s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Flvia Simplicio Rodrigues
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

Poema em homenagem as crianças em seu dia, onde sempre podemos fazer mais um pouco.

Ultimo grão

Um dia fantástico,
e porque não, até mágico?
Um dia para criança brincar,
sem medo de fantasiar
sem receio de sonhar,
pois o dia das crianças,
foi feito para comemorar.

Neste dia, tão especial,
comemorar com alegria,
fazer nascer a magia,
sem ser pura utopia.
Fazer com que dirigentes
De Municípios, Estados e Nação,
Use recursos arrecadados,
Em prol da educação.
Mas anúncios publicados,
Em Tv revista ou rádio,
trás a pura realidade
que é a dura verdade ,
neste mundo onde a maldade,
gera enorme impunidade.

Quem dera se a sociedade,
tivesse punição necessária,
para que o dia das crianças,
fosse palco da esperança,
que presente e festa
fosse coisa do dia a dia
onde o carinho se manifesta
por todos caminhos,
levando a educação,
à todos sem distinção,
fazendo brotar a semente,
mesmo em solo quente
fazer viver de verdade
direitos e igualdade,
fazer do futuro do mundo,
que estão nas crianças de hoje,
plantar em solo fecundo,
sonhos sem alegoria
promessas sem fantasia
realizando neste dia,
muito mais que comemoração
pois aqui esta plantado
o futuro da nação,
onde fala o coração
semeados como letras em grãos.

Flávia Simplício Rodrigues
Todos os Direitos Reservados


Esta poesia foi feita em uma tarde de saudade de meu irmão que saiu de nossa cidade em busca de uma profissão digna, enquanto na cidade se implantava um presidio de segurança
máxima no lugar de uma Universidade de Agronomia


Educação ou Detenção ?

Domingo nublado,
parece futuro lançado.
Família reunida,
com a saudade presente,
trás a dor, abre ferida,
que protocola a ausência.
Ausência que marca a história,
de quem busca viver o agora,
de quem parte pelo mundo afora,
para buscar sem deter,
tudo que precisa para vencer.
E, nesta cidade aconchegante
um presídio a construir.
Será esta a merecida chance,
Para os jovens não mais partir?
Ou é a sorte que nega
No aprendizado intervir ?
Essa pergunta virou moda
Nas ruas, arquibancada,
ônibus, jardim ou calçada,
que sem resposta nem nada,
segue com omissão,
para sua conclusão.
Por que não à educação?
E por que sim à detenção?

O povo se revolta
É um caminho sem volta
É preciso reagir
É preciso interferir
É preciso manifestar
É preciso lutar.
Somos povos com direitos
Merecemos respeito.
Somos mais que votos,
objetos de eleição,
Somos filhos desta terra,
somos parte desta Nação,
Amamos a natureza,
o verde em profusão,
e para que haja beleza.
que viva a educação.
Igualdade de todos,
descrita na constituição,
Onde o\' Estatuto da Criança\',
É mais que embromação.
E se, aquela rua fosse minha,
não mandava ladrilhar
muito menos decorar,
ela tem seu próprio enfeite,
a natureza está lá,
protegendo o ar que se respira,
sem que a liberdade expire,
onde vive passarinhos,
que com amor fazem seus ninhos.
um lugar de criança brincar,
não para presídio alojar.

Flávia Simplicio Rodrigues 11 anos
Estudante do Colégio Equipe - 5ª série

Flávia Simplício Rodrigues
Todos os Direitos Reservados


Poema dedicado a Mulher, em especial a minha mãe.
Mulher.


Mulher de beleza tão rara,
Pele escura ou clara,
Nada supera tamanha beleza exalada,
Beleza tão sonhada...
Mulher trabalhadeira,
Pintora contadora ou costureira.
Quer conseguir seu sustento
e de seus filhos,
de qualquer maneira.
Não para de sorrir,
Mesmo se a tristeza bater à sua porta,
Ela não se importa,
E vira conselheira,
Brasiliense, Paulista ou Mineira.
Mulher moderna,
Que trabalha fora,
Hoje amanhã e em outrora,
Mulher que trabalha em sua residência,
Mesmo que só em casa,
A mulher tem sua essência.
Mulher mãe,
Mulher irmã,
Mulher avó,
Mulher amiga,
Mulher por toda vida.
Mulher sonhadora,
Mulher que já se fora,
Mulher que está viva,
Mulher de natureza sofrida.
Mulher forte,
Mulher apaixonante,
Mulher Brasileira,
Mulher imigrante,
Mulher de sonho constante,
Mulher de pensamento distante.
Mulher de verdade eminente,
Em seus lábios sorridentes,
Mulher de olhos brilhantes,
Mulher de vida e força desconhecida,
Mulher de face em contraste,
Mulher que da história faz parte,
E transforma uma simples frase,
Em arte.

Flávia Simplicio Rodrigues
Todos direitos Reservados


biografia:
Flávia Simplicio Rodrigues

Flávia,Brasileira, Mineira de Ponte Nova.Poetisa e escritora desde seus 9 anos,data que que assumiu uma coluna de Poesias no site www.pontenet.com.br.
Colunista Literária do site
http://www.culturapontenova.com.br/home/index/principal/portal_tcol.asp?pg=home

Participou de sois ensaios poéticos pelo Colégio Equipe de Ponte Nova.
2008 Aquarela
2009 Pensamentos em versos.
2010Paticipou com 5poemas no Livro Livre Pensar Literário, Coletânea editada pela Suprema Editora e organizada por Bruno Resende Ramos.
2010 Foi editada pela editora Pax Editora e Distribuidora Educacional Ltda, que produz livros didáticos, que atendem a Educação Infantil e o Ensino Médio .
Autora do Projeto \'A arte da Escrita a ser implantado em mais de 50 Municípios, tendo como principio e resgate e apoio literário a infância e a adolescência

Autora do Projeto sesta poética, com reunoes semanais na cidade de Ponte Nova, levando a crianças histórias produção de textos para que os mesmos sintam o mundo colorido das letras.

recebeu em 2007 uma homenagem honrosa em um salão literário da Escritora Laene Teixeira Mucci,o Dom da palavra simbolizando a Patronesse da Literatura Hoje aos 13anos Flávia lança em maio se primeiro livro de poesias somente seu.

poemasdeflavia@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s