s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Cosme Diego Ludfio
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Todos enxergam ningum v.

Todos enxergam e ningum v
O choro da morte pela vida
Que engatinhando ainda
Sofre as conseqncias de um prazer

Todos enxergam e ningum v
A alegria da vida pela morte
De mais um alojado num corpo sem dote
Vivendo sem nada merecer

Todos enxergam e ningum v
A face de deus oculta
Num mais novo amanhecer
Pedindo a sua grata ajuda

Todos enxergam e ningum v
A necessidade de sermos um
Pra compormos um Te Deum
E provarmos que valeu ser

O que s o nosso esprito
Com orgulho de toda a f
Que os olhos da alma cr.
__________________________

Olha a Paz

Com lgrimas nos olhos
E sorriso desconfiado
Olha a paz dos sonhos
Com medo do espantalho

Com uma veste negra
Em luto pela violncia
Sua irm estrangeira
Que vive na desobedincia

Olha a paz de salto-alto
Seguindo o caixo da criana
Que deitada ali, brinca de ser o alvo
Da brincadeira dos adultos sem esperana

Todos esto de luto
Pela morte infantil
Que de um modo absurdo
Faz morrer um novo 'Brasil'.
_________________________

Ai, que beijo!

Ai, que beijo tu me deste
Com essa boca celeste
Que calou meu grito
Numa habilidade mestre
Ai, que beijo eu senti
Com esses lbios doces
Que fechou meus olhos
E vi o lao se unir
A sua pomba branca
E meu silvestre camaleo
Com os lbios umedecidos
Ai, que beijo tocou meu corao
A rua que nos viu
Sente a saudade eterna
Daquele beijo que a iluminou
Ai, que beijo puro de donzela!

biografia:
Cosme Diego Ludfio


cosme.d@oi.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s