s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Virginia Fulber de Alm Mar
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

AMAzônica

do Mar doce bebemos
berço de nuvens
da atmosfera
das matas
das línguas que traduzem
a ti louvor

cavalgando vento
Amazona estou
com meu verbo
- arco e flecha-
atiro versos ao louvar-te
berço verdejante

quando os homens brancos
equecem dos bebedouros
na vileza
somos nós mulheres
águas hábeis
entre lágrimas, canto
filhos encantos
a chamar vos
ao retorno à casa

a voltar vossos olhos
sobre si mesmos
a pensar sobre a caça desmedida
sobre a ganância que mata fêmeas
nascentes de rios
florestas

hoje a deusa necessidade pede
espaço ao Amor
a fraternidade à beleza
à arte de guerrilha
nos poemas nas trilhas da
consciência

AMAZÔNIA VIVA por
nossos/vossos filhos clemência

Virgínia além mar -[ Novo Hamburgo RS Brasil

Aproveite O Impulso E Salte A Dor
Que 2006 traga Novidades
Novas idades no saber e querer saber
Novos modos de olhar
Sentir , cantar, dizer, ouvir tocar
e mais amar
Nada dele sabemos
apenas quem fomos e estamos seennnndo
agora
estaremos neste Eterno retorno do seenndo
movimento , fluxo
espaço ,liberdade, coragem
para o vir a ser ... sendo
seeennndooo
nas multiplicidades seguindo
um pouco cedendo um pouco sofrendo
muito gozando no CsOs
das potências vividas com intensidade
Alegre
bravura do aceitar o aqui e agora e nele sentir
sentindo o
melhor o mais intenso, potente que quer dizer ,sair
pararido... parindo ..
parido e partindo
Haja momentos que façam sentir o melhor de cada um
em sua expressividade pausada, pautada
escorrida ,ventilada
Haja Vontade de Potência dirigida que enfrenta, agarra e
aceita as oportunidades do existir
transforma, manuseia, amassa , arregaça a vida e
arte sa nal mente
faz vazar, tocar, afetar trans for mar
esta \'força estranha \'que nos move em sintonia
\'fina \' ,harmoniosa em direção da maior
sinfonia
aquela que não dorme no ponto
deixa-se fluir
atravessa e deixa-se atravessar
desperta para além do silenciar
para além dos relógios do homens
para alguém despertar
Haja línguas a dançar, entre os dentes
que as sementes do pensamento , sentimento
ousem brotar , transbordar salivas
lágrimas, gemidos
que sejam paridos
fetos de estrelas
a trepidar , sacudir , arejar as chamas
desejo de potência
nos corações
Haja corpos a dançar
mover o ar fazer vento quente
entreguar
atuar, atualizar e fazer vibrar
semente ardente
no pulmão da terra, água
céu e mar !
Que estas se acheguem à mente e retornem aos pés do dançarino
salte/ a/ dor que sobre os limites e agruras argamassa do viver,
aprende a romper e passa a construir , criar deixando-se ser
por permitir deixar solo [ certezas] e arriscar !

Afetuoso e INTENSO abraço
virgínia fulber [ de além mar]
31/12/2005


Segredo

Era cedo
Cedo da tarde
Ainda não havia medo
Duas horas da tarde
Ferve tempo carcereiro
Pai da dúvida e do medo
No aión escorregou
Num lapso
Rasgo no tempo
Saltando entre os dedos
A eternidade brincou
Nem tarde nem cedo
No viver há segredo

Virgínia fulber [ de além mar ]

Mosaicos da Esquina

Folhas amarelas entre as pétalas alaranjadas
Tons verdejados no musgo dormido
Brejeiras costelas do anoitecer ai ,ai,, ai
É o colibri que agita as vitrines do por de sol !
Versinho trepida entre as folhas da laranjeira
Grinalda das horas sem par
Descalça dos sonhos
Amanhece estrela sem espreguiçar
O sino ao longe ..bem longe...
Tão longe quanto deve ser
Pois ,
Na pressa as horas dos homens
Desconhecem os fluxos lentos e silenciosos dos
Mosaicos da esquina...

biografia:
Virginia Fulber de Além Mar


Completei o Cusro Normal [ Magistério em NH em 1974]

Após concluí meus estudos em diversos Estados Brasileiros, inicialmente SP. GO,MT,

BA e Rio de Janeiro]

Desde muito pequena desprezei a ignorância, constatei que esta é a responsável

Pelas dores , perdas, separações, em nosso mundo, tanto num círculo pequeno

Como no familiar como no plano Planetário.

Busco a HARMONIA .Minha energia coloquei na busca do conhecimento, do entendimento

Para tanto não me bastaram os estudos, os livros, a Universidade, fui à campo, empreendi, uma caminhada

pessoal . No viajar , que aprendi com meu pai, apreendi a”outrar-me” e este ensinou-me a”ouvir o silêncio”.

Na literatura meu inicio foi Hermann Hesse, aos13 anos meu irmão trouxe O Lobo da Estepe, daí em diante

Busquei no oriente, a partir da leitura de Sidartha [H.Hesse], matar minha sede espiritual. Nas leirutas

Budistas e a pratica do Yôga nas suas diversas modalidades uma fonte de equilibrio entre corpo/mente.

Na Filosofia foram Nietzsche e Spinoza, Rousseau, B. Russel e H. Thoreau, e Heidegger meus companheiros de estrada.

Atualmente estou encantada com o pensamento de Jurandir Freire Costa.

No campo da Antropologia meu maior vôo foi concretizar o sonho de viver entre os índios, na Aldeia Pimentel Barbosa na Serra do Roncador, [1983]onde fui recebida como a primeira branca a ser “convidada”

pelo Cacique Warodi para estar entre eles. Esta Aldeia mantinha preservada sua cultura, até onde os

Padres e a FUNAI, permitiram. Hoje sei o porque do convite, do Cacique à mim. O entendimento que

houve entre nós a nível inconsciente, pois nossos primeiros contatos foram totalmente silenciosos,

[ telepáticos] apenas trocamos olhares, energia. Sim hoje entendo que que Warodi percebeu

e amou em mim, o desprendimento, não estava à sua frente com motivos egóicos, o que me

movia e sempre moveu foi esta busca verdadeira de conhecimento sem pretenção que não

fosse a genuína vontade de conhecer por necessidade, uma necessidade ontológica e biológica

à qual me rendi.

Na Psicologia FREUD, é minha luz, é brilhante como pensador da Cultura principalmente e a coragem de tocar no maior tabu a sexualidade, apesar de agregar ao meu trabalho W. Reich e pós Reicheianos

E tantos outros mestres.

Na prática de meu trabalho que é um conjunto das minhas experiências, me identifico com

Gerda Boysen.

Na poesia encontro-me em várias almas, mas principalmente em Fernando Pessoa um alento .

Amo as manifestações Artísticas pois na sua obra o artista se põe inteiro.

A Arte é potência em movimento. .Na liberdade da criação um encontro o re-ligare .

Na dança uma redenção!

Meu NORTE minha intuição...

Minha pretenção; continuar fiel aos meus princípios.

Virgínia M. Fulber , Poeta,Professora e Bioterapeuta

Novo Hamburgo, setembro/1994

http://www.vaniadiniz.pro.br/virginia_fulber/poemas.htm



vicamf@yahoo.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s