s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Helmar Fernandes
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
ACREDITE

Acredite no amor
como uma adaga cravada no peito
dilacerante a cegar
a tudo revelar

acredite no amor
pois no h nada nem ningum capaz
de det-lo, quando ele se apossa
vem tomando conta, fazendo de conta
quando ele brinca, atordoa, apronta

Acredite no amor
pois que no h mais nada a se acreditar
tudo que veio vo
tudo que vem esta aos seus ps
e dele nada esconde
a ele tudo se curva

Acredite no amor!
Estado concreto - mundo abstrato
abrao inesperado da vida
pra ser vivida! Cada gota. Cada soluo

Acredite no amor!!
Pois sem ele
no h primavera que floresa
no h pr do sol que convena

Meu amor! Acredite no amor!!!
Sbio conselheiro
Sem ele, eu e voc somos apenas
Vontade, desejo, esperana e medo

Acredite, meu amor! Acredite no amor
Se no souber como faz-lo
D a mo que te ensino
Vamos juntos a segui-lo
Dele no duvide em nada
Ele j conhece de cor a estrada

Acredite no meu amor
Acredite, meu amor!

A ROSA

Fiquei com pena da rosa no jardim
De beleza efmera

Fiquei com pena de v-la despetalar
Por isso a colhi

A colhi e a dei a voc
Pobre rosa de beleza efmera
Perto da sua beleza eterna
Ficou mais pobre ainda

Ela at se esforou
Alinhou as ptalas
Buscou no seu perfume inspirao
E tentou chegou a seus ps

Pobre rosa, mal sabe ela que nem a natureza chega a seus ps
Que dir uma pobre rosa

Mas ao receb-la, voc sorriu to lindamente
Que a rosa se tornou a sua beleza
Cumpriu o seu propsito

Afinal o propsito da rosa no ser bela
E despertar a beleza em quem a recebe....

QUIMERA

Pensei que voc saberia
Que amar no flor que desabrocha
raiz que se finca sob o sol perene

Alimente a raiz e ver que a flor cresce
Mas a flor s envaidece
O amor - esse sim embrutece

Pensei que voc saberia
Que amar no o tiro certeiro
O olho no alvo
A nsia do dedo no gatilho

a bala perdida
De vulto sorrateiro
Desavisada
To incerta quanto a dor de quem passa

No sou eu quem escolho a bala perdida
Nem sou capaz da atalh-la
S alimento a raiz, pensando na flor
Despegado de mim, deixo a bala me acertar
Deixo a flor nascer, abrir e murchar.

biografia:

Helmar Fernandes
, msico, aspirante a poeta, trabalha com pessoas, mas muito mais que ajud-las, procura conhec-las. Ama a natureza, respira os peixes e os pssaros. Pensa em um mundo livre - das prises visveis e das veladas...

tucuna@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s
s