s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Carlos Augusto Cac
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

Avante

O mundo devia ter
Um pouco mais de poesia.
Mais festa, mais alegria,
Mais tempo pra se viver.
A gente devia ser
Tarado a vida inteira.
Devia não ter porteira,
Nem cerca, nem hospício
E nem um outro artifício
Que tirasse a liberdade.
Devia ter mais verdade,
Mais pontes num pontifício.

A gente devia andar
Mais solto na natureza.
Dançar com tanta leveza
Até poder flutuar.
E, no alto, encontrar
Outros pares libