s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Ana Paula Marinho Alves
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Borboletas

To belas a voar...
Encantam meus olhos ao ver
Que voam felizes sem parar...
Umas aqui outras ali
Deixando um rastro de leveza no ar.
Pousando nos galhos secos
Embelezando as flores
De to coloridas que so
Inspirando vastos amores...
Voam sem tocar o cho
Sem ligar para quem est perto
S sabem ser felizes
E encher as flores de afeto.
Borboletas sempre to lindas
E me encanta sem saber
Que enquanto voam eu as admiro
Por essa alegria de viver...
Voam por a a fora
Mas pro meu jardim sempre voltam
E esperam o nascer da aurora
Para novamente voar
E espalhar sua leveza pelo meu ar.

-

Flores da Sorte

Essa noite foi diferente
a sorte apareceu de repente,
Veio junto a essas flores
cheia de perfume e amores,

Veio trazer sorte no amor,
trazer a felicidade que sempre faltou,
Parece que ela chegou do alto
e para minhas mos fez um salto.
Salto que me levou algum,
que me apaixonou como ningum.

E a sorte veio com essas flores
que sem querer me trouxe muitos amores.
Agarrei-a com minhas mos
ao toca-la senti emoo.
De ficar frente frente com a sorte
E com ela me senti at mais forte.

-

Outra Vez Saudade...

Cada vez que lembro de voc
Sinto que mais forte o corao vai bater.
Sinto outra vez saudade no peito
Saudade danada que no tem jeito.

Nada aqui supera a falta que me faz
Aquela suave voz do meu rapaz.
Grandiosa essa saudade
Que me maltrata sem d nem piedade.

Se eu olhar o cu sei que fico mais perto
Mas hoje o cu no est aberto.
E outra vez vejo a saudade
Que em mim j est virando maldade.

biografia:
Ana Paula Marinho Alves

Aos doze anos comecei a me interessar pela poesia. No incio eu escrevia para consolar meus sentimentos. Com o tempo comecei a estudar mais sobre poesia, poema, poetas, filsofos e tudo que poderia me acrescentar. Os meus primeiros textos eram enormes, pois eu no tinha noo de como era estrutura de uma poesia. Mas mesmo assim continuei praticando poesia. Hoje j com dezoito ano, posso dizer que aprendi [e tenho mais o que aprender], como estruturar uma poesia. Noto evidentemente a mudana de meus escritos, o melhoramento do encaixe das palavras, as formas e o amor que o tempo ajudou a cultivar.
Passaram-se seis anos, aprendi a amar a poesia, a t-la dentro de mim. No preciso mais apenas de sentimentos para escrever, pois j sei criar os sentimentos dentro de mim atravs de palavras e coisas que vejo. Muito feliz, hoje estou cursando o primeiro semestre do curdo de Administrao de Empresas, embora fuja um pouco do foto da poesia, acredito que com o tempo irei comear a desenvolver escritos nessa rea.
E durante esse ltimo ms, recebi a indicao do Cnsul Rodrigo Poeta de Cabo Frio - RJ, para me inscrever no Poetas Del Mundo, gostei da ideia e resolvi atender essa indicao. Estar em contato com um grupo de poetas, acredito que vai fazer com que a poesia faa cada vez mais parte da minha vida. Ento, hoje posso dizer que eu amo a poesia.

lalinhacf@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s