s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Clvis Oliveira Cardoso
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

Vida doce vida

O que levo desta vida de tanta alegria,
São sabedorias infinitas que vivenciei,
Partículas ou pedaços transformados em poesia,
São as marcas da vida que por onde passei...

Essa vida que continua ensinando-me a viver,
Querendo saber mais dessa doce alegria,
Essa doce vida para nunca mais eu esquecer,
Vida que passei um bom tempo fazendo poesia.

Não sei se deixarei, mas levarei saudade,
Saudade vivida em cada bem querer,
Sabedorias que acumulei com minha idade,
E também do passado que não posso esquecer.

Essa vida que está sempre me ensinando,
Preparando-me para um novo renascer,
Vida doce vida que assim eu vou levando,
Embora não seja eterno, não penso em morrer.

Ainda que

Ainda que seja um viver estressante,
Eu gosto de viver essa vida...
Sou feliz porque sou amado e amante,
Porque viajo por uma estrada colorida.

Mesmo que seja uma vida atribulada,
Sinto-me feliz por isso e gosto dessa vida,
Eu gosto do corre-corre e da hora marcada,
De uma história que já foi lida.

Ainda que o dinheiro não seja constante,
Assim mesmo essa vida é boa e eu quero,
Colhendo frutos em busca incessante,
Essa é a vida que eu amo e até venero.

Mesmo que tenha que correr e lutar,
Assim mesmo eu gosto de viver essa vida,
Vida que te quero vida para mim tu és salutar,
De ti não tenho lamento, nem seqüela nem ferida.

biografia:

Clóvis Oliveira Cardoso
é formado em Educação Física pela Universidade Castelo Branco do Rio de Janeiro, é professor de Anatomia Humana, Poeta, Contista e Escritor de Literatura Infantil, com alguns trabalhos publicados. Entre eles: QUIMERA E REALIDADE [Contos] UMAVIAGEM À LUA E MA VIAGEM EXTRATERRESTRE [literatura Infantil]. Clóvis toca violino e é pai de três filhos: Kennedy, Alessandra e Renata. Tem três lindos netos WALQUÍRIA, LIA E VINÍCIUS. A sua musa inspiradora é a Tânia, companheira e eterna namorada à quem deseja todas as poesias que escreve. O poeta escreve desde sua feliz infância, mas só aos 30 anos que enveredou pela carreira da literatura. É fã de Carlos Drumond de Andrade, Fernando Pessoa e Vinícius de Moraes. Dos poetas vivos é apreciador de Chico Buarque de Holanda. Clóvis toca violino que é o seu sonho sonhado desde sua infância.

clotan25@hotmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s