s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Vicente Miranda
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

HERÓIS

Não existem heróis, assim entendo.
Heróis são criaturas passageiras,
são ídolos talhados em madeira
com os rostos marcados pelo medo,

criados pelos métodos inúteis
das vaidades humanas enrustidas,
tolas finalidades vãs e fúteis
dos homens da verdade corrompida.

Heróis acordam cedo e vão à luta,
não conhecem derrotas ou vitórias,
merecem melhor vida por inteiro,

conhecem a firmeza da labuta,
não precisam de estátuas ou de glórias.
Heróis? Prefiro o povo brasileiro.

RETRATO DA VIDA

Eu vi um homem deitado numa calçada com os olhos fechados.
Parecia dormir.
Sonhava, como todos nós sonhamos, talvez com dias melhores,
Talvez com um pouco de sorte.
Provavelmente ali passara a noite, acompanhado pelas vigilantes luzes dos postes
E por bêbados vadios,
Poderia ser até mais um deles.
Apenas mais um bêbado que o mundo esqueceu.
As marcas no rosto fatigado daquele homem e os sulcos profundos na pele grossa
Denunciavam histórias ocultas de uma vida: derrotas, vitórias, segredos eternos,
Quem sabe, filhos, irmãos, uma mulher amada ou um grande amor perdido na estrada.
Mas ali, naquela calçada, não havia ninguém, nem ele.
Eu vi um homem deitado numa calçada,
Já não era homem, era um farrapo, era de plástico,
Papel rasgado, era de lixo, um flagelo dentro da sociedade e ao mesmo tempo fora dela.
Talvez vencido pela modernidade, pelo mundo atual,
Pela vida hodierna ou pela própria agonia intrínseca.
Eu vi um homem deitado numa calçada.
E vi também quando ele se levantou, arranjou seus poucos pertences na sacola surrada
E cambaleou sozinho pela rua solitária à procura de outra chance.
E, por um instante, pude me lembrar de Carlitos.
São tantos os encantos. Tantos desencantos. São tantos os Carlitos.
Meu Deus!

TREM DA ESPERANÇA

No Trem da Esperança
a minha ilusão
flutua, balança
no último vagão.

No ferro dos trilhos,
saudade sombria,
perco-me no brilho
da vida vazia.

A vida vadia
e a longa viagem
esperam o dia
em que algo se acabe

entre nossas almas
que sem direção
vislumbram a paz
do fim da estação.

biografia:
Vicente Miranda

Nasci na cidade de São Paulo - Brasil em 20 de outubro de 1972. Escrevi na década de 90 algumas letras de música. Escrevi um livro de poemas em 2005 intitulado \'O Perfume do Tempo\' [não publicado] com aproximadamente 50 poemas. Também escrevi um romance intitulado \'O Homem sem Coração\' entre 2004/2005 [também na publicado]. Atulamente estudo e escrevo poemas para um próximo livro. Escrevo nos sites omelhordaweb.com.br e recantodasletras.com.br e tenho a minha página na web http://br.geocities.com/poesiaeliteratura

Grato e feliz por poder participar do nobre trabalho dos poetas do mundo, subscrevo-me. Vicente

poesiaeliteratura@yahoo.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s