s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Osvandil Silveira Quimas
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Carta Dijanira

J no h coisa possvel entre ns, Dijanira.
E logo entre mim e voc.
Ns que outrora desmedidamente nos amamos,
Que nos regalamos com tanto prazer
Nas nossas apaixonadas, noites insones.

De mim voc tolerou tudo:
A embriaguez cotidiana,
As discusses sem fim.
At os socos e as bofetadas,
Voc estoicamente suportou.

Eu sinto muito no ter-lhe feito feliz.
Amei voc, mas meu amor insano
No soube a decncia de tratar-lhe bem.
Mais do que amante seu
Amei as ruas e todos os vcios.
E se entreguei a voc o meu corao,
A minha alma dei perverso.

Por isso, Dijanira, melhor que eu me v,
Que poupe voc da minha desastrosa presena,
Que no lhe leve junto para o abismo
No qual arremesso meus dias e noites.

Sei que voc vai sofrer,
Pois at aos piores venenos se acostuma.
E isso que tenho sido em sua vida,
Um txico que lhe mina o esprito
E furta-lhe a serenidade.

Por isso, Dijanira, melhor que eu parta,
Que v para bem distante de sua conformidade,
Pois sua indulgncia com meus pecados
como espelho a refletir os desajustes vrios
E as muitas transgresses de minha alma pervertida.
Por isso, sequer posso mais olhar sua face
Sem ficar nauseado pelas tantas culpas que carrego.

J no h coisa possvel entre ns, Dijanira.
Ento, enquanto ainda me resta alguma sobriedade,
Digo-lhe: adeus!
____________________________

Autoplgio

Entre o trao irrealizado
e o branco intocado
da tela frente,
todo possvel sonho.
Basta-me a alma
de poeta das tintas
e a derradeira coragem
de tingir de espelho a trama,
que s reflete
em tudo o que esboo,
em cada ponto e risco,
nada alm do que mim mesmo.
______________________________

Todo dia, l vinha Joo

Todo dia, l vinha Joo
Com o balde na mo,
Levantando paredes,
Tocando a construo.

Todo dia, l vinha Joo
Construindo seu sonho,
Depois do trabalho,
Sbados, domingos e feriados.

Todo dia, l vinha Joo
Sem trgua,
Sem descanso,
Alheio s suas dores.

Mas hoje, Joo no veio
E j no mais vir.
Despertou do sonho da vida,
Para constru-lo, enfim, no cu.

Biografia
Osvandil Silveira Quimas


Juventude [1961 - 1979]

Iniciou-se na arte do desenho e da pintura quando tinha a idade de 10
anos, realizando desenhos a lpis e pinturas em aquarela. Quando tinha
11 anos comeou a pintar telas a leo no grupo de interesse do Colgio
Rui Barbosa [Nova Friburgo/RJ]. Data desse perodo a sua amizade com o
artista plstico Mario Csar Higgins Ferreira, que o orientou
eventualmente nas tcnicas da pintura a leo e desenho de perspectivas.
Em 1980, estudou durante dois meses tcnicas de aquarela com a artista
Claudia Tchembach Dall'aglio. A partir de ento passou a desenvolver-se
autodidaticamente, inclusive estudando as matrias do currculo de
desenho e pintura da UFRJ por conta prpria. Suas primeiras
participaes em exposies deram-se quando o artista tinha quatorze
ano. Desde a mais tenra idade S. Quimas tambm demonstrou habilidades
literrias, tendo composto versos e escrito textos ainda com dez anos de
idade. Devido s suas preocupaes sociais, definiu-se politicamente
pelo Anarquismo, tendo mantido com alguns amigos uma revista poltica,
na escola onde estudava, de tendncia francamente socialista, o que na
poca acarretou-lhe alguns problemas junto instituio. Vivia-se ento
sobre o julgo do Governo Militar Brasileiro. Trabalhou para a indstria
grfica como design grfico desde 1975, tendo realizado diversos
trabalhos de ilustrao e composio grfica. Participou como letrista
de diversos festivais musicais, onde teve algumas de suas msicas
classificadas entre os primeiros lugares. Aos dezoito anos foi designado
para o I Batalho de Polcia do Exrcito, na Tijuca, Rio de Janeiro,
aonde no chegou a cumprir a totalidade do Servio Militar devido a
problemas de sade. Tendo dado baixa, retornou sua cidade natal, em
dezembro de 1979.

Carreira Profissional [1980 - 1997]

Aps retornar Nova Friburgo, desempenha diversas atividades e cria no
ano de 1982 o Curso de Iniciao Artstica para Crianas nas
dependncias do Grupo de Promoo Humana [Nova Friburgo/RJ]. O curso
funciona at 1983, quando passa a ministrar aulas para todas as faixas
etrias na Academia de Artes San Remo, na mesma cidade. Em 1984,
abandona a Academia de Artes San Remo e inaugura um curso de desenho e
pintura no Conservatrio Nova Friburgo, onde trabalha at 1986. Nesse
iterem, tambm desenvolve outras atividades paralelas: design grfico e
de estamparia, professor da rea de Propaganda do SENAC [Nova
Friburgo/RJ] entre 1986 e 1987, publicou textos em diversos jornais em
Friburgo, tendo mantido por duas vezes colunas semanais, alm de outras
atividades ligadas arte e cultura. Em 1987, inaugura o Atelier de
Artes Nova Escola [Nova Friburgo/RJ], onde com outros artistas e
msicos, alm de aulas de desenho e pintura, tambm de piano e violo
clssicos. A instituio durou at fins de 1989, pouco antes de o
artista resolver mudar-se para a cidade do Rio de Janeiro, onde j
ministrava aulas de artes plsticas na AMBEP - Associao de
Mantenedores Beneficirios da Petros [1988 - 1998]. Tambm em 1989
eleito o primeiro presidente da Associao de Artistas Profissionais de
Nova Friburgo, que ajudou a fundar, cargo que exerce at a sua partida
para o Rio. No Rio de Janeiro, o artista trabalha incansavelmente nas
reas de sua atuao num perodo que vai de sua chegada at fins de
1997, quando novamente retorna a Friburgo. Fez diversos trabalhos na
rea de design para clientes como Sulamerica de Seguros, Sony,
Encyclopaedia Brittanica, Federal de Seguros, diversas universidades,
entre outros. Alm de trabalhos de desenho e pintura, S. Quimas tambm
produziu vrios trabalhos cenogrficos para teatro, bal e
apresentaes.

