s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Gilrberto Bastos Jr.
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Carnavais____________________

Nos carnavais de minha vida
vi diversos blocos reais:
vi o bloco dos famintos
que com sua melodia castigada
soava essa cano sem esperana.

Vi jovens loucos copulando a noite inteira
disseminando seus vrus alienados nas esquinas
marcando com total ignorncia as suas sinas.
Vi aqueles que contaminados choraram
por ter vivido tamanha sujeira.

Vi o bloco das mulheres barrigudas
que “fantasiadas” de misria, lavaram
as roupas imundas da pobreza em si.
Vi o bloco das crianas ossudas
cadveres de leite nas ruas frias.

Nos carnavais de minha vida
vi minha juventude partidria,
decepes d’aqueles que o capital comprou.
Amigos vendidos a blocos de mentiras
dinheiro maldito que ao amor matou.

Vi nas ruas, chuvas de lgrimas
nas cabeas prostradas para a derrota
entoando cmicos hinos de de-sistncia.
Generais-palhaos ordenando seus exrcitos de covardia
e os pierrots-tristezas largando suas armas.

Mas vi a esperana novamente saltar de mim
eu poo de tamanha descrena...
Banhar os blocos dos suspirados excludos
formando cordes de combatentes, folies-rebeldia
despertando na luta, sua verdadeira maestria.

Gilberto bastos jr.

ILUMINADOS

A manh desperta novas drogas ao terceiro mundo.
Os cordeiros da TV absorvem a nova programao
absurda do talk-show demonaco.
Eles dominam a informao e me tiram a prpria verdade
e eu me curvo.

Donas de casas imaginveis do nordeste
sonham com a libertao de seus sonhos
atrelados pela priso do entardecer s.
Suspirando solido no cmodo crcere da dor.

Diariamente, corpos cremados de trabalhadores descartveis
alimentam a indstria do poder econmico
e a mecanizao do amor edifica
os novos bebs da desgraa.

Nos templos sagrados da farsa
o comrcio da f, cmplice do apocalptico caos
coordena com pacincia, o exrcito dos desalmados.

Enquanto isso nas esquinas iluminadas pela fome,
o Davi das ruas, com sua pedra de crack
derruba o enorme Golias da sociedade.

gilberto bastos jr.

no sou
No sou Alice no pas da porcaria
muito menos a ndega multicor
que rebola na TV;

No sou o Chuck ou o Bond boca
da indstria farmacutica
nem o desdentado Brasil.

no sou palavras tolas enfiadas na
memria por uma propaganda norte-americana
de pssima qualidade,
nem a dublagem incompetente
deste vdeo de merda.

No sou o menino experimental do Murilo Mendes:
o terrorista ateando fogo aos santurios vazios
da mtrica.

No sou cobaia de voc: tola mulher
que com seu laboratrio de paranias
chamado cabea, manipula seus ratos
entre suas pernas.

No sou o brinquedo moldado
pelas mos dos canibais da cultura,
a procura de baratas massas de manobra.

Muito menos sou o messias bundo
que se isenta de viver, pra se foder
pelos que o trai diariamente.

No sou a beleza que te inspirou
nas madrugadas inslitas de solido
nem o conforto que te aliviou.

No sou o ator que jurou prazer
nem o msico competente que
soletra acordes financeiros a podre
indstria do jab.

No sou o poeta que recita suas merdas ao luar.
nem me sento nos viscosos assentos das
academias excludentes da palavra.

Sou um uivo unssono e perifrico
engrossando o caldo da palavra livre
pra mostrar a realidade daqueles
que pensam sob o manto imundo
da excluso.

Gilberto Bastos Jr.
marginalegal@hotmail.com


biografia:

GILBERTO BASTOS JR. Participou do Coletivo Literrio de Olinda no final dos anos 80 onde iniciou sua carreira literria. Vindo a Joo Pessoa, formou junto com Diogo Freitas a banda de rock: O Silo. Iniciou a produo de zines e colaborou com o movimento hip-hop. Atualmente edita o zine UIVO, colabora no informativo SINTNIA CIDAD, no jornal TRIBUNA DO VALE sob o pseudnimo de Maciel Caju. Atua ativamente na articulao do Frum Metropolitano de Comunicao Comunitria e dirige o Coletivo da Rdio Comunitria Zumbi dos Palmares FM.
escritor autodidata e teve suas obras [poesias] publicadas nas coletneas: Olhos d’alma e Prgula Literria 6. participa da articulao nacional Literatura no Brasil junto com nomes como: Ferrz, Mano Brown, Sacolinha, Fernando Bonasse entre outros e membro do Conselho de Cultura de Itabaiana.

Participou em diversos concursos literrios se destacando em Barra Bonita [SP] onde venceu a categoria consagrados com o poema: Carnavais. Em valena [RJ] onde ganhou Meno Honrosa com o poema:
Do cais do Apolo a rua da Aurora no 6 concurso poeta Nuno lvaro Pereira. Em Colatina [ES] onde ganhou tambm Meno Honrosa no concurso Aldifax de Poesia com o poema: Poemador. Se destacando entre outros.

Ministrou oficinas de poesia livre nas comunidades da zona sul de Joo Pessoa em 2004.

Ministrou oficina de poesia no Centro Cultural Hip Hop de Abril a Agosto de 2004.

Participou de mesa redonda sobre literatura marginal na 50 Feira do Livro de Porto Alegre, juntamente com Ferrz, Alessandro Buzo [SP] e Fred Maia [PI] em novembro de 2004.

Participa da articulao nacional do MHHOB – Movimento Hip Hop Organizado Brasileiro.

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s