s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Ana Candida Echevengu
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
anaechevengua@gmail.com
Biografia

A Era da Vida Banalizada
Ana Echevenguá

Morremos de medo, de depressão,
de craque e de cocaína,
se não vemos a luz na próxima esquina.

Morremos por causa da gula,
Por não entendermos um \'não\'
Ou da certeza de sermos heróis.

É a Era da Vida Banalizada:
Perdeu seu valor,
Não serve pra nada
E o certo é dar um \'basta\'.

Os números continuam escondidos
Pra não criar alarde.
Quem quer falar?
Quem quer ouvir?
Psiuu! A novela das oito vai começar!
Deixa isso pra mais tarde...

...............

O mundo da poesia,
onde cada palavra irradia
a sábia mente do autor,
é o mesmo mundo real.

O poeta mescla ação e emoção,
cores e cheiros, terra e céu.
Sua caneta é o cinzel
verbalizando a criação.

Assim, torna a vida mais bela
e os amores mais possíveis.

*********

Mulheres

As mulheres que me cercam
São doces, íntegras e fortes
Enfrentam a vida, vivenciam a morte
Em cada amanhecer.

Têm a alma feminina
Acalentando sonho
E um jeito risonho
De mostrar que a vida é bela.

Esta fibra de heroína,
Que circula nessas mulheres amadas,
Contagia, protege e ensina

Carmo, Bárbara, Zeli
Candice e Carolina
Parabéns! Todo dia é o nosso dia!

À neta que está por vir

Eu olhava o pôr do sol quando te soube;
fiquei assustada com a boa nova.
O coração que me habita pulsou sobressaltado
Na análise do futuro, do passado...

Não foi o desamor que me moveu;
foram temores do mundo que te receberá
e o zelo pelo cofre que te abriga
E que eu queria isento dos revezes da vida

Mas já estou cativa e à espera
Apta a orientar meu fruto
Sobre o inusitado e sua responsabilidade.

A tua vinda já mudou nossos rumos
Estamos tecendo um ninho de amor,
Com certezas de felicidade.

Todos Precisam de um Anjo

Todos precisam de um anjo
pra tornar a vida mais bela;
precisam de luz e calor
adentrando pela janela.

Todos precisam de amor
de carinho, ... de muita felicidade;
essas coisas que as crianças
possuem na tenra idade.

Uma criança é um anjo,
um presente que Deus nos dá
para enfeitar a Terra
e, por certo, nos alegrar.

Eu gerei minhas meninas
que serão, pra sempre, meus anjinhos;
uma delas gerou um anjo
pra iluminar nossos caminhos...


Bem-Vinda

Bem-vinda a esta terra
Que tem sol e lua cheia
Que tem mata e gaivota
Que tem mar por toda volta.

Bem-vinda aos meus braços,
Ao carinho da família,
Aos afetivos e fortes laços
que me ajudam no dia-a-dia.

Bem-vinda, pedaço de mim.
Tua chegada me renova
Meu amor foi posto à prova
Quando soube que virias.

Chegaste com o raiar do dia,
Com os sinos da capela
Pra mostrar a tua força
E comprovar que a vida é bela!

Vieste cercada de esperança
E sem medo do novo mundo.
Deus, num gesto de amor,
Te enviou dos céus, minha criança.

Candice amiga-amada

Nossa amizade
Floresce a cada dia
Dor, mudanças e alegria...
Já vivenciamos lado a lado.

Menina-mulher, mulher-menina,
Deus viu-me sozinha na Terra
e, para mudar minha sina,
enviou-me um de seus anjinhos

Quando olho teu sorriso
Que preenche a casa e o meu mundo
sinto que todos meus erros passados
foram relevados.

Filha amada, filha amiga
Tão parecida comigo!
És meu porto, um abrigo
A nota mais doce da cantiga.

Biografía:
Ana Candida Echevenguá
, brasileira, divorciada, advogada e articulista, especializada em Direito Constitucional, em Direito Ambiental e em Direito do Consumidor. Atualmente, é presidente da Academia Livre das Águas e da Ambiental Acqua Bios, nas quais desenvolve um trabalho diretamente ligado às questões sócio-ambientais, difundindo e defendendo os direitos constitucionais do cidadão à sadia qualidade de vida e ao meio ambiente ecologicamente equilibrado.

Nasceu em 21 de novembro de 1961, na cidade de Jaguarão, município no extremo sul do Rio Grande do Sul que faz fronteira com o Uruguai.

Filha de militar, morou compulsoriamente em várias cidades do Rio Grande do Sul, tendo contato com as peculiaridades características desses locais, especialmente os problemas oriundos da péssima distribuição de renda. Por isso, decidiu ingressar na Faculdade de Direito e colaborar com os vários movimentos socioambientais que estavam se formando no seu Estado. Participou de forma voluntária de associação de vítimas de erros médicos, de associação de proteção aos direitos do consumidor e dos movimentos favoráveis à reforma agrária.

Deu à luz duas meninas maravilhosas e inteligentes: Candice [1982] e Carolina [1986].

Em 2001, para fugir da violência urbana da capital gaúcha, decidiu morar em Florianópolis-SC, aonde a veia artística e poética dos habitantes é mais acentuada. Desde então, participa de vários grupos de poetas e contistas.

Atualmente, mora na praia de Canasvieiras, um paraíso que reúne mar de águas limpas e morros verdejantes, pescaria artesanal de tainha e turistas que procuram sombra e água fresca; aonde ainda encontramos gaivota e o urubu – em coexistência pacífica – alimentando-se dos restos das redes.

Ana Echevenguá

ana@ecoeacao.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s