s
s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Ana Katia Barbalho Barreto
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
A DOR QUE DI

A dor que di no aquela contundente
Aquela que me faz carente
De um afago,
De um beijo teu...
A dor que di a da faca cortante
Do silncio repousante
Em que tu
Optaste descansar...
A dor que di a dor de te ver refeito
Enquanto eu vejo meu mundo desfeito
Eternamente
A te esperar...

TEU ANJO

Te guardarei, meu grande amor...
No escuro da noite que nos ronda
Em algum pesadelo que te assombra
Velarei teu sono enquanto a noite for...

E para que no tenhas nenhum dissabor
Plantarei ao teu redor anjos singelos
Enfeitados em asas e dourados anelos
Para arrancar da tua alma qualquer dor

E quando o dia despontar em esplendor
Deitarei em teu corpo todo o meu amor
E colherei em minha boca o teu sorriso

Pois para ver-te feliz, em meu corao
Fao-te versos emanados de emoo
De dou o mundo, amor... Se for preciso...

AUTO-RETRATO

Por mais que eu tente, eu no sei me definir
Sou simples e nessa simplicidade me resumo
Em um sorriso franco e um olhar profundo
E nos fios brancos que meus cabelos vm tingir

Em meus dedos longos j no trago alianas
No corao ainda repousam loucas fantasias
E no meu pensar resvalam velhas nostalgias
minha memria embotada de lembranas

Meus ps cansados j pisaram tantos chos
E os teimosos calos que povoam minhas mos
So reflexos de tantas lutas j travadas

E em meu esprito irrequieto mora a emoo
De me sentir viva no pulsar de um corao
Que olha a tudo em esperanas renovadas!

biografia:

Ana Katia Barbalho Barreto
tem 44 anos, potiguar, mora em Natal - RN. me de Raphael e Izabel, filha de Paulo e Dalva, professora da Rede Municipal de Ensino e poeta, por opo! assim que se define. Formada em Letras, com Especializao em Educao de Jovens e Adultos, Ana sempre teve na escrita, uma de suas maiores paixes. Alguns dos seus poemas j circulam pela internet, em blogs e comunidades do Orkut. Considera-se uma poeta em formao e na realizao do seu fazer potico, aprecia toda a poesia ditada pela emoo, pois ela que a move a escrever as suas. Como fontes de inspirao, cita Carlos Drummond de Andrade, Vincius de Moraes, Ceclia Meireles, Mrio Quintana e Florbela Espanca, entre tantos poetas da Lngua Portuguesa.

anab64@uol.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s