s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Gleydson Martins
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
'Uma vida e meia'

Que as sombras da noite...
Estejam apenas janela afora...
Que o frio do inverno...
Chegue somente quando formos embora...
Enquanto estivermos juntos...
Que os momentos no se tornem apenas memrias...
Ento que se faa o que houver de fazer...
No basta um momento, minuto, uma hora...
Se lutar, perder, vencer ou sorrir...
S basta se estamos juntos aqui...
E que o calor do vero...
Passe to rpido quanto outra estao...
Que as folhas do outono...
Possam voar livremente sem direo...
Se estivermos caminhando...
A estrada no precisa ser perfeita...
Pois mesmo se vier a tropear...
Haver algum em quem apoiar...
E mesmo em meio a mais densa guerra...
No ser preciso olhar para trs...
Pois sempre haver algum para te vigiar...
E quando seguindo no escuro...
Contar com um segundo olhar...
Ento que se faa o que houver de fazer...
No basta um momento, minuto, uma hora...
Se lutar, perder, vencer ou sorrir...
S basta se estamos juntos aqui...
E se no se pode ser uma vida por inteira...
Mesmo que dividindo o mesmo ar ou distante...
Poderiam ser duas, trs, quatro, cinco...
Mas se todas no podem ser a mesma...
Ento que sejam ao menos uma vida e meia.

'Estranhos Conhecidos...'

Em meio a todas as certezas das minhas dvidas
Foi o que sempre existiu...
Tudo que era duradouro em um curto perodo de tempo
Incoerncias em meio a devaneios...

Pessoas que nos so importantes aparecem do nada
Por um momento achamos que tudo que precisamos
Mas ao raiar de um novo dia no existe mais nada
No importa o que pensamos...

E na multido de nosso cotidiano...
Vemos tantos rostos que j significaram algo
Em tantos momentos de felicidade...
Em um riso... Um gesto... Um desabafo...

E sem ao menos um momento para dizer
O que deveria ser importante...
Sem ao menos uma oportunidade para fazer
O que no foi feito em um ltimo instante

Conhecidos que se cumprimentavam com abraos
Tudo estava aqui... Agora se foi...
Estranhos que nunca se falam...
Nem ao menos um oi...

Conhecidos que ficariam juntos para sempre
Por favor... No v embora...
Estranhos que apenas respiram o mesmo ar
Ainda est aqui... Porque demoras?

Conhecidos que dariam tudo um pelo outro
S o que importa a verdade...
Estranhos que ao menos se encaram...
Se tiver o que precisa... O resto vaidade...

tudo o que achamos que nunca esqueceremos
Tantos momentos... Choros e risos...
Meu Deus... D-nos mais tempo...
Para reconhecermos esses estranhos conhecidos.

'Cego de amor'

Ento se foi...
Mesmo que estivesse aqui por todo esse tempo...
Se foi sem nem ao menos um lamento...
E por mais que tivesse ficado por todo esse tempo...
Se foi em qualquer momento...
E te amei muito mais...
Do que minha capacidade de te esquecer...
Te amei ainda mais...
Do que um dia voc vai saber...
Ento estava aqui...
E em todo lugar queria te encontrar...
No havia sentido se voc no estava l...
Com seu cheiro doce que perfumava qualquer lugar...
At mesmo se resfriado ou contra o vento...
Podia senti-lo antes mesmo de voc chegar...
E te amei muito mais...
Do que minha capacidade de te esquecer...
Te amei ainda mais...
Do que um dia voc vai saber...
Ento em qualquer hora...
S me importava com seu sorriso...
Sempre preferi um desses a um suspiro...
E preferia um abrao a um beijo...
Apenas para que tivesse mais um momento comigo...
E te amei muito mais...
Do que minha capacidade de te esquecer...
Te amei ainda mais...
Do que um dia voc vai saber...
Ento...
So apenas costas distantes...
Olhares que no mais vo se cruzar...
So apenas passos sob o sol de vero...
Pegadas que no vo para o mesmo lugar...
So apenas sonhos que perderam sua estao...
Planos que continuaram a vagar...
So apenas olhos cegos de amor...
Que perderam o brilho quando passaram a enxergar...
Ento sei que te amei muito mais...
Do que podia entender...
Certamente te amei bem mais...
Do que conseguiria fazer voc ver.

biografia:
Gleydson Martins

- Formando em Publicidade e Propaganda em 2010.
- Gerente de Marketing em uma Indstria de Cosmticos na regio de Campinas/SP.

Nasci em Teresina-PI, mas vim para So Paulo alguns meses depois. Cresci no Paran e ao fim da Adolescncia estava em So Paulo novamente, onde estou at hoje. O futuro Deus ainda no revelou.
Comecei a escrever quando tinha uns 10 anos de idade e acho que no tenho coragem de publicar os textos daquela poca, contudo ainda os guardo com muito carinho.
Creio que devo ter puxado ao meu pai, escritor, o gosto por escrever, apesar de me considerar totalmente diferente dele.
No posso me considerar um poeta, pois no escrevo sempre, mas sempre que tenho inspirao, mesmo que isso acontece com certa freqncia. Ser poeta est mais para uma condio que um estado de esprito, ento no poderia me considerar um poeta mesmo se quisesse.

Contudo, a vida continua indiferente a nossas crenas, receios, aspiraes...

gleydson.m7@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s