s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Hlder Leal Martins
Nacionalidad:
Portugal
E-mail:
helderlealmartins@gmail.com
Biografia

Hélder Leal Martins

Nasceu em Vila Nova de Ferral, concelho de Montalegre, Portugal, em 15 de Março de 1959.

Com 9 anos ingressou no Seminário dos Missionários do Espírito Santo, em Viana do Castelo, tendo abandonado esta instituição em 1981, quando frequentava o Curso de Filosofia da Universidade Católica em Braga.

De 1983 a 1986 frequentou o curso de Engenharia Mecânica na Universidade do Minho em Braga, que abandonou por razões profissionais.

Em 1993 inicia o Curso de Arquitetura, em horário pós-laboral, na Escola Superior de Arquitetura do Porto, tendo concluído a licenciatura, em Julho de 2000, na Universidade Lusíada, em Vila Nova de Famalicão, continuando a sua actividade profissional como Arquiteto, até ao presente.

Como pintor autodidata, realizou, em 1987, uma exposição de pintura na "Casa de Trás os Montes", em Braga, e em 1988 participou na Mostra dos Artistas de Guimarães, na Sociedade Martins Sarmento, integrada nas comemorações do 24 de Junho de.

 

  1. 1.     O que me motivou a escrever poesia.

A produção poética é, quase sempre, um retrato da vida do poeta, sobretudo quando não se destina a ser publicado. É uma espécie de salvaguarda da sua identidade e da sua história, uma memória de emoções, sentimentos, pessoas e momentos da vida, que não quer perder.

A criação poética, que, à primeira vista, se poderia definir como o acto de fabricar o poema, é muito mais do que isso. No fundo, é esse “muito mais” que me leva a escrever. É uma necessidade compulsiva e imperativa, de registar  momentos importantes, configurando uma realidade complexa e misteriosa em que o poema  é simultaneamente causa e efeito, tornando a poesia artífice e artefacto, unificando duas entidates que se auto constroem e justificam.

A poesia constroi  a nossa identidade e a nossa alma, abrindo os trilhos, em direções tantas vezes inesperadas, definindo as fronteiras e contornos dos próprios sentimentos e emoções, num processo perfeitamente interativo.

A alma do poeta é diferente das outras almas, porque resulta dessa magia que emaranha poesia e viva de uma forma criadora e criativa.

Foi essa magia, esse prazer de jogar e brincar com as palavras, construindo outras realidades,  que  me levou, desde muito novo, a desenhar um outro universo no  vazio das folhas.

Apesar do meu tempo livre  ser muito pouco, vou conseguindo tempo para as coisas que me interessam, não propriamente como hobbies, mas como atividades complementares da minha realização integral como criador.

Entre essas ocupações, a leitura é uma das principais. Leio muita  poesia, alguns romaces, mas sobretudo ensaios ligados a assuntos culturais e científicos. A escrita vem logo a seguir, mas com uma regularidade mais variável, dependendo do género literário em que estou envolvido.

A minha verdadeira paixão, está na área da ciência, da tecnologia, da invenção e inovação, do entendimento do universo, do espaço, das teorias na área da astrofísica e da cosmologia.  Passo muito tempo a rabiscar e registar as minhas engenhocas e as minhas próprias teorias sobre muitos desses assuntos, que sempre me fascinaram e aos quais me dedicaria profissionalmente, se pudesse voltar atrás no tempo.

Até 2007, escrevi apenas poesia. A partir de então, fui escrevendo alguns contos, dois romances, histórias para a infância e alinhavei um ou outro ensaio sobre assuntos de que falo mais à frente.

Publicar é apenas dar visibilidade ao que escrevo para mim por  necessidade e prazer. A sua publicação só se justifica a partir do momento em  em que essas criações tenham suficiente valor literário ou de conteúdo que as tornem interessantes e proveitosas para os leitores.

 

  1. 2.     Primeiro livro publicado  “Até Ser Dia”

 

Sendo este o meu primeiro livro, após tantos anos de escrita, achei mais seguro escolher os melhores, independentemente da data em que foram escritos. Procurei, no entanto, organizar os poemas em grupos temáticos, segundo uma lógica causal e ou temporal, num paralelismo com o normal curso da vida.

O primeiro conjunto de poemas  diz respeito à criação poética, ao mistério da inspiração, à forma como o poema acontece e depois, ganhando vontade própria, se  autoconstói e impõe ao poeta.

O segundo grupo de poemas diz respeito aos afectos, com destaque  para os vários tipos e estádios do amor, nomeadamente o encantamento, a paixão, o amor sereno, a posterior deceção, desengano, sofrimento da perda, esquecimento e solidão.

No grupo seguinte alinho alguns poemas de homenagem a personagens relevantes, a familiares e amigos que foram partindo.

Na última parte do livro reúno alguns poemas relacionados com a angústia existencial, decorrente da escassez de tempo para concretizar tantos projectos e sonhos, confrontado com a inevitabilidade da morte e com da insignificância e brevidade da existência humana.

 

  1. Sobre o Titulo

 

Depois de muita procura, entre algumas opções escolhi o título do último poema. Curiosamente, o poema “até ser dia” é uma espécie de síntese metafórica desse caminho misterioso e do paralelismo e interdependência entre a lina do poema e a linha da vida, como uma fita de ADN que rege a existência do poeta.

A expressão “até ser dia” comporta uma multiplicidade de sentidos, entendimentos e perspectivas perfeitamente identificáveis na generalidade dos poemas e na sua génese.

A palavra “Até” está profundamente  ligada ao conceito de tempo, e a tudo ao que o envolve, a sua relatividade, o seu sentido único e sua irreversibilidade, dominando todos os momentos da vida.

A palavra “ser” concentra em si mesma a criação, a construção e destruição, o princípio e o fim. Guarda em si todas as incertezas, dilemas, emoções, sonhos e conquistas, toda a dialética da evolução e ao longo do caminho entre a chegada e a partida.

A palavra “Dia” assume imensas realidades e sentidos: luz, conhecimento, objetivo, meta. Pode ser o dia “D” de todas as decisões, de todas as conquistas. Pode ser a hora e o lugar de chegada ou de partida, o ponto final.

 

  1. 4.     Encomenda do livro

 

Encomenda do livro pode ser feita através do endereço:  helderlealmartins@gmail.com, sendo a entrega feita por via postal.

Na minha página do Facebook,  www.facebook.com/helder.lealmartins

encontram-se todos os dados e indicações para  para a encomenda do mesmo.  

 

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s