s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Maria Mendes Corra
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

A minha casa

Não existe aconchego melhor
Que a casa que te viu nascer
Onde nela brincou e viveu
E te viu dia a dia crescer.

Em cada canto sentimos o calor
Onde foi construindo a história
Da nossa infância e da juventude
Que ainda guardamos na memória.

O quintal onde tanto brincamos
As árvores frutíferas e as flores
São lembranças de nosso passado
Cenas de uma vida de amores.

Havia uma importante janela
De onde mamãe sempre olhava
A vida passando lá fora
E com Deus juntinho rezava...

Bela casa, onde jamais faltou
O alimento, o carinho, o amor
Onde pais e irmãos aprenderam
Uns aos outros darem valor.

Hoje sinto tantas saudades
Desta casa que um dia uniu
As tristezas, as alegrias, as dores
Que a família inteira sentiu.

Se pudesse parava o tempo
Como esta foto que guardo comigo
A imagem mais linda da terra
Esta casa que me serviu de abrigo.

Tudo passa e o tempo implacável
Arranca dos sonhos as asas
Mas eu peço ao meu grande Deus
Que abençoe uma relíquia: Esta casa.

Eu existo...

Um ser único, capaz, inovador
Capaz de conquistar o espaço
Seguir sonhando, entre devaneios,
Acreditar... Buscar...
E confiar num forte abraço.

Suave como abrisa
Arrebatador como o mar
Forte, no entanto
Chora diante o desespero e a dor
Fraco, mas luta fortemente
Junto ao desejo de amar.

Um grão de areia apenas
Mas responsável pela formação
Deste planeta.

Pedra firme que num rio
Resiste ao arrebatador impulso das águas.

Ilha, mas também
Continente...
Começo, mas também o fim.

Flores, mas também
Espinhos...
Tristezas, mas também
Alegrias...
Presente, mas o passado
E talvez o futuro.

O tudo e também o nada
O fruto das vitórias
O fracasso dos sonhos não realizados.

Eu, existo, simplesmente
Porque sou assim
Ser humano, filho de Deus!
Componho assim minha própria história!

Vida

É hora de viver
Viver o hoje
Sem pensar no ontem
Que perdemos
Ou no amanhã
Que talvez ganharemos

Viver somando as alegrias
Subtraindo as tristezas.
Multiplicando a felicidade,
Dividindo as infinitas belezas.

Acreditando nos sonhos
Deixando de lado as ilusões
Certos de que valeram a pena
Nossas decisões.

Correr atrás do prejuízo
Principalmente do tempo perdido

Voltar e achar o caminho certo
Levantar devagar e sempre
Procurando evitar o incerto.

Mirar a flora e a fauna
Vivenciar os encantos
Da natureza.
E agradecer tanta vida,
Tanta beleza!

Sair da dor
Entrar na fantasia
Buscar o oculto e
Descobrir os mistérios
Da magia!

Viver na matemática da vida,
Onde cada soma é também subtração.
Talvez esperemos demais
Para dizer a palavra perdão.

Respirar profundo, libertar,
Fazer acontecer...
Pois na vida precisamos ter
Urgência de viver.

biografia:
Maria Mendes Corrêa
é professora, pedagoga, psicopedagoga e escritora, possuindo o curso superior de Pedagogia-Administração, Supervisão e Orientação , Curso Normal Superior e Pós- Graduação em Psicopedagogia Institucional.
Na busca de reflexões sobre o ser humano cursou Relacionamento Humano, Teologia e vários cursos na área de Educação .
Desenvolve trabalhos voluntários, visitas e palestras , relacionados a luta pela inclusão do ser humano na sociedade a qual pertence.
Nasceu em I tapecerica- MG, reside em Mateus Leme- MG há 30 anos e leciona atualmente em Juatuba-MG.
È autora de três livros: \'Poesias .com..Sentimentos\', \'Sob a nuance acinzentada da terra / Mensagens\' e \'A Cortina da Existência\' .
Sonha com uma reflexão maior para um mundo melhor, onde seres humanos possam espalhar amor, para colher esperança e solidariedade .

mmendes222@yahoo.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s