s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Valeriano Luiz Da silva [1950 - 2006]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

A ORQUESTRA DOS BICHOS

Os bichos perceberam que o homem despertou
E de destruir a natureza agora ele parou
Não viram mais queimadas
Pararam com as derrubadas
O caçador desapareceu
E o pescador, será que morreu?

De alegria fez uma festa toda a bicharada
Conseguiram instrumentos e uma orquestra foi formada
Cada músico com seu instrumento começaram o treinamento
Já podiam sair á noite tocando ao relento
Na turma do soprano tinha o pintinho com o flautim
A tartaruga preferiu ficar com o bandolim

O grilo escolheu a flauta por ser baixinho
O tatu gostou mesmo de tocar o cavaquinho
O urso preferiu a voz veluda do violão
O macaco todo alegre fez gracinha com o acordeão
A raposa com facilidade tocou a clarineta
Na orquestra apareceu até a velha escaleta

Lembraram até do fado, agora vocês imaginam!
Buscaram em Portugal até uma concertina
Vieram da Espanha as lindas castanholas
A vaca se apaixonou pela bela viola
Na turma do contralto o sax alto ficou com o gato
Acabou a inimizade o trompete ficou com o rato

Para abrilhantar a orquestra chegou a vez do tenor
Embora raquítico e franzino tocou trombone o beija –flor
Ainda no tenor ouviram um som mais bonito
Foi o jacaré que apareceu tocando um lindo trombonito
O sax tenor é grande, mas foi a paixão do periquito
Já ia me esquecendo o fluegel horn foi pra mão do cabrito

Pra completar a orquestra chegou a vez do baixo
Apareceram alguns músicos tocando o contrabaixo
Por ser forte a tuba ficou aos cuidados do leão
O elefante preferiu soprar o bombardão
Agora recordei no soprano tinha violino
Pra completar o baixo o urso tocou o bombardino

Por ser alta e formosa a girafa o rabecão
O fagote e contra fagote ficou com a família do Cão
Parece uma piada, mas a regência foi do inhambu,
Mas no canto todos já sabem foi a maritaca e o uirapuru
Peço desculpa pela poesia que torrou sua paciência
Mas ela te despertou que a natureza pede clemência.

.

A VIDA É BELA

Todos os homens podem e devem dizer que a vida é bela
E procurarmos viver de acordo com ela
Os sofrimentos sempre fizeram parte do nosso viver
O importante é enfrentarmos os mesmos sem maldizer

Antigamente idosos e enfermos eram um tesouro
Atualmente estes seres são tratados com desaforo
A eutanásia só aguarda aprovação
Pra facilitar antecipar a morte do cidadão

Basta a pessoa tornar improdutiva
Pra família tratá-la como barco a deriva
Outros seres são inibidos de nascer
Cometem aborto cruelmente sem se arrepender,

Muitos não sabem que viver é um privilégio
Tratam seus entes queridos com sacrilégio
Desrespeita a mãe que o gerou
E o velho pai que para criá-lo muito lutou

Deixam os idosos e doentes à mercê da sorte
Outros são jogados nos asilos até chegar a morte
Mas nem por isso deixemos de dizer que a vida é bela
A ordem é lutar com todas as forças contra as mazelas

Trabalhar e cantar dizendo sempre a vida é bela...
Se estiver escuro abra a porta e a janela
Deixe entrar luz e ar fresco porque a vida é bela
Viva em liberdade como as cervas e gazelas

Veja em que momento da vida você cansou
O que estás fazendo se ainda não recomeçou?
Cante comigo e diga com Deus avante eu vou
Neste barco da vida Cristo é meu condutor

Cante comigo em várias línguas “a vida é bela”
Cante em Italiano La Vita è bella
Cante em espanhol La vida es bella
Cante em francês La vie est belle

Você poderá dizer este pobre escritor agora exibiu
Quer fazer nos cantar numa língua que ele não viu
Não, estas poucas palavras você já traduziu,
E já descobriu que a vida é bela dentro e fora do Brasil

.

AH! SE O BEIJA-FLOR PUDESSE FALAR

Não sou ave de cantar doces adágios
Nem sou ave de maus presságios.
Sou o símbolo da alegria e do prazer
Pois sou livre e passeio pelas flores em meu lazer

Dizem que sou o menor pássaro do mundo
E durante o dia me alimento a todo segundo,
Respeitando e observando as leis da natureza,
Enquanto o homem vai destruindo o universo com certeza.

O néctar das flores é meu alimento.
Como Deus é perfeito: ELE criou a flor para meu sustento
E também me deu uma língua comprida
Para facilitar o momento de sugar a comida.

Eu sou diferente de qualquer humano
Pois minha língua não é usada para algo profano.
Segundo os índios Americanos, sou um pássaro fiel...
E por isso o meu alimento é sempre doce como o mel.

Muitos humanos, por não guardarem a língua se alimentam com fel...
E diante dos outros eles fazem um triste papel
Pois eles estão sempre reclamando. . .
Eu sou um minúsculo beija-flor, mas a todos uns conselhos estou deixando:

Passe a se alimentar com flor
Uma vez que é o símbolo do Amor.
Quem sabe serão tiradas as pedras do seu caminho
Se aceitar o conselho deste seu humilde passarinho! ! !

.
.Valeriano Luiz Dasilva  [1950 - 2006]

Nascido a 03/08/50 na cidade de Inhumas - Estado de Goiás - Brasil, perdendo seu pai aos quatro anos de idade, começou a trabalhar muito cedo.
Foi professor primário e de Ensino Médio, Contabilista, Advogado e hoje é bancário aposentado do Banespa. Residiu em Goiânia [Go] e Caxias do Sul [RS] e atualmente em Anápolis [Go] é casado, com dona Heleny Bueno, ama sua esposa e Deus lhes deu cinco filhos maravilhosos.

Começou a escrever após chegar de Lisboa PT, fez uma poesia homenageando a Bela Lisboa e os Portugueses e só no início do ano de 2004 retornou a escrever. É Membro efetivo da Academia Virtual Brasileira de Letras DA ULA - UNIÃO LITERÁRIA ANAPOINA DA AVLLB - ACADEMIA VIRTUAL DE LETRAS LUSO-BRASILEIRA e participou de Seis Antologias escritas.
Recebeu um certificado pela classificação em primeiro lugar no concurso Literário Lusófono da Revista Eletrônica Informe News, assim como uma Medalha em homenagem ao Poeta Pablo Neruda.
Muito do que escreve é sobre o Brasil e vários países que conheceu.

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s