s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Glria Salles
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

“Do que escrevo”

Meus escritos são sobre a vida
Do movimento deste ciclo intenso
Da história bem ou mal vivida
Do momento raso, e do instante denso
Escrevo quando sinto o beijo da aragem
Ou se fustigantes ventos me agitam
Do amanhecer, da perfeição desta imagem
Ou se os mais secretos sentimentos gritam
Falo da fantasia que alimenta o coração
Camuflada nos tópicos da minha realidade
Falo das tormentas que entremeiam a emoção
E da placidez que permeia minha verdade
E é na multidão densa da minha solidão
Que deixo o verso expor a nudez do coração

Glória Salles

“Amor de folhetim”

Chegou de mansinho como uma brisa.
Olhar doce que me esquadrinhou.
No silencio que se fez, ouvi tua fala.
E nos versos do meu poema caminhou.

No contorno da tua boca me perdi.
No sorriso que me farta e enlouquece.
Abandonei-me nesse abraço sem lembrar.
Que sempre se vai, parece que me esquece.

Escorrega, feito papel em ventania.
Então, sobram entrecortadas falas.
E um silêncio abissal, que se instala.

Espera massacrante, são meus dias.
Tua ausência desfia laços em mim.
Porem quero esse amor de folhetim.

Glória Salles

\'Não sou santa\'

Sou rio que corre dócil e sereno
Perde-se em circuito num mar bravio
De ilusão em versos reeditados
Que acarinham meus bichos no cio.
Sou fogo predador, fêmea visceral.
Sei tecer intimidade com a solidão.
Sou clareira invariavelmente aberta.
Alma cativa da letra e da música.
Acovardo-me às vezes frente ao nada.
Se recuo e avanço é pra me blindar.
Visto-me de folia, inauguro guardados.
Num olhar de mormaço posso me arruinar.
É no brilho do luar que tudo aflora.
Madrugada indecifrável, lampejos.
Aí sou rio que sem represas flui aberto.
Arqueira impávida dos próprios desejos.

Glória Salles

Biografia:
Glória Salles

Sou uma mulher intensa e desmedida
ao deixar escoar as emoção, sem a menor reserva.
Minhas ações por vezes são falhas.
E sei que meus pecados são muitos, sempre por demasia,
nunca por omissão.
Escrever pra mim, é como respirar, é necessidade,
e tudo está de certa forma no contexto da minha vida.
Não sei se são de fato poemas, nem reivindico
para eles qualquer elogio ou beleza.
São, no entanto sinceros...
Quem sabe breves momentos de plenitude.

Glória Salles

**Participações em Antologias:

Antologia da Poemas á Flor da Pele, volume 3
Antologia Paquetá a ilha da Poesia
III Antologia Poetas Virtuais

sallesglo@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s