voz de Ansio Teixeira
A arte de Caetano
Repente de Z Limeira
Patativa do Assar:
Encanto da Mulher Rendeira...

Na Chapada Diamantina
Horcio...Manuel Quirino
Irec e Pai Incio
Morro do Chapeu cristalino
Recife de Ibitit:
Canarana me destino...

Heri Zumbi dos Palmares
Nsia Floresta vital
Poesia de Auta de Souza
Nunca ouvi nada igual
Lus da Cmara Cascudo
Folclorista magistral...

Science e Chico Czar
Paulo Freire Educao
Cangao, Lucas de Feira
Vaqueijada, Azulo
Na peleja e na rima
Malazarte e Canco...

Asa Branca Acau
Petrolina Juazeiro
Cordel do Fogo Encantado
Um encanto brasileiro
Quarteto Armorial
Mestre Pinto do Monteiro

Tem Quinteto Violado
O Barro de Vitalino
Mgico Antnio Nbrega
Tem sorriso de menino
Ivanildo Vilanova:
Um orgulho nordestino...

Baio de Humberto Teixeira
Cangaceiro Lampio
Guerrilheiro nordestino:
Imperador do Serto...
Amava Maria Bonita
Com prazer e emoo...

Feira de Caruaru
Xangai,Tom Z, Elomar
Z Ramalho Avohai
Corisco a sapatear
Incio da Catingueira
Num galope a beira mar...

No serto de Piritiba
Raul Seixas Cacul
Na Amrica Dourada
Joao Dourado e Quel
L na Terra do Feijo:
Vou plantar capim guin

Cego Aderaldo no verso
Apodi e Borborema
No serto do Cariri
Ouvi o canto da ema
Penedo e Xique-Xique
So Francisco, que poema...

No Raso da Catarina
Ararinha ao natural...
Paulo Afonso cachoeira
Um salto fenomenal
No Lago de Sobradinho
gua como o Pantanal...

Xilogravura de Borges
Gilberto Gil a cantar
Geraldo Azevedo galopa
Lenine a misturar
Zeca Baleiro embala
Graciliano no ar...

Jos Lins e Z Amrico
Rachel a romancear
Jorge Amado frebordina
Grapina a namorar
Enamora Gabriela:
Janina reina o mar...

A cultura nordestina
orgulho nacional
O Nordeste um primor
uma terra sem igual
Eu canto a minha aldeia:
Na seara universal...

biografia:

Baiano de Recife dos Cardosos - Ibitit [regio de Irec]/Chapada Diamantina/Baixo Mdio Rio So Francisco, Gustavo Dourado [Amargedom] viveu na Bahia durante 15 anos.
Em Braslia h 30 anos, tem participado ativamente dos movimentos polticos, ecolgicos, cineclubistas, populares, sociais e culturais.

Na UnB destacou-se como lder estudantil e ativista cultural e promoveu vrios eventos como o Flimpo, a Expoarte, Show do Arroto[12h30] e encontros estudantis. Foi fundador e Diretor do Centro Acadmico de Letras, com ativa atuao no Diretrio Central de Estudantes e da UNE, onde atuou como delegado e ativista cultural.

Amargedom autor de nove livros, alguns premiados e com poemas traduzidos em cinco idiomas.Professor de Portugus, Semiologia, Semitica, Literatura, Lingstica, Redao, Religio, Agropecuria, Cultura Popular e Folclore Brasileiro. Lecionou no Colgio Elefante Branco e na Faculdade de Artes Dulcina de Moraes.

Ensinou em escolas do Gama, Ceilndia, Taguatinga, na LBA e no Hospital Sarah [nas reas de criatividade e de linguagens artsticas], onde tambm atuou como animador e produtor cultural.
Foi delegado e militante do Sindicato dos Professores, Senalba, Sindsep e Sindicato dos Escritores do Distrito Federal [Diretor sociocultural].

