s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Amlia Faustino Mendes
Nacionalidad:
Cabo Verde
E-mail:
Biografia

1- Apenas sou mulher

Saio de casa com o pé direito,
Com a mão esquerda puxo o fecho da porta
Com a direita um safanão, as calças endireito
Para que a directa costura não fique torta.

Entretanto, a Tiranesa aparece
Com a língua que a ninguém oferece
No entanto, com ela sempre bate
Ao transportar informações sem iate!

De olhos quadrados de um castanho escuro,
Contrastantes com uma tês clara rectangular,
Dois buracos revestidos de cápsula triangular,
Sob eles, uns lábios de ultrapassado esturro.

Observa-me nas duas bolas que alternam a subir e descer,
Que se mexem e rodopiam em competição sadia,
Tropeçando na linha da costura a se desfazer
Não se contendo em si, com o \\\'a\\\' aberto, dizia:

Ah que lindas garupas estou eu a ver!!!
Que coisas faz com elas que assim estão,
De tão regulares que iguais não hei-de ter,
Deixe que se macias saiba com a mão!

Credo Jesus batareto, longe de mim,
Mão desgraçada, olhos de finado ruim,
Boca fendida a catanada de Godim
Que nem consegue assegurar pudim!

Esta é que é a minha comida de certeza!
Tem que vir um dia comer na minha mão,
Nem que para isso tenho de semear a esperteza
Para fazer a colheita de salsichão!

De certeza negativa e esperteza inexistente
Siga o caminho de homem na pele de mulher
Que eu, de mulher, tudo de mim é patente
Por qualquer mulher tenho só a amizade a querer.

Amália Faustino, 19 de Outubro de 2010

2- Uma evidência

Soltam mais faíscas por motivos sofredores banais,
Do que ao queimar os dedos das mãos, estourando o cérebro,
Contorcendo os músculos estirados ao bazar pedais
Dispostos em jeito de telhados em redobro.

Se a cada dia que passa, mais pesa a desconsideração
É porque pérfidas mãos escrevem com dedos diabólicos,
Longos textos despropositados para a esterilização
De decisões que vêm desferindo traumas melancólicos.

No entanto, a deliberação que tarda a concluir
Aliada a frases irreflectidas que se proferem,
Como aquelas que de bruxarias têm estado a vir
Que promovem desregradas atitudes que a todos ferem.

O meu destino, que já é agitado e sombrio,
Envolve-me numa melancolia colérica.
Neste estilo de vida a que eu não resigno,
É porque dela desenvencilho em luta enérgica.

Amália Faustino, 7 de Maio de 2010

3- Palavras soltas em partidos

Antes de tudo permitam-me escrever palavras soltas
E pedir-vos que com elas construam o sentido,
Percebendo que estando fora de lista e sem pistas
Não se encontram amarradas a qualquer partido.

Partido no sentido das palavras, conhecimento multifacetado,
Labirinto semântico percorrido, recolha feita no horizonte,
Ambiente de convivência fundamental bisbilhotado,
Sem perda de controlo, segue a construção da ponte.

E a ponte do partido e do sentido, construídos
Palavras imbuídas em ondas de fortes decibéis,
Bocas movem os olhos fechados e ouvidos destruídos
Sem luz, nem sons, e onde estão as verdades credíveis?

As verdades, estas não existem em qualquer lado,
A luz da lua, estrela em planeta, com apagões
Mentira vestida de luz, verdade em atrelado
Procura atropelar nas passadeiras os incautos peões.

Os incautos peões atravessam falsas passadeiras
Ou fora delas colocam os pés na armadilha,
Verdades e mentiras, paralelamente em cadeiras,
Esperam calçar botas com uma boa palmilha.

Verdades e mentiras de identificação difícil
Essência é a diferença que a forma esconde
Na tomada de partido, cada calda em seu barril
Cada brasa, sua cavala e o sujeito põe-se a monte.

Amália Faustino Mendes, 26 de Outubro de 2010

biografia:

Amália Faustino Mendes,
filha de Faustino Mendes Correia e de Ermelinda Semedo Furtado, nascida a 22 de Julho de 1957, em S. Miguel Arcanjo, Pilão-Cão onde frequentei a escola primária e aprendi a ler e escrever. Frequentei um curso de Professora realizado na Escola de Habilitação de Professores de Posto, durante 1971 a 1975, a partir desse ano leccionei nas escolas básicas e coordenei professores do ensino básico e fui estudando para completar o ensino secundário; de 1992 a 1995 com o 12º ano de escolaridade, frequentei o curso de bacharelato para professores de ensino secundário, na área de Estudos Cabo-Verdianos e Portugueses, no Instituto Superior de Educação de Cabo Verde, estando na altura a leccionar no nível de ensino secundário. Continuei os estudos universitários no mesmo instituto, para completar a licenciatura; Em 1997 concorri a carreira de Inspectores de Educação, tendo sido aprovada em 1º lugar, exerci esse cargo, e frequentei um outro curso de licenciatura em Educação - Recursos Humanos e Gestão da Formação, na Universidade do Minho, em Portugal, de 1999 a 2001, e concluí com a nota de 16 valores, com essa formação, leccionei no Instituto Superior de Educação em 2003. Em 2004 fui nomeada Inspectora Geral da Educação de Cabo Verde e exerci esse cargo até o fim de 2007. De 2007 a 2009 frequentei e concluí, com 18 valores, um curso de mestrado em Língua e Cultura Portuguesa, na Universidade Clássica de Lisboa; actualmente, sou Inspectora Superior de Educação em exercício nas instituições educativas de todo Cabo Verde. Os meus interesses: nascer e cerscer na escrita critiva: poesia e prosa.

amalia_cv@yahoo.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s