s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Bruno Linhares
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

Manifesto

Uma poesia cálida
que adormeça a fome
entorpeça o frio,
mas não cale
quem incendeia
a cidade ávida.

Uma poesia pálida
que desvende o brilho
dos simples e dos tímidos
e denuncie o palavrório fácil
dos autoproclamados arautos.

Uma poesia árida
que escancare as faltas
e desencadeie a descoberta
das novas trilhas
pras águas claras.

Uma poesia esquálida
que se misture
com os pobres e suprimidos
e se empanturre com o sal da terra
dizendo sim ao sul dos sentidos.

Uma poesia rubra
que acenda a chama
das brasas escondidas
e estenda a manta
sobre a noite
já parecida
com as primeiras horas do dia.

Uma poesia nua
em que cada qual
reconheça um sinal
uma sílaba, um pedaço
dos seus êxtases e
de seus percalços.

Porque

Tantos
muros
o
futuro,
clandestino,
é
um
pulo
rumo
a
um
polo
escuro.

Geografia
dos
encontros
achar
os
pontos
ligar
as
guias
descobrir
sinais
achacar
as
esperanças

chegar.

Tempo Rei [bis]
[inédita]


Até que veja a aterradora núvem
cogumelo,
ou outra forma de flagelo
em que se transforme
a perversa arma
alma atma de gigante hecatombe.

Até que outra onda,
das mortais,
venha afogar as nossas iras
banais
ou provocar espasmos nos halos
de ozônio.

Ou até que, simplesmente,
a cortina se cerre
e nosso espetáculo termine
sem palmas, sem bravos,
sem vivas.

Até então, esse pôr do sol
sobre as núvens
[de um laranja que mancha
teus olhos
de um ó suspirado
num tapete encantado
negro e azul
furado de estrelas
que caem de teus cílios
cos e lírios]
dirá que cada minuto vale
seu preço [de tempo]
esculpido nas rugas crescentes
tatuado no branco dos pelos.

biografia:

Bruno Linhares
nasceu em 1958 na cidade do Rio de Janeiro e escreve poesias desde a adolescência, quando pôde participar da efervescente cena poética do Rio de Janeiro, onde a dita Poesia Marginal atingia corações e mentes da juventude. Em paralelo com sua atuação em Literatura e Poesia, participou da resistência ao regime militar e atuou como animador cultural nesta cidade. tendo fundado e presidido a Casa Cultura Solano Trindade, em pleno Complexo do Alemão [bairro proletário, conhecido internacionalmente pela violência] e outras inciativas.

Publicou o livro \'Fronteiras, Encontros e Partidas\' e é o fundador e editor do magazine literário virtual www.poesianarede.com.br, onde lançou a campanha \'Poesia pela Paz\', a qual convida o movimento \'Poetas del Mundo\' a integrar-se.

Trabalha como executivo na área de Marketing Digital.

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s