Em Taguatinga fundou e dirigiu o CineClube Gritto, participou da Associao dos Moradores e da Prefeitura da QNG, na rea de Comunicao. Foi membro do Grupo Caxadgua e da Associao de Arte e Cultura/FACULTA.

produtor cultural e de eventos, orador, animador, apresentador e membro do Frum Braslia. Faz parte de academias, associaes e entidades socioculturais. Foi presidente da Academia de Letras e Msica do Brasil.

membro da Academia Internacional de Lutce, Paris, Frana e da Academia Taguatinguense de Letras. Pesquisador cinematogrfico, fez a pesquisa biogrfica e literria do filme Castro Alves,de Silvio Tendler, prmio Margarida de Prata da CNBB, em 1999.
Assessor de Literatura da Fundao Cultural do DF[1995/1998]. Presidente do Sindicato dos Escritores do DF [1997/2004]. Representante da Unio Brasileira de Escritores.

Filiado Associao de Imprensa de Braslia. Ps-graduado em Gesto[ONU], Literatura, Educao, Folclore, Cultura Popular, Linguagem Teatral e Linguagens Artsticas. Seu trabalho pesquisado por crticos e jornalistas e foi analisado pela professora, escritora e antroploga Sylvie Raynal, da Universidade Sorbonne [Frana], Wolf Lustig, da Alemanha e outros pesquisadores estrangeiros. Foi conselheiro da revista DF Letras, do Concurso de Redao da S/A Correio Braziliense/Fundao Assis Chateaubriand, prmio Estado de Cultura/jornal O Estado de So Paulo, Imprensa Nacional, entre outros. Representante da Secretaria de Educao/ FEDF [Fundao Educacional do Distrito Federal] junto a 52 SBPC, realizada na Universidade de Braslia, em julho de 2000.

Foi alfabetizado aos trs anos pelo pai, com leituras bblicas, literatura oral e literatura de cordel, ouvindo estrias, causos, cantigas, repentes e lendas sertanejas.

tido como um dos escritores baianos/brasilienses mais criativos e inovadores dos ltimos tempos, de acordo com renomados crticos, analistas literrios e pesquisadores...

Foi influenciado pelos modernistas, concretistas, neoconcretistas, cordelistas, repentistas, experimentalistas, jornalistas e vanguardistas de vrias tendncias. Autor de centenas de folhetos de Cordel [muitos inditos], contos, crnicas, artigos, manifestos, peas teatrais, ensaios, romances e roteiros cinematogrficos.

No Governo do Distrito Federal criou e coordenou diversos projetos ltero-culturais, tais como: Poesia no nibus, Encontro com a Palavra, Bolsa Braslia de Produo Literria, Lanamentos de Livros, Estante do Escritor, Frum Permanente de Escritores, Lance Livro, Plulas Poticas, entre outros. Participou ativamente da Feira do Livro de Braslia[desde o incio], Festival de Braslia do Cinema Brasileiro, festivais e mostras de cinema e arte, Encontro da Cultura Brasileira, Classe Arte, Temporadas Populares, Hora do Trabalhador, Almoo com o Escritor, Bienais Internacionais do Livro do Rio e de So Paulo.

Improvisador, repentista, declamador. Participou de mais de 500 recitais poticos e de diversas antologias, jornais e revistas no Brasil e no exterior.

O seu livro Phalbora foi selecionado como livro-destaque pela ATL e pela Comisso Editorial Letras da Bahia para ser divulgado no Projeto Brasil 500 Anos e foi objeto de estudo do Professor Ilton Cerqueira, no Mestrado de Histria da Universidade Federal de Ouro Preto, em 1999. Em 2000 inaugurou com o reitor da Universidade de Braslia, Prof. Lauro Morhy, a Estante do Escritor Brasiliense e o Arquivo-Museu da Literatura, na Biblioteca Central da UnB, com a participao de mais de 200 autores de Braslia.O evento foi registrado pela Rede Globo de Televiso.

