s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Marcos Marrom
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

[ELE],RIO DA PRAÇA, [NO FIM]

Na Praça da Sé
Olha o José
Andando de a pé

Congonha come pamonha
Congonhas comeram pamonhas
Ever bare, come!
Psiu!

O rio assustado
Prédio lotado
Paulista na gíria, \'meu\'.
Cuidado com o seu...

Lá vai o paulista
Goiano mal/criado
Na rua pelado
Suco de uva com pastel, amigo meu.

Na Praça da Sé
O José de a pé

Não conheço seu nome, parece...
Pé - Lé
No campo da fé

Amigo meu - Na Praça da Sé
José vou falar
Bicho arretado
Brabo sai de pé
Dá soco pontapé
Mija na praça da grande igreja da Sé

Céu não vai
No inferno aqui não cai
Sumiu na Sumaré
Na barra funda
Ninguém ofereceu café

O rio Tiête nasceu aonde morreu
Da caatinga do Sertão
Em desenhos xilográficos registra as capas
Dos textos cordenianos

Se o trem não passou,
O turismo
Petrificou e Maria fumaça acordou.
Tom Zé tocou
Notificou
José na Praça da Sé
Andando de a pé
Agora deitado
O frio chegou
Não camuflou

O trânsito garraf/a [ou]
Emergência não chegou,
Um gole na cerveja alguém tomou
Comemorou!

Na Praça da Sé
Olha o José
Deitado não anda mais a pé

Não tem mérito

Na praça vendem picuinhas
Na praça vende picuinha
...
Psiu!

Tentaram vende-lo
Não tem comprador

Ninguém ligou para o corpo
\'Ninguém\' ligou para o celular
Do seu \'familiar\'

Aonde José nasceu?
Quem é José?
O José da Praça da Sé.

O José
Não marcou a historia
É um sujo no asfalto da memória

Até que uma hora
O cheiro já entardecido
Uma mão miúda
Toca o seu rosto envilecido,

Todos petrificados, o chão arrastou.
O céu chorou
E levou para o
Descanso rio a baixo
Alagado no seu cheiro fedido

José da Praça
Escorreu rio a mar
Prontificando o seu descanso

Marcos Marrom

UMA NOITE
VEM DE UMA NOITE


A POESIA
PARECE UM BARCO
AS ONDAS É COMO
PALAVRAS
PARECE UM MOVIMENTO
O AR FAZ
BARULHO
PARECE UM PASSÁRO
OS PEIXES
PARECE UM NAVIO
O HOMEM RIR
PARECE UM BANGUELO

marcos marrom

VIVER SEM ACONTECER?

um dia nasceu, mais....
o dia não nasceu, porque,
resolveu não nascer
o que aconteceu?

as pessoas nasceu sem
perguntar para
o dia se podia nascer
mais os homens outra vez ...
não nasceu
o que aconteceu?

marcos marrom

biografia:

Marcos da Silva Santana [marcos marrom]
conhecido como marcos marrom estudande de teatro de boneco mora em Goiania, escritor amador preste a publicar o livro \'o desagunso caligrafico\' 24 anos solteiro morando em Buenos Aires, publicou dois poemas na antologia 2005 da lavourartes.

marron.marcos@gmail.com

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s