s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Silvia Nobre Wajpi
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
ESSA TERRA NO TUA

Pinto o meu corpo com as cores da mata.
Enfeito-me com as penas dos pssaros.
E tento fugir daqueles que mentem.
Daqueles que prometem e no cumprem.
Daqueles que tentam calar a nossa voz.
Mil guerreiros!
Mil espritos!
Milhes de sonhos...
Nosso povo iludido e massacrado
chora pela terra que no mais sua,
pela terra banhada com o sangue dos nossos bravos!
Sei que tu me olhas e pensas:
-Que animal esse?
- Que Ser estranho esse que vem da floresta e contesta?
Contesto as leis que os invasores impuseram!
Contesto o amor prometido e que nunca veio!
Contesto a doena e a morte que teus homens nos deram!
Contesto o deus que me obrigaste a servir!
Brigo pela terra que era minha!
Pelo sonho que no se perdeu!
Brigo pelo DEUS dos meus antepassados.
Brigo em nome do Esprito do nosso Deus!
Onde estavas tu, quando os pssaros para ns cantavam?
Onde estavas tu, quando nossas ndias amavam?
Onde estavas tu, quando o nosso povo danava?
Onde ests agora?
O que fazes tu, enquanto nossas mulheres choram?
O que fazes tu, quando nos roubam a terra?
O que fazes tu, enquanto garimpeiros nos matam ou quando latifundirios
e madeireiros ordenam o nosso extermnio?
Tu no choras, porque essa terra no tua.
Tu no choras, porque o sonho no teu.
Tu no choras porque o sangue vertido nas matas no ,
e nem ser o do teu filho! Mas ser o do meu!
por isso que no te comoves.
por isso que no me ajudas:
Porque a terra no tua! Esse sonho no teu!
E para ti, tanto faz se o meu filho chora.
Ou se um ndio morreu!
Porque um povo que no preserva a sua identidade e nem guarda a memria dos seus mortos, no sabe de onde veio e nem sabe para onde vai...
por isso que no te comoves!
por isso que no me ajudas...
Tu no choras porque a dor no tua.
Mas o lamento meu!
Tu no choras
Porque essa Terra no tua!
Esse sonho no teu!

Silvia Nobre Wajpi

INDIOS SIM

O sol se ps e a lua j surgiu.
Estupenda e radiante como se nela brotasse a vida.
Olhos brilhantes como o fogo tambm brotavam no cu
Comovendo a minha face empoeirada na estrada.

A natureza morta e queimada no satisfazia o meu queixume.
Depois de tanto vagar e s encontrando
destruio e estupidez de um povo sem nao,
minha alma chorou e sangue verde e amarelo jorrou do meu corao.

Estpida raa que invadiu o meu pas!
Por que tudo destroem e no ajudam a construir?
Por que no se comovem com meu olhar sereno?
Com esta pele morena que cheira a selva e com o meu canto que trs a chuva?

ndios? Sim!
No injustos, mas injustiados.
No assassinos, mas assassinados.
No ladres, mas roubados.

Sim!
Humildes e humilhados!
Corajosos e atraioados!
Sim!
Verdadeiros e enganados!
Desamparados e ignorados!

Nao de Homens Nus!
Da Terra de Santa Cruz.
Em um pas endividado
com ndios martirizados
no mundo da propina e
do abuso de poder!

Silvia Nobre Waipi

OLHE E VEJA

Quando olhares para a terra
onde repousa o sangue e o Esprito dos antepassados...
Lembrars que preferimos viver!
Mas no abandonamos os nossos costumes
No aceitamos o deus que trouxeste para corromper e minar a nossa alma!
Olhe e veja! O que os teus homens fizeram!

Eu respirei a dor e o sangue!
A angustia era a composio da minh'alma.
E todos os dias o vento trazia sobre a copa das rvores
o canto de dor do meu Povo!
Choramos! Como quem chora sangue
E a agonia de estar vivo massacrou nossos sonhos.
Olhe e Veja! O que teus homens fizeram!

Zombaram de nossos velhos
Mataram nossos guerreiros
Golpearam nossas crianas
Estupraram nossas mulheres.
Olhe e Veja!
O que os teus homens fizeram!

biografia:
SILVIA NOBRE WAJPI
Silvia Nobre Wajpi
indigena de etnia Wajpi, Fisioterapeuta, Especialista em Anatomia e Biomecnica, Fisiologia do Exerccio, Membro Fundador do Comit de Fisioterapia Esportiva do Estado do Rio de Janeiro, Estrategista, Escritora, Atriz, Atleta. MOO, CMARA MUNICIPAL DOS VEREADORES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO; HONRA AO MRITO - XXII REUNIO ANUAL DA FESBE [Trabalho Cientfico]; PRMIO LIONS DE CULTURA, Lions Clube Rio de Janeiro - Ilha do Governador; Meno Honrosa - I Concurso Nacional de Contos- Revista Braslia; Medalha Cultural Revista Braslia - Conselho Editorial do Grupo Braslia de Comunicao; MEDALHA CULTURAL CASTRO ALVES, MEDALHA CULTURAL ORGENES LESSA, Medalha Cultural E. D'Almeida Vitor pelo Conselho Editorial da Revista Braslia; MEDALHA CULTURAL MONTEIRO LOBATO da BLOCH EDUCAO / PETROBRS; MELHOR POESIA PATRIOTA no CONCURSO CARIOCA DE POESIAS - EXPRESSO DA ALMA - RJ, PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO / ASSESSORIA DE EVENTOS; PRMIO LACESA JOVEM ESCRITOR da Academia Literria Feminina do Rio Grande do Sul.

silviasnl@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s