s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Denize Vieira Mota [Cnsul - Muriqui-RJ]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
O abrao
Pai, In memorium

Antes que desse o 1 passo
Perdi-me no espao
Quando ia sua direo.

De mos calejadas, sofridas...
Acende um cigarro
E j se percebe tantas pontas lanadas ao cho.

Parou-me o corao de bater.
O 1 passo em sua direo
Ficou suspenso no ar.

Observava de longe sua figura ,no to mida,
Fora alto, esguio na juventude.
A pouca curvatura percebida
Nem sequer demonstrava
Tantas feridas no ombro a carregar.

Quis falar...
Mas seu silncio....Constrangeu-me
E interrompeu-me todo o argumento.

Ficamos mudos, olhos nos olhos...
O tempo apagara o brilho
Notava-se a desesperana.

Quis abra-lo,
Mas senti-me rejeitada
Ao perceber que abaixara o olhar

Passos perdido no ar..
Sem abraos
Voc se foi
Para nunca mais voltar.

Os poemas que dou

Os poemas que te dou
escrevi nos meus momentos mais puros
feito pergaminhos guardo-os em gavetas perfumadas

Os poemas que dou
escrevi desnudando minha alma
abrindo as portas de meu corao

os poemas que dou
escrevi em momento de puro xtase
por isso cada recordao preciosa

Esses poemas
escrevi enquanto dormias ao meu lado
e podia sentir a tua respirao

Ah!!os poemas que te dou
so teus, somente teus
e no importa que j no estejas mais ao meu lado
No meu amor, a felicidade que vivi para sempre minha

amor verdadeiro no morre
vive nas recordaes
e acalenta as noites de solido

E quando outros amores aportam em nosso cais
Novos poemas nascem...mas iguais.
Nunca mais...

No te quero ausente de mim

No te quero ausente de mim
fico perdida em passos trpegos
declino de minhas decises

no te quero longe
preciso de tuas mos
para fortalecer meu caminhar
uso a luz de teus olhos como
lamparinas a me iluminar

No te quero ausente de mim
busco em cada atalho teu sorriso
navego em mares revolto
quando ests distante, me sinto frgil
perco a direo, sem teu corao
bssola para a minha direo

No te quero ausente de mim
preciso do calor
que somente teu abrao
consegue dar aos meus braos cansados
preciso de teu suspiro, pois dele tiro meu ar

no te quero longe, preciso de ti para continuar
a me sentir viva como no primeiro dia que te olhei
quando te recebi em meus braos pela primeira vez.

Ento, filho, no te afaste,
no te quero ausente de mim
pois sei que necessito de teu amor
Sou eu quem precisa de ti

biografia:
Denize Vieira Mota
, Jornalista, Poeta, Coordenadora Cultural. Membro correspondente da Academia Cachoeirense de Letras. Dois livros lanandos: A Fora do amor' 2003 - 'Miscelnea' - 2006. Participao em diversas antologias. Prmio Expresso Cultural 2008 pela Coordenadoria Regional de Cultura da Zona Oeste do Rio de Janeiro; MOO de aplausos pela revista Day By Night. Organiza e coordena concursos de poesia sempre voltados para campanha social. A grande final do concurso 2008 ser na ABL e a campanha 'natal das famlias de rua'. Lema de vida ' A unio sempre faz a diferena' e 'obstculos desafia a capacidade de cada um no jogo da via'
Denize Vieira Mota
30/11/2008
No consegui mandar a foto

coordenacao@abracisocial.org.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s