s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Jos Feldman [Cnsul - Maring-PR]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
1
Numa tarde tu chegastes,
viestes bem de mansinho.
Meu corao envolvestes
no calor de teu carinho.

2
Doce flor que desabrocha
Perfumando seu cantinho
Envolvendo toda rocha
Com doura e carinho.

3
Vivi em busca de carinho
Em castelos de iluso
Tanto tempo estou sozinho
Quem me aquece a solido.

4
Uma chave carregamos
Porta de um mundo melhor
Entretanto no largamos
A muleta de um bem pior.

5
Msica na madrugada
Chovia em meu corao
Ao saber que minha amada
Perdeu-se numa cano.

6
Num retrato amarelado,
a saudade em mim se deu.
Ontem tinha meu pai ao lado
Hoje, sem ele.o pai sou eu.

7
Nas minhas tardes de criana
Brincadeiras de corrida.
Hoje dano em outra dana,
Dano no circo da vida.

8
Tanto mal ns infligimos
Em todos que bem nos queira,
E o perdo que lhes pedimos
uma nuvem passageira.

9
Tanta gente s num canto
Perdidos no desamor
Contendo em si tanto encanto
No corao de um sofredor.

10
Tanta gente em si perdida
Entre sombras se escondendo
Cada dia outra vida
Em disfarces vai morrendo.

11
Ah! Nos meus tempos de criana
Brincadeiras sem cansar.
Foi-se o tempo de balana
E fazer castelos no ar.

12
No teu corpo perfumado,
No brilho de teu olhar
Tem um castelo encantado,
Castelo do eterno amar.

13
No imenso palco, o amor
Destaca nos jardins meus
Um carvalho com fulgor
Na ponte entre mim e Deus.

14
Ontem plantaste uma flor
Na rocha da solido.
Hoje dou-te com amor
Um postal do corao.

15
Caminhei por esta rua
Procurando o teu calor.
Ontem te prometi a lua
Hoje te prometo meu amor.

16
Tantos passos caminhei
Por labirintos incertos
Hoje nas trovas achei
Como vencer os desertos.

17
Jardineira de meu amor
Regaste-me em seus canteiros.
Hoje dou-te o meu calor
Na alameda de pinheiros.

18
Ontem.Florestas.Encanto.
Flores a desabrochar.
Hoje pinheiros em pranto
Um grito parado no ar.

19
Vejo o mar beijando a areia
No raiar de um novo dia
Ouo o canto da sereia
Com promessas de alegria.

20
Meu corao em pedaos
Tinha um cu to estrelado
A esperana em teus abraos
E brisa de apaixonado.

21
Quando se faz a tolice
De entregar-se na paixo
Vive-se tanta meiguice
Mas, no fim. s decepo!

biografia:

Jos Feldman
[So Paulo, 27 de setembro de 1954] um escritor, poeta, trovador e gestor cultural paranaense. Estudou Filosofia, Italiano , Ingls , Leitura Dinmica e Desinibio e Criatividade, Arte Dramtica , Filosofia, Contabilidade, Administrao de Empresas, Marketing, Tcnicas Agropecurias, alm de diversas palestras e encontros de literatura. No ICIB, pertenceu a diretoria cultural, promovendo diversos eventos musicais, alm da Oficina de Trovas, pelo grande trovador Izo Goldman, e encontros musicais. Fez, na Casa Mrio de Andrade [Oficina da Palavra] o curso de Poesia Viva, com a poetisa Eunice Arruda, curso de literatura com Mario Amato, Fico Cientifica na literatura e no cinema com o escritor de renome internacional, Andr G. Carneiro, onde conheceu e casou-se em 1995 com a poetisa, escritora e dramaturga paranaense Alba Krishna Topan. Foi membro da Casa do Poeta Lampio de Gaz [So Paulo]. Em 2001 vice presidente da diretoria provisria, da Associao dos Literatos ALIUBI. Delegado municipal da Unio Brasileira de Trovadores do Paran. Criou o boletim Singrando Horizontes. O Boletim foi indicado para ser inserido nos anais da Casa Legislativa Maonica. Criou o Blog Pavilho Literrio Cultural Singrando Horizontes [http://singrandohorizontes.blogspot.com/]. Em novembro de 2008, passou a ser membro da ONE [Ordem Nacional dos Escritores] . Em agosto de 2009, tomou posse da Cadeira Vitalcia n. 1, pelo Estado do Paran, na Academia de Letras do Brasil, indicao de seu presidente, o Dr. Mario Carabajal, tendo por patrono Paulo Leminski, ocasio em que alm de receber o diploma de imortal, recebeu o ttulo de Doutor Honoris Causa das mos do presidente da ALB. Foi nomeado presidente da ALB/Paran. Membro do Conselho Fiscal da Aassociao dos Literatos de Ubirat. Presidente do Conselho de tica da Academia de Letras do Brasil.

pavilhaoliterario@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s