Nova Friburgo [1998 em diante]

Em 1998, motivado por um caso de um menino portador de uma sndrome
especial, cria o Movimento Mundial de Apoio e Informao s Famlias de
Crianas Portadoras de Doenas Raras: Nossas Crianas Especiais [tambm
conhecido mundialmente por Our Special Children]. O movimento promove
recursos e informaes s famlia de crianas acometidas por doenas
raras [em ingls rare diseases]. Nos anos que seguem o movimento
consegue atender mais de seiscentos casos, mas devido escassez de
recursos acaba se dispersando nos ltimos anos. Cria em 2004 a empresa
Light And Dreams Produes, que alm de outros projetos, recupera o
filme 'Gerao Bendita - Isso A, Bicho!' [1971], reeditando e
autorando o DVD. O 'Gerao Bendita' considerado o primeiro filme
hippie brasileiro, um marco antropolgico na cinematografia brasileira.
Em 2005, participa da criao do jornal Atuar - Educao e Cultura, onde
participa como Editor de Arte e colunista. No ano seguinte [2006] fundou
o Movimento Mundial Armas da Paz, focado na divulgao da doutrina da
paz em todo o mundo. Em 2007, cria o Manafri - Movimento Anarquista
Friburguense [Nova Friburgo/RJ], cujo principal fim a divulgao de
idias libertrias e a ao para o bem-comum. Tambm neste ano, lana o
e-book 'Contos e Encantos', contendo diversos contos de sua autoria. Na
Internet podem ser encontrados diversos textos de autoria de S. Quimas,
alm das imagens de seus trabalhos de artes plsticas.

Principais Exposies

1975 a 1980

I ao VI Encontro de Arte. Grupo de Promoo Humana. Nova Friburgo/RJ.

1986

Exposio Coletiva de Artistas Friburguenses. Centro de Arte de Nova
Friburgo. Nova Friburgo/RJ.

II Encontro Fluminense de Artes. Terespolis/RJ.

1987

II Salo de Vero de Angra dos Reis. Angra dos Reis/RJ.

II Encontro de Artistas Plsticos Friburguenses. Centro de Arte de Nova
Friburgo. Nova Friburgo/RJ.

'Je Vous Salue, Suisses'. Promovida pela Associao Fribourg-Nova
Friburgo e Prefeitura Municipal de Nova Friburgo. Nova Friburgo/RJ.

VII Encontro de Arte. Grupo de Promoo Humana. Nova Friburgo/RJ.

1988

Alma. Exposio individual. Centro de Arte de Nova Friburgo. Nova
Friburgo/RJ.

I Salo de Inverno. Hotel San Moritz. Terespolis/RJ.

Exposio Coletiva de Artistas. Espao Cultural Amncio Azevedo. Nova
Friburgo/RJ.

10 Artistas Contemporneos. Galeria tempo. Campos/RJ.

Exposio de Ex-Alunos do CENF. Centro de Arte de Nova Friburgo. Nova
Friburgo/RJ.

III Coletiva de Artistas Plsticos de Nova Friburgo. Centro de Arte de
Nova Friburgo. Nova Friburgo/RJ.

1989

V Salo de Vero. Iate Club Brasileiro, Niteri/RJ.

V Salo de Artes da Associao de Artistas Profissionais do Rio de
Janeiro. Centro de Cultura da Academia Brasileira de Letras. Rio de
Janeiro/RJ.

Coletiva de Artistas [Encontro Natureza II]. Fundao Natureza. Nova
Friburgo/RJ.

1991

Inconformismo: A Esttica da Modernidade. Cmara Municipal da Cidade do
Rio de Janeiro. Rio de Janeiro/RJ.

1994

Luzes da Serra. Exposio Individual. Centro de Arte de Nova Friburgo.
Nova Friburgo/RJ.

Premiaes na rea de artes plsticas

Medalha de bronze. II Encontro Fluminense de Artes. 1986.

Medalha de bronze. II Salo de Vero de Angra dos Reis. 1987

Artista da Mais Alta Sensibilidade. Homenagem do Clube Cultural de Nova
Friburgo. 1987

Medalha de Ouro. V Salo de Vero [Iate Club Brasileiro - Rio de Janeiro
- RJ]. 1989

Medalha de Ouro. V Salo de Artes Plsticas da Ass. de Artistas
Plsticos profissionais do Rio de Janeiro. 1989

Melhor obra. Inconformismo: A Esttica da Modernidade. Cmara Municipal
da Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro/RJ. 1991


quimas@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s