s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

ndia Libriana
Nacionalidad:
Cabo Verde
E-mail:
Biografia
OUTROS OUVIDOS PARA AS MINHAS QUEIXAS

As paredes me confessaram em cicios sentidos
que esto arqueadas as suas costas
e o peso dos meus ais j nelas expostas
fazem delas carpideiras de amores partidos...

Que nelas h lgrimas que choram de abandono
e fazem deslizar outro pranto em flor,
ressentidas j pedem para trocar de dor
por isso no aceitam desculpas nem suborno...

E viram meu recato muitas vezes por um fio
e ajuizaram porque estava eu de aceso pavio,
do haver torrentes a sugar minhas madeixas...

E seu desgosto a eterna desconfiana
que nelas ainda deposito e a sua desesperana
em no haver outros ouvidos para as minhas queixas

ndia libriana
[04Novembro2007]



LAGINHA

Laginha mais quando vestida de corpos,
de quase-nudez - a sua mais bela silhueta -
que se faz dos cncavos das beldades
e dos convexos torneados e viris,

um chocolate de todos os sabores,
tela que se pinta o ano inteiro
num castanho de todas as cores
atiada nos Veres com estampa diasporizada...

E v-la a ser contemplada com olhos dos sentidos
de to cobiada, h onde queriam e queiram
uma Laginha loira, morena e ruiva como a nossa ...

almejada tambm no bronze que o Rei
deixa na ctis de quem nela se deleita
e no mel dos olhos de quem toca a sua plenitude

ndia Libriana
[Agosto2007]



AO RELENTO DE TI

Estive a dormir ao relento de ti, Luar
e das tuas atpicas aparies de rara deidade,
ficou em mim esse estado de tudo a minguar
mas ignorando propositadamente tua bondade,

com o corao na mo e lamparina de luz potica
desci, medo adentro neste anoitecer,
me acompanhou esta solido peripattica
que no itinere fez a esperana desfenecer,

sufocando o vazio a doce ctara,
melodia que servida decresceu a saudade
e partilhamos nozes e vozes num sorvo da xcara

que me ensinou que no vazio o espao maior
para semear um sonho e colher alvorada crescente
ainda que seja devir, de Herclito o melhor presente

ndia Libriana
[Agosto2007]


BIOGRAFIA
ndia Libriana

Maria Tereza de Jesus Assuno
, nasceu a 15 de Outubro de 1966 na Vila da Ribeira Grande em Santo Anto Cabo Verde. Reside em So Vicente desde 1991. Trabalha na TACV [Transportadora Area de Cabo Verde - So Vicente h 16 anos.
Em 2005 fez o Curso de Iniciao Teatral e com outros actores criou a Companhia de Teatro SARRON.com
Como actriz j representou algumas Peas de Teatro tais como: - Sfamlia, Rei Lear, Up-Grade B Democracia e Um Vez Sncent era Sb Este ltimo um musical de Neu Lopes.
scia da Associao Artstica e Cultural Mindelact e actualmente desempenha funes na Direco. Esta Associao realiza todos os anos em Setembro o Festival Internacional de Teatro Mindelact, evento que concentra Artistas de Teatro de vrios pases do Mundo.
colaboradora do Jornal Raizonline [raizonline.com]; Membro de Os Confrades da Poesia Amora / Portugal.
Escreve poesia desde a juventude, mas de forma organizada e sistemtica s desde 2002. uma pessoa atenta ao mundo que a rodeia e isso reflecte na sua poesia leve e sensual.
Usa o pseudnimo ndia Libriana que surgiu em Fortaleza Cear Brasil., inspirada na ndia Iracema e Libriana por ser ela uma nativa de Libra.

Blog: napeduvid.blogspot.com [ainda em construo]

teja_assuncao@hotmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s