s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Raimundo Nonato da Silva
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Um mundo desconhecido
Autor poeta
Raimundo Nonato da Silva


Tava dormindo e sonhei
Com um lugar que no conheo
Era um lugar deferente
Sem fim sem meio nem comeo
Cidade desconhecida
De casas sem endereo

S Deus sabe e eu conheo
Porque avistei em sonho
No um conto de fada
Apesar de ser risonho
Mas, o lugar do jeito.
Conforme aqui eu componho

Esta cidade do sonho
No achei ornamentada
Cada pedra era uma casa
E servia de morada
A pedra era bem molinha
L de duro no vi nada

No sul no norte que nada
No estar em nem um plo
Nem no cu e nem no ar
Nem na gua nem no solo
Nem no alto nem embaixo
Nem tambm no subsolo

No h nenhum ser de colo
Neste lugar diferente
Parte intima ficam atrs
A ndega fica na frente
E a cabea de banda
Ningum parece com gente

A boca de cada vivente
Parece um cacimbo cheio
Cada lngua dar dois metros
Cada dente metro e meio
povo triste aquele
meu Deus que povo feio

No tem nada de beleza
Eita lugar esquisito
Sem cor sem comer sem gua
No tem silencio nem grito
Doce insosso nem salgado
No vi nada de bonito

Neste lugar esquisito
Pode crer eu lhe garanto
Se hoje ele estiver aqui
Amanh ta noutro conto
No tem menos nem tem mais
Tudo de um s tanto

O olho de cada um
uma fogueira acesa
No tem cama nem tem rede
No tem cadeira nem mesa
No lugar no tem nem terra
L eu vi muita tristeza

No tem diabo nem tem santo
Nem o bem e nem o mal
E quando no sobe desce
Sempre muda de local
Sem andar e sem voar
E sem ser espacial

No tem dor nem hospital
Nem doutor e nem remdio
Ningum sente amor nem casa
Nem ri nem tem dor de tdio
O buraco do nariz
De cada um um prdio

Ningum vai por intermdio
Nem dela nem tambm dele
Ele diz que gosta dela
Ela diz que gosta dele
Meu Deus que terra aquela
Que povo feio aquele

L eu os vi ela e ele
Os dois numa s funo
Ele era o presidente
Daquela triste nao
E ela a primeira dama
Deste pas de iluso

Meu deus que triste nao
pas ruim da peste
Sem distrito federal
Sem capital sem nordeste
Sem estado e municpio
Sem serto e sem agreste

No tem leste nem oeste
Prefeito sem prefeitura
Governo no tem palcio
Poltico no tem mistura
L tudo igualitrio
No vi ningum com frescura

Falei a verdade pura
Acredite seu Joo
Que l carro anda sem roda
Sem macha e sem direo
Sem freio e sem gasolina
Sem ser no ar nem no cho

Ningum usa arma na mo
Diz que guerra sem futuro
L ningum toma emprestado
No tem agiota e juro
Ningum v um fruto verde
Mas, tambm no tem maduro.

No tem claro nem escuro
Eu nem gosto de pensar
No tem rio nem aude
Terra montanha nem mar
No sei como aquele povo
Mora naquele lugar

rvore e pssaro no eu vi l
L no tem vegetao
Nem jornal e nem revista
Radio nem televiso
Este pas s parece
Com minha imaginao

Tem outra lua e outro s
Pode acreditar que tem
Deus participou do sonho
Que eu participei tambm
Nem a de do sonho
Eu no falei pra algum

Eu ainda vi tambm
Um monstro forte e grado
No lugar das pernas os braos
gigante cabeludo
L eu s no vi aluna
Professor e nem estudo

Foi o pas mais grado
Que em sonho pude ver
Eu sonhei, mas um sonho.
Que eu queria esquecer
Outro sonho ruim daquele
Nunca mais eu quero ter

S em pensar em dizer
Veja s causa atropelo
Cada animal diferente
Com cada tipo de plo
S em v me arrepiou
Cada fio de cabelo

meu Deus que desmantelo
Eita lugar diferente
Este pas to feio
Tem cada tipo de gente
Nunca mais eu quero v
Aquele mundo na frente

Tm cientistas inteligentes
Que diz que so entendidos
Que sabe um pouco dos astros
E pensam que so sabidos
Mas, no descobrem que Deus.
Tem pases escondidos

Em busca de outros sentidos
Eu vi nesta terra infinda
Que apesar de no ser
Uma nao tima e linda
Mas, tem remdio pra AIDS.
E o Brasil no tem ainda