Estudioso da Literatura Brasileira e Universal, Histria e Literatura da Bahia e de Brasilia, com destaque para assuntos ligados ao cangao, Lampio, Corisco, Padre Ccero, Canudos, coronelismo, Horcio de Matos, Manoel Quirino, Revoltosos/Coluna Prestes, Cordel, garimpeiros, genealogia, ciganos, pioneiros, JK, Misso Cruls, jagunos e aventureiros do Planalto Central, do Cerrado, de Gois, do Serto Nordestino e da Chapada Diamantina.
Descendente de famlia de escritores, dos quais se destacam Autran Dourado, ngelo Dourado, Alzira Dourado, Mecenas Dourado e o cartgrafo portugus Ferno Vaz Dourado, entre outros.

Concluiu ps-graduao em Gesto Pblica na Escola de Gesto do Distrito Federal em Convnio com a ONU - Organizao das Naes Unidas. Foi objeto de tese de doutorado, por Patrcia Arajo, da Universidade Federal da Paraba.

Principais obras:

Phalbora - 1997
Transformao - UnB - 1980
Lingutomo - 1991
Espejos de La Palabra / Espelhos da Palavra - 1999
Carmo Bernardes Imortal [versos de Amargedom] - 1996
Tupynambarbarie - 1984
Cordel - Torquato Neto - 1991. Secretaria de Cultura/Festival de Braslia do Cinema Brasileiro/Jornal de Braslia.
Coletivo de Poetas [Participao] Org. Menezes Y Moraes - 1997/98
Braslia: Vida em Poesia [Participao] Org. Ronaldo Mousinho - 1997
Autores em Braille [Participao] Org. Dinor Couto - 1995/2002
Dicionrio de Escritores de Braslia [Verbete], de Napoleo Valadares - 1994
Encclopedia da Literatura Brasileira - Equipe Afrnio Coutinho/Rita Moutinho [Verbete] - 2001/02

Coral da UnB - Cordel - 1981. Editado por David Junker e Fred Brasiliense.DAC/UnB.
6 posteres e 6 postais de Poesia - Edio do Autor - 1980/2001
2 Adesivos Poticos - 1983 - Lanamento no Restaurante Beirute - Braslia
Catlogo de Escritores Brasilienses [Verbete] - Governo do Distrito Federal - 2001
Poesia de Braslia, de Joanyr de Oliveira [Participao] - 1999
Cordel da Criatividade. Equipos/Sarah - 1986
Pesquisa do Filme Castro Alves - Retrato de um Poeta, de Slvio Tendler, Prmio Margarida de Prata, da CNBB. - 1999.

Participao Potica/Entrevistas em Filmes e Vdeos de Maria Coeli, Mrcia Macedo, Reginaldo Gontijo, Maria Maia, Vladimir Carvalho, Jos Accioli, Argemiro Neto, Anand Rao, George Jesus Duarte, Neto Borges, UnB, Universidade Catlica de Braslia, Grupo HUNDREDONE.-1980/2002.

Seu trabalho literrio foi selecionado pela Unesco em vrios nveis.

Conquistou alguns prmios literrios no Brasil e no Exterior. Tem textos traduzidos e publicados em centenas de sites, blogs e portais.

Est includo em dezenas de diretrios dos principais sites de busca: Google,Yahoo, Dmoz etc.Em 2005 foi destaque de pgina inteira no Correio Braziliense, pelo trabalho desenvolvido como poeta e pesquisador na Internet. Em abril de 2005 apresentou com sucesso em Itana-Minas, o Grande Cordel da Ufologia Brasileira, uma verdadeira epopia espacial.

Recebeu o ttulo de membro honorrio e a mais alta comenda da Federao das Academias de Letras e Artes de Minas Gerais, no dia 22 de abril de 2005.

Presidente Emrito do Sindicato dos Escritores e membro efetivo do Instituto Histrico e Geogrfico. Cidado Honorrio de Braslia.

No Festival de Braslia do Cinema Brasileiro-2005 foi entrevistado pela jornalista e professora francesa Sylvie Debs e pela jornalista Ndia Timm.

Participao especial no filme: 'A Poesia do Barro.' http://www.gustavodourado.com.br/poesia.htm

http://www.gustavodourado.com.br/biografia.htm

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s