s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Rosa Matilde Rodrigues de Mello
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
***Descoberta***

Queima fogueira ardente, soltando o cheiro de pedra queimada

Ferve o caf na trempe pendente, espumando, j aferventada

Folhas secas rolam pela relva, j batidas por tantos cascos

Um dia o lugar j foi selva, hoje so troncos tortos e toscos

Mas embora assim desgastada, paisagem versus magias

Muita gente campeia, esta estrada, cantando trovas em poesias

Atrs da gruta bela paisagem, to pura que parece intocada

Por ali, nunca houve passagem, nem toque na mata enrugada.

rvores toscas torcidas emusgadas, enroladas entre si enamorados

Sonhos de florestas encantadas, de contos, nunca dantes revelados

Deitou-se a rvore por sobre a outra, numa pose de trejeito sensual

Entranham-se uma na outra, que no se pode dizer, quem qual

Pouco a pouco convertido no passado, que verde ramo no seu corpo indivisvel

Que de seca por amor ficou molhada, perpetuada em sua raiz transmissvel

E aos dois amantes to unidos finalmente, envoltos em musgo e em gotas de orvalho

Ataram-se em fios por escolha permanente, so to felizes que ali no tem um malho

Neste amor puro que no tem fim e no tem morte, que os olhos viram e creram na realidade

Que existe sim, o bem querer com toda a sorte, que o amor perptuo, tem da natureza a eternidade

Querendo assim manter oculto este local, arrebanho ento todos os cips e com a promessa

De que o amor reinar por igual e imortal, eu trano tudo, dou belo n e fecho a pea...

***Rosa Mel***

*** MEU AMOR IMORTAL ***

O que me faz querer-te como te quero
O que tens que fico louca ao pensar em ti
Tudo fao, digo, eu me esmero
E realmente nem sei o que vi

Devo ser por deveras insana
Por querer-te tanto assim
E por vezes tenho gana
Ao envolver-me nesse festim

Nesta angstia que fere minh'alma
To florida de amor, quente e sensual
Com certeza seria a minha calma
Se deixasse de ser to casual

Quando jogasse ao universo
O teu mantra de querncia imortal
Deixaste minha vida num reverso
Junto a tua num elo transcendental

E hoje teu compromisso est amarrado
Onde envolveste os elementais do amor
No fujas do lao por ti conjurado
No extermines este fogo e fulgor

Deixe que a roda da vida se proponha
Cumprindo o dito e o traado verbal
Se no me queres nesta, vida ento deponha
Aquele amor que eu julgava imortal

***Rosa Mel***

*** AMOR DE LUA ***

Olhando o mar
e entrando
no mar dos meus
desejos
Sol no horizonte
querendo deitar
A lua em outro quadrante
Insistindo em levantar
So tal e qual
Dois amantes
Querendo disfarar
Que a paixo que os atrai
Ao amanhecer
fulgurante
Ao anoitecer
extasiante
Que ele dorme
E ela sai
de mansinho...
Mas vai voltar.

***Rosa Mel***

biografia:

Rosa Matilde Rodrigues de Mello
[Rosa Mel]
Poeta e artista plstica, autodidata, nascida em 16 de Maro de 1650 em Porto Alegre no Rio Grande do Sul.
Tenho na poesia, o gosto da Saudade e do Amor. Procuro poetar sempre um tema agradvel de se ler, seja sobre Amor, Criana,e Natureza onde haja Luz e Paz.

fioredemel@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s