No uma terra linda
Mas, quem vive l tem chance.
De no ser vitima da AIDS
E de no morrer de cncer
No tem tiro de canho
E nem tem mssil de lance

O homem no tem alcance
Sabe Deus e o meu eu
Talvez ningum nunca sonhe
Um sonho como este meu
Este sonho um presente
Que pai do cu me deu

Se algum sonhou esqueceu
No teve conhecimento
Pois se tivesse podia
Ter morrido no momento
Muito embora esta cidade
Est no meu pensamento

Foi grande acontecimento
Outro talvez no acontea
Um quer v e se lembrar
Outro pede que eu esquea
S sei que coisa de mais
Para uma s cabea

Em neste pas existe
Coisa errada e coisa exata
Menino com voz de homem
Cachorro com voz de gata
Num sonho eu tambm pensei
Que eu era um vira lata

De vestido eu vi barata
De palet percevejo
Cala com mais de cem pernas
Feita para caranguejo
Uma cobra engoliu outra
S quando foi dar um beijo

Eu mais nunca em sonho vejo
Este lugar de magia
Aonde o homem engravida
E burra tambm da cria
Mas, antes deu descobrir.
Deus de tudo j sabia

No lugar de magia
Mas, tem acontecimento.
Em cada canto a surpresa
Pega a gente no momento
Um ser com cara de gente
E o corpo de jumento

O jumento o transporte
L daquela regio
Pernas e braos os pneus
As orelhas a direo
Os olhos so os faris
O freio o rabo que ns
Paramos com puxo

Sim antes que eu esquea
Neste meu sonho sonhado
Em vulto eu ainda vi
Doze paises de lado
Quando eu fui v o que era
Na hora fui acordado

Este tal lugar falado
L no tem homens ateus
No tem diabo nem tem santo
Escribas nem fariseus
No tem o bem nem o mal
Tambm foi feito por Deus

O Poeta
Autor Raimundo Nonato da Silva

Sou simples, mas sou poeta.
Por isso agradeo a Deus
Porque atravs do verso
Canto os sentimentos meus
Mas quem no nasceu poeta
No pode cantar os seus

Eu canto os meus e os seus
Seja alegria ou tristeza
Sou um poeta plebeu
Convivo com a pobreza
Mas a minha poesia
Eu no troco por riqueza

J pensou se na pobreza
Que eu vivo todo ano
Se eu no fosse repentista
Pra cantar meu desengano
Eu no sentia alegria
E era um homem sem plano

Eu paquero com a rima
Namoro com a cantoria
Sou noivo com a viola
Casado com a poesia
E junto com a inspirao
Tenho tudo que queria

Sou um amigo do verso
Companheiro do repente
Colega do improviso
Que chega na minha mente
F da musa inspiradora
Que me faz ser sorridente

Deus me deu eu acho bom
Esse dom como uma oferta
uma ddiva to boa
Que eu fiz a descoberta
Que eu s devo usar ele
Quando for hora certa

Gosto tanto da viola
E do seu bonito som
Se Deus quisesse trocar
O mundo todo em meu dom
Eu ainda no trocava
Porque cantar to bom

Poesia meiga e pura
Mais doce do que gelia
Sou um aluno de Deus
E amigo da platia
Eu sou humilde mais tenho
Assunto sonho e idia

Sou menestrel sou aedo
Sou um poeta sou vate
Minha poesia pura
Contem o melhor quilate
Sou um heri sou guerreiro
Que no foge do combate

Suo compositor sou musico
Sou bardo sou um cantor
Sou escritor da natura
E como sou trovador
Nada fao para mim
Sim pra louvar o senhor

A minha imaginao
como um computador
Seu quiser fao um desenho
E pinto com qualquer cor
Por que Deus mim fez poeta
Desenhista e bom pintor

Eu tambm suo escultor
Sei esculpir e talhar
Sou pedreiro e escritor
E gosto de trabalhar
E sou at um cantor
Quando eu quero cantar

Na cultura popular
Aprendi fazer repente
Tem muita gente que diz
Voc inteligente
Quem sabe um pouco de tudo
Ento polivalente

Outro diz que minha mente
uma fonte que cria
O meu desenho parece
Com a minha poesia
E a pintura do verso
Vou fazendo todo dia

O poeta detetive
Curioso e jornalista
Pensa pra poder fazer
Canta toca e repentista
No tem artista maior
O poeta maior artista

