s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Mria Pereira
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
miriapereyra@gmail.com
Biografia

Passos que a vida não vê!
Por Míria Pereira

Quantas lágrimas se perderam,
caindo dos meus olhos,
por causa de palavras
que só feriam o meu coração!
Quantas vezes sofri,
calando meus prantos,
sem você saber!
Quanta saudade,
quanto amor sentia por você!
Quantas canções de amor
ouvia tocar,
e, no meu canto,
punha-me a imaginar coisas de nós dois!
Quanta ilusão
foi a nossa vida,
porque fingimos tanto,
enganando-nos desse jeito!
Não sei se já havia perdido você
naquele tempo,
ou se, ainda,
continuo a perdê-lo um pouco mais,
em cada dia:
é uma sensação estranha!
Não dá para explicar!
Não sei,
porque ainda continuo a amar,
pensando tanto em você!
Há lembranças que me torturam,
castigando o meu coração
e fazendo-o sofrer
sem você perceber.
Minhas tardes passam perdidas
dentro do dia,
minhas horas passam,
e não sei quanto tempo durarão.
É terrível o sentimento
que trago dentro de mim
e que fere, despedaça a minha alma.
Choro, sem me sentir, muitas vezes,
e me perco dentro de mim mesma.
Como posso amar tanto assim?
Como pude amar deste jeito,
a ponto de sacrificar
a minha própria vida?
Talvez, um dia, queira me encontrar
e saber como estou:
tomara que não seja tarde
o seu agora,
pelo tanto que o quis
e fiquei esperando!
O amor é como um anjo
Por Míria Pereira
O amor é como um anjo.
Sempre me vem falar de ti.
Penetra em meu coração
com um jeito de saudade;
abre minha noite
como o luar no céu
e vai deixando, aos poucos,
o teu toque em mim.
Como um vento de paz,
devagarinho, sopra o meu rosto
a suavidade da noite;
afaga meus cabelos,
arrepia minha pele
e, no leito, vou-me entregando
à sensação gostosa de poder te sentir.
Vão as horas lentamente passando,
transformando os instantes.
No meu ser desfalecido,
sinto beijos de amor inesquecíveis,
o calor dos teus abraços,
os sussurros de tua voz.
Meus olhos, ainda cerrados,
deitados sob um ar de prata,
que vem da luz do luar,
fazem-me sentir, recordar,
pensar em ti.
És somente uma saudade,
um gesto vivo da minha imaginação
que pensa ser um anjo que vem
em forma do teu amor:
que não me abandona,
que não me esqueceu,
que se lembra de mim.
Por isso, vem como um anjo,
lembrando um pouco de ti.

Agora, vai sumindo,
como lembranças vagas do meu ser.
Vagarosamente,
retorno ao meu estado normal:
tudo parece um sonho meu,
olhando para o teto,
na vã esperança de que voltes,
outra vez.

Muda voz dos meus sonhos
Por Míria Pereira

Eu não tenho mais o direito
de chorar por ti.
Nunca lembraste de mim,
vivendo uma estranha vida
com jeito de outras vidas?
Um mundo sideral desconhecido,
como partículas de pó,
vagando perdidas.

Mesmo vivendo neste mundo esquisito,
sei que, por qualquer tempo que passar,
serás o meu passado;
um átomo de vida,
vencendo a distância entre os astros,
terra passiva, fonte de água serena,
essência morna e triste,
desabitada,
a dissolver a ausência longínqua
de nossas vidas.

Nas fronteiras enormes
dos nossos destinos,
sigo o teu rumo
com os meus pensamentos,
sempre a ouvir a muda voz dos meus sonhos,
tecendo madrigais de nostalgias,
nas madrugadas
em que meus temores choram.

Permanência insegura
por Míria Pereyra

Estou só,
ouvindo as músicas que tocam.
É um vazio
que vai, aos poucos,
calando a minha alma,
profundamente...

Estou triste,
e as horas vão passando,
agitando a minha paz,
permanentemente...

Sinto-me destruída
em tudo o que desejo,
e, quando lembro,
que não te tenho perto de mim,
minha vida vira um martírio,
inteiramente...

Este vazio
que minha alma sente
maltrata-me o dia inteiro
e faz doer o meu peito,
indolentemente...

a tudo aquilo
que, um dia, sonhei
e desejei, e esperei,
tu deste outro rumo,
deixando vestígios do que partiste,
impiedosamente...

Embora saibas de tudo
que, um dia, existiu,
segues em busca de outros caminhos,
enquanto eu permaneço aqui,
remoendo a tua ausência,
inseguramente...

Endereço da Autora :Endereço: Caixa Postal 11- São Jerônimo [RS]
CEP:96.700.000


Biografia:
Míria Pereira

Escritora, pesquisadora, profissional da Saúde e colunista do 'Jornal Portal' [São Jerônimo], Míria Clevenice Pereira, paranaense de Jacarezinho [11/1/1965], atualmente morando em São Jerônimo [RS], é, sem dúvida, um dos grandes talentos que apareceram por aqui nos últimos anos.
Míria Pereira, como é mais conhecida, começou a escrever já bem cedo, aos seis anos. Aos nove anos de idade, venceu um Concurso de Redação Escolar sobre o ICM. Ao longo de muitos anos, vinha acumulando originais à espera de publicação, desde o tempo em que, ainda criança, declamava poesias em praças públicas e eventos sociais. No entanto, foi no Rio Grande do Sul que seus sonhos passaram a ser concretizados.
Em 2002, ganhou o Prêmio Literário da Ordem Sereníssima da Lira do Bronze[tendo, por isso, recebido a Comenda de Dama da Ordem Sereníssima da Lira do Bronze/2002], com sua poesia publicada em coletânea [Editora Shan].
Em 2003, foi convidada a escrever uma poesia e uma carta-mensagem ao Timor Leste, tendo sido ambas publicadas em livro naquele ano. Em 2005, foi uma das vencedoras do Concurso Literário 'Castro Alves', promovido pelo Grêmio Literário homônimo, de Porto Alegre [RS], com a poesia 'Quando a tarde vier morrendo'. Em 2006, fez uma pré-edição do seu livro 'Caminhos da Natureza', uma coletânea de suas crônicas publicadas no 'Jornal Portal'.
Com todo este preparo, lançou no final de 2006 o seu livro 'O Despertar do Amor', seguido de uma edição simplificada de suas poesias para jovens intitulada'Primavera de Saudades'. Nesse mesmo ano, participou da ' 52ª Feira do Livro de Porto Alegre', tendo suas poesias publicadas na coletânea 'Vôo Independente Vol. 5', junto com vários autores gaúchos, através da AGEI [Associação Gaúcha de Escritores Independentes]. Em agosto de 2007, lançou o livro de poesias 'Meigos momentos de ternura' e colaborou na elaboração da cartilha pedagógica [Educação Ambiental -Séries iniciais] 'Jacuí, o nosso rio'. Atualmente, Míria Pereira escreve artigos e poesias para diversos jornais regionais, do país
e de fora do país, bem como tem tido intensa participação em saraus, cafés poéticos e programas de rádio.
Míria Pereira é um exemplo para nós, pois está conseguindo vencer as barreiras do preconceito e as dificuldades sócio-econômicas que, quase sempre, matam na casca os sonhos de muitos de nossos talentosos artistas. Por tudo isso, muito se pode esperar ainda desta autora.

miria-pereira@ibest.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s