s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Daniel Pacheco Figueiredo
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
NO PERTENO A LUGAR ALGUM

No perteno a lugar algum...

Aqui no pela minha idade
Ali no pela idade deles
Ali no por prpria vontade
Aqui no por cimes deles

No perteno a lugar algum...

Aqui no por ser muito srio
Ali no por ser um palhao
Aqui pensam que sou mistrio
Bem ali que to simples passo

No perteno a lugar algum...

Uns me julgam demais humilde
Outros j que sou arrogante
Ora quero pr trema e tilde
J outrora escrevo inconstante

No perteno a lugar algum...

Entre Apolos, fao Dioniso
Meio ao caos, represento a ordem
Hoje estou to aberto riso
Amanh peo no me acordem

No perteno a lugar algum...

Ora trato com deferncia
Ora mui displicentemente
Ento sou homem de cincia
Ento creio inocentemente

No perteno a lugar algum...

Trajo s vezes com extravagncia
Outras vezes em jeans e branco
Alvo, aqui sofro intolerncia
L tambm, pois no assaz branco

No perteno a lugar algum...

Sou pretenso intelectual
Mas entre eles no hei lugar
Pois no sigo seu ritual
Que de regras no sei gostar

No perteno a lugar algum...

Por fim sinto estar insulado
Qual Teseu na ilha de Creta
Mas o monstro a ser enfrentado
Me imposto por ser poeta!

No perteno a lugar algum:
Eu perteno ao lugar nenhum...

-----------------------------

UM POETA X O POETA

Sai em busca um poeta da poesia:
Perscruta, malvislumbra e logo abusa,
Contando sempre obter favor da musa,
Mirando, ao fim, lugar na academia.

poesia o Poeta est fadado:
Confrui e consofre os gozos e martrios
Da humanidade e enseja, por delrios,
De divindade achar-se insinuado -

O alto-mar v vida ele prefere,
Alegria ou tristeza ele pretere.
Eis o condo e fardo do Poeta:

Nos ombros carregar o mundo inteiro!
Pondera, pois: se o ego vem primeiro,
Melhor ser apenas um poeta.

-----------------------------

CREDO IN NATURA

Creio na Natureza, indiferente
A quaisquer nsias ou anseios vos.
Creio na Natureza - soberanos
So seus desgnios sobre toda a gente.

Busquei pelo absoluto aqui e ali...
E aps muito sondar, s distingui
Vulco, tsunmi, sismo e vendaval:
A inexorvel fora natural!

Deus seno palavra sem arrimo,
Conceito de elevadas pretenses,
Que foi tornado ento complexssimo
E doutrinado pelas religies.

Se religio um elo que perdura,
Pois minha religio com a Natura.

-----------------------------

biografia:
Daniel Pacheco Figueiredo

Graduado em Letras [Ingls] pela UFC. Sou curioso por cultura, aspirante a poeta e msico... Mais algum querendo melhorar o mundo; se no atingirmos o mundo inteiro, ao menos teremos ajudado a melhorar o pequeno mundo em torno de ns.

paxfigo@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s