s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Poeta Kaibers
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Morra comigo amor

Morra comigo amor
Ao menos esta noite to fria e to crua
Morra no meu beijo que no tem fundo
Que no tem mundo e quase finge no ter medo

Rouba meus ltimos segundos de absurdo
Meu grito surdo, meu gosto suave, meus becos
Submundos de estrelas e constelaes opacas
Difusas, confusas

Morra comigo, pelo menos agora, meu invisvel amor
No me deixe morrer sozinho nesta cama
Nem morra sozinho entre teus amigos
Morra com quem te ama
Que se no morrermos por conta
Algum nos matar

O mundo violncia
Tenhamos ao menos a decncia
De morrer de amor

CEIA:

Dia sim
dia no

tem pedra
tem po

na mesa
do meu

corao

...

Meu canto sai da terra
E alimenta o ar

Meu pranto no riso encerra

Meu sonho
no olhar espera

Meu corpo
no mundo dana
na dana cansa

Minha alma
a procurar

Fui sol, fui luar
Hoje sou vento

E tal o vento
Invisvel e ligeiro
Hei de ficar

At que Deus deseje
Que eu me torne meu Desejo
E a Ele retorne
Sem cessar

...

No tinha nada no meu caminho
pedra a pedra
o fui construindo

No entristeo
pelo calos
pude escolher
as arvores
os verdes
pssaros

Vou tranquilo
desfruto das sombras
so minhas
e so de todos
que quiserem vir

O descanso
contudo
breve

Breves so meus dias
e o caminho precisa
seguir

Quando eu e ele
formos finalmente um
no teremos
[nenhum dos dois]
mais fim

Biografa:
Kaibers


Poeta, artista plstico,
licenciado em filosofia;
Mora em Cascavel, Paran

kaiberss@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s