Se o carro sair da pista
Ele ou o motorista ruim
Poeta no sai da mtrica
Deus fez o poeta assim
Pra andar na linha reta
Certo do principio ao fim

Atravs da poesia
O poeta faz novela
Filme e escreve romance
De uma forma muito bela
S sbio entende o poeta
O que ele faz Deus revela

O poeta escuta e fala
muito meditabundo
Inspira e inspirado
Por ele ser to profundo
Quem poeta no vive
Muito tempo aqui no mundo

O poeta oriundo
Confunde os homens ateus
Quem ver sua inspirao
E os lindos versos seus
Passa acreditar no cu
E comea chamar por Deus

Ele estar perto de Deus
Mesmo o cu sendo distante
Faz do improviso um carro
E passa a ser viajante
Atravs do pensamento
Anda o mundo no instante

O poeta um amante
Ele conhece o amor
Dubl e cineasta
Ator e um grande autor
Mesmo que quem tenha inveja
No conhea o seu valor

O poeta locutor
Interprete musico e palhao
Mesmo que a mdia se esconda
Sem querer lhe d espao
O inteligente sabe
Que ele vai passo a passo

O poeta um pedreiro
Arquiteto e tem talento
construtor que faz prdio
Edifcio e monumento
No alicerce da rima
Com a planta do pensamento

Se voc est doente
De amor e de paixo
Venha e fale com o poeta
Que vai saber com razo
Que ele o Psiclogo
Da mente do corao

Sem precisar de lio
Seja o grande ou o mido
Ele faz do pouco muito
Multiplica contedo
Um homem simples e humilde
Mais sabe um pouco de tudo

Apenas disse um pouquinho
Do que voc quer saber
Espero que este pouco
Der pra voc entender
Que o poeta tanta coisa
Que eu no sei nem dizer

Poeta advogado
Que defende a natureza
um juiz sem justia
E sem fora pra defesa
Por isso que o Brasil
Ta cheio de safadeza

Poeta no um ndio
Mais sente o que o ndio sente
Porque poeta se inspira
Olhando o meio ambiente
aluno da natureza
A professora da gente

Poeta inteligente
Todo sbio dele f
Ele especialista
Estuda hoje e amanh
Chama o pssaro de colega
E a rvore de irm

Poeta sabe escutar
A voz linda do trovo
E ele diz que Deus
Dando uma grande lio
A um ensina viver
E noutro passa caro

O poeta tem noo
E gosta de passear
Vive mandando recado
Das guas do rio pro mar
Por ser um artista nato
Tem o mesmo linguajar

Ele sabe at chorar
Mais s gosta de sorrir
Um quer lhe elogiar
Outro quer diminuir
Mas o poeta nem liga
Sabe que vai conseguir

Ate-nos que despontaram
E nasceram para a luta
Ta nos lbios da donzela
No doce que tem na fruta
Naquele que goza a vida
Delicia-se e desfruta

Poeta estrategista
Especialista em beijo
Sabe se realizar
E sabe matar desejo
Esperteza de poeta
Em outro homem eu no vejo

Poesia esta no homem
Sbio que busca o estudo
Na cobra de corpo liso
E no pre cabeludo
No falta esta, mas em nada.
Vejo poesia em tudo

Poesia esta na me
Que sente uma grande dor
Sujeita a morrer no parto
Para provar seu amor
Inda tem filho ruim
Que no quer lhe dar valor

Poesia esta na haste
No caule e tronco da planta
No quadro da natureza
Que retrata a musa santa
Nos sons das nossas violas
E nos versos que a gente canta

Poesia esta tambm
Na brisa quando flutua
Nos reflexos doa estrelas
No brilho lindo da lua
E no apito do guarda
Que deixa o eco na rua

Poesia esta nas obras
Boas que so construdas
Nas ovelhas encontradas
E nas que esto perdidas
E at no oxignio
Que indispensvel vida

Poesia esta na glosa
No vate e na emissora
No estudo do aluno
No saber dar professora
E no menino Jesus
Que nasceu na manjedoura

Poesia esta na greve
Do professor na escala
No rico que tem de tudo
No pobre que pede esmola
No mensageiro da rima
Quando pega na viola

Poesia esta na torre
Construda em babel
Na coragem de Abrao
Na espada de Miguel
E no nctar aucarada
Que abelha produz o mel



Biografa:
Raimundo Nonato da Silva

http://poetaraimundononato.blogspot.com/

poetaraimundononato@hotmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s