s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Marcia Mata
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
PERFIL

Quem poder prever meus passos
Se vivo do frgil equilbrio
Dos descompassos que h em mim?

Sou o previsvel, a transparncia
Sou o inesperado, o mistrio

Sensata e ponderada
Insana e tresloucada

Sou a santa e a maldade
Sou ira e mansido

Luxria e inocncia
Preguia e labuta


Sou a flor da pele
Sou paradoxo, hiprbole, tempestade

O cdigo secreto, eterno
guardio da palavra que ficar calada

Sou avareza e prodigalidade
Sou vaidade e desleixo

A inveja e a indiferena
A gula e o jejum

Sou minhas delicadas certezas
Sou a tortura de eternas indagaes

O sal da lgrima
O doce sorriso da infncia

Sou os equvocos e enganos
Dos caminhos que trilhei

Pecado e excomunho
Virtude e absolvio

Sou a doida no div
Anjo e leviat

Se fui o princpio e constitu Pra sempre!
Posso ser o final e reinventar nunca, jamais!
Sou o agora, o grito de libertao!
Sou o oitavo pecado capital!


CONTRAPONTO


Em todo fel h sempre
um sutil sabor de mel

Quando conheci a dissimulao mais srdida
edifiquei pontes sobre abismos de silncios

Se bebi horizontes de esperana
embriagando-me com sonhos e delrios
despertei de ressaca ao som dos atabaques
da urgente realidade

Quando atravessei desertos de desesperana e
conheci o significado da palavra desamparo
no conjuguei o verbo abandonar
busquei foras esquecidas
para recomear

Se cometi enganos, erros e desatinos
no sentei no banco dos rus e
no aceitei ser julgada por iguais a mim

Quando vivi a presso mais violenta
a tortura mais insana
mergulhei no trabalho para
despistar a loucura

Se visitei minha noite mais escura
travando duelo com as trevas
foi para vestir de luz minhas novas alvoradas

Quando nada foi quando ou
como quis, aprendi a mudar o curso
do rio das minhas vontades

E ainda assim:
nunca consultei um analista
considero Freud um tarado
sonho acordada
fico parindo poemas de madrugada
pouco me importo com o que pensam de mim
deixo-me arrebatar de amor pela vida
sorrio, pinto, canto, recito
me desfao e refao
desintegro e integro
morro e renaso
a cada manh.


ENIGMAS

O dcimo arcano maior
as pirmides do Egito
os fenmenos medinicos
a glndula pineal
Maria Madalena
o sagrado feminino
o Santo Graal
o acidente que matou
Lady Diana
o sexto sentido
a vida secreta de Jesus
Jos de Arimateia aos

ps da cruz
teoria da conspirao
anagramas, hierglifos
revelaes esquecidas

enigmas indecifrveis
so os silncios de
tuas eternas despedidas

Biografa:
MARCIA MATA


Licenciada em Letras pela UNICRUZ. No ano letivo de 2008, fez parte do corpo docente da Escola Venncio Aires e da Escola de Ensino Mdio Cruz Alta, em Cruz Alta, RS. Tem experincia na rea de Letras, com nfase em Literatura Brasileira e Lngua Portuguesa. Cursando especializao em Linguistica, Ensino de Lnguas e Literatura na Universidade de Cruz Alta. Possui cinco prmios literrios no gnero crnica. Atua como voluntria na atividade de Coordenadora de eventos da Associao Artstica e Literria 'A palavra do sculo XXI' [ALPAS XXI]. Artista plstica e autora de duas capas para as coletneas 'Entrelinhas' e 'Somos Letras', da ALPAS XXI.

Marcia Mata -

marciafriggi@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s