s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Maicon Jos Tobias
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

Mãos santas

Quando eu era criança,
Eu tinha um estilingue
E você muita bondade.
Eu tinha pedras
E você mãos santas.

Foi assim que eu te conheci.
Já tinha até me esquecido,
Daquela tarde quase noite,
Daquele amarelo e indefeso pássaro,
Do estilingue... da pedra.
Do pássaro caindo como tantos outros...
De suas santas mãos o segurando.

Agora me recordo...
Te insultei e te ofendi,
Quase te agredi.
Agora percebo que éramos opostos em tudo.

Era a minha vez de cair...
Um dia da caça e outro do caçador.
Me lembrei daquele anoitecer no bosque...
Você me segurava da mesma forma
Que segurava aquele pássaro.
Delicadamente suas mãos santas
Adormecia minhas dores.

Era a minha vez de cair...
Você se esqueceu das minhas palavras.
Cuidou de mim da mesma forma
Que cuidou daquele pássaro.

Mais tarde...
Não estava ainda curado,
Mas já estava estabilizado.
Você me apresentou um pássaro,
Seu nome era Vitor.
Era o mesmo pássaro amarelo...
O mesmo que eu acreditava ter vencido
Com o meu estilingue.
A pedra o derrubou e,
Corajosamente, ele levantou-se e aguardou...

A pedra continuou a sua trajetória.
Por anos ela esperou incansavelmente...
Por mim.
Ela e eu nos reencontramos,
Em sentidos opostos.

Me senti um pássaro...
Amarelo e indefeso.

Percebi o porquê de
Aquele pássaro se chamar Vitor.
Quando eu acreditava que o tinha vencido,
Na verdade foi ele quem venceu.

E aquelas mãos que eu tanto odiei,
E que queria arrancar fora,
Foram as mãos que me curaram.

E o pássaro esperou por longos anos inválido.

A pedra que eu atirei nele,
Como um bumerangue,
Voltou e me atingiu...
Cumprindo o seu destino.

O pássaro perdoou...
E como prova de seu perdão,
Me ensinou a voar.

Eu não tinha asas,
E ele não tinha vontade.
Com as asas de Vitor
E com a minha vontade,
Voamos inseparáveis...

E sabemos acima de tudo,
Que caso uma criança malvada
Atire uma pedra,
Esta atingirá nós dois
E mãos santas nos curarão.
E aquela criança será atingida pela mesma pedra
E, logo em seguida será parte de nós.

Na verdade, toda criança sonha em ser pássaro
Só que apenas asas não é o suficiente
Para se manter no ar.

Para se voar é necessário
Cada vez mais vontade.
Num vôo, a vontade é a única coisa
Que te mantém no ar...
E ter asas sem ter vontade
É a mesma coisa que não ter asas,
Elas se tornam simplesmente enfeites.
 
 Postado por Maicon Merlin a 2 de agosto de 2009 na Casa do Trovador

Pensamento padrão

 
Vejo hoje que não sou,
Do tamanho de meus passos.
Logo... pra mim não faz diferença,
Se estes são curtos ou largos.

E vejo também que não sou,
Do tamanho de minha altura.
Gigantes e anões são os mesmos...
Somos todos criaturas.

O que realmente sei,
É que determino minha existência.
E que meu tamanho é equivalente
Ao tamanho de minhas crenças.

E penso que deveria ser este,
Um pensamento padrão...
Pois quem vive descrente,
Desconhece a razão.

E pode alguém pensar,
Que estou falando em proporção.
Mas na verdade mando uma mensagem

Para aqueles que em si buscam ascensão.

Postado por Maicon Merlin a 10 de agosto de 2009 na Casa do Trovador

As pessoas

As pessoas querem viver de amor,
Mas não sabem amar.
Vivem implorando clemência...
Sem antes perdoar.

As pessoas...
Em sua insana loucura de paraíso e inferno,
Desconhecem o valor do ser humano e,
Nem ao menos sabem que o ser é eterno.

Eterno?... Sim, eterno.
A eternidade em seu íntimo se esconde.
Então... Levante este rabo da poltrona,
Pois você ainda não é monge.

Para se conhecer a eternidade
É necessário que haja articulação,
Pois comparada a algum órgão,
A eternidade é o coração.

E vocês... pessoas.
Acreditem tanto no amor quanto na eternidade.
Pois morrer é fácil...
O duro é vencer as adversidades.

E haja adversidades...
Mas sedes firmes no momento da dor,
É um estágio necessário, pois com ele

Conhecerão o eterno... o amor.

Postado por Maicon Merlin a 14 de agosto de 2009 na Casa do Trovador

biografia:
Maicon José Tobias

POETA DA NET
Gerente e Administrador de Redes e Grupos de Poesia

Dinamizador Cultural em Entidades Culturais Locais

Autor de Crônicas em Sites da Net

Subscritor Manifesto 2000 da Unesco

Participante nas Comemorações do Poetry Day da Unesco

maiccon811_@hotmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s