s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Maria de Ftima A.Guimares
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

SALVADOR,MINHA TERRA NATAL
Salvador , cidade que nasci e me criei
Plantada sobre a monhanha e penetrada pelo mar
Esta cidade de todos os santos sempre amei
Tem muito a oferecer desde o dia raiar
No batuque do samba de roda e afoxé sempre me dei

Em todas as muitas cidade que morei
Eu a revi num detalhe de beleza
Já que é a mais antiga capital do país é digna de rei
Ostenta muita beleza na natureza

Terra mestiça com todos os coloridos do moreno
Todas as nuanças entre o branco e o negro fez a beleza ir além
Mulatas de cintura de vespa de onduloso andar pleno
Mostram o que é que a baiana tem

O povo baiano é diferente
Antes de ser brasileiro é baiano por convicção
Tem sua individualidade inerente
Pela Bahia ser um polo de cultura de diversão

Em todas cidades que andei
Nenhuma vi tão bela e misteriosa como Salvador
Ao ouvir os atabaques e canções de saudade me flagrei
Resolvi que nela quero morrer quando chegar meu dia devastador

No Brasil o baiano não é perdoado
Por se destacar fora da Bahia á beça
É difícil baiano não sobressair e ser reparado
Quase impossível mesmo que isso aconteça

O baiano é reconhecido em qualquer lugar que vasculho
Seja pelo seu jeito,pela fala e pelo humor
O povo baiano preservou seus costumes com orgulho
Seus hábitos e vocabulário próprio o distingue sim-senhor

Os maus poetas vindos de fora
A cantaram sem a entender
E cineastas a fotografaram sem a sentir embora
Os grã-finos a compraram sem a conhecer

E a todos Salvador resistiu e persiste a cada geração
Para todos capazes de compreendê-la
Onde tudo corre sem pressa e tudo se festeja sem razão
Mas fica impossível não amar sem vê-la

Fátima Guimarães
--------------------------

OLHOS,JANELAS DA ALMA
Sinto e vejo
Em teus lindos olhos
Esquesitos desejos !...
Quando ás vezes
Me fitam ternos e calados

Mudas orquestrações de carícias e beijos
E perfumes sutis de corpos não tocados
Olhos que são dois sóis iluminando a vida
Em cascatas de luz de tão enamorados!...

Se constituem para mim
Uma ilusão perdida!...
Nunca...nunca porém
Para quem os tenho guardados!...

Se eu pudesse tê-los para mim um dia!...
Com minhas mãos eu jamais os profanaria
Guardá-los-ia assim
Com amor e carinho

Porque amando tanto!...
Quanto eu os tenho amado
Eu passaria a vida
A ter um só cuidado

O de semear estrelas
Pelo teu caminho
Já que seus olhos expoem sentimentos
Difíceis de ocultá-los !...

[Fátima Guimarães]
----------------------------

SONHOS DE MEU POBRE CORAÇÃO
Eu trago dentro d\'alma um sonho maltrapilho
Que vive a mendigar nas portas da ilusão...
Estranho sonho morto sem alcançar brilho
E tendo por tormento o próprio coração
Não é sonho,pois.É um fantasma em seu exílio

Enchendo com seu pranto a minha solidão
Mendigo de carinho e luz que surge o trilho
De uma cruel saudade,de uma atroz paixão
Quantas vezes sucede que este sonho triste
Todo em pranto me inunda e com calor insiste

Que o liberto,afinal em poemas de amor
Outras vezes porém qual poema dorido
Versos a arrenbentar do coração ferido
Meu pobre sonho explode em lágrimas de dor

[Maria de Fátima A.Guimarães]

biografia:
Maria de Fátima A.Guimarães

Sou formada em Direito e em História.

mariadefatimaguima@yahoo.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s