s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Andr Arruda
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
alarrud@gmail.com
Biografia

chamamento à Revolução

 

o que desgraça o mundo?

 

o que mais desgraça o mundo

não é a Política

o que mais desgraça o mundo

são os políticos

o que mais desgraça o mundo

não é a Ciência

o que mais desgraça o mundo

são os cientistas

o que mais desgraça o mundo

não é a Economia

o que mais desgraça o mundo

são os economistas

o que mais desgraça o mundo

não são as Finanças

o que mais desgraça o mundo

são os financistas

o que mais desgraça o mundo

não é a Religião

o que mais desgraça o mundo

são os religiosos

o que mais desgraça o mundo

não é a Filosofia

o que mais desgraça o mundo

são os filósofos

o que mais desgraça o mundo

não é a Ideologia

o que mais desgraça o mundo

são os idealistas

o que mais desgraça o mundo

não é a arte

o que mais desgraça o mundo

são os artistas

 

o que mais desgraça o mundo

não são os seres humanos

o que mais desgraça o mundo

é a falta de humanidade

 

o que mais desgraça o mundo

não é a falta de poesia observada entre os poderosos

o que mais desgraça o do mundo

é a falta de coragem dos poetas em tomar o Poder

 

 

 

daqui a pouco

 

 

 

daqui a pouco

não será mais hoje

e o que fizemos nós da vida?

 

cruzamo-nos

e não nos achamos

olhamo-nos

e não nos vimos

conhecemo-nos

e não nos encontramos

com pessoas convivemos

mas, como tais

não as reconhecemos

do amor

só falamos

não o sentimos

nem sequer experimentamos

 

daqui a pouco

não será mais hoje

e o que a vida fará de nós?

 

 

 

poesia adotiva

 

encontrei esta poesia na sarjeta

numa fria madrugada

caída

um pouco rasgada

amassada, fétida e suja

com um casal de baratas a passear-lhe pelas bordas

 

encontrei esta poesia

jogada na lama

abandonada

sem nenhuma

sequer

rima rica

ou palavra bonita

que a deixasse simpática

 

estava lá ela

estática

triste

ali

a olhar para mim

que quase nem sou mais poeta

 

mesmo assim

disse: sim

simpatizei-me com ela

resolvi adotá-la

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

revolução

 

 

                                               desafasta-me de ti

                                               desabandona-me

                                               tira de mim tua desatenção

 

                                               rebeija-me mais uma

                                               pela primeira vez

                                               desapaga de uma vez

                                               essa paixão

 

 

BIOGRAFÍA:

Poeta e Ator, André Arruda é também graduado em Filosofia. Integrante das Companhia Teatro Girandolá e Teatro em Carne & Osso, atua também como coordenador do Núcleo de Experimentações Teatrais, em Franco da Rocha, cidade em que nasceu em 17/02/1965.

Autor dos livros Franco poemas (poesias) e Estranheza (poesia e teatro), tem já prestes para ser lançado brevemente, Das coisas, outras.

Outros trabalhos seus podem ser vistos também no blog: poesiasearrudeios.blogspot.com.

Tendo desde sempre uma preocupação social com a vida, busca com sua arte, acima de tudo, entendimento e transformação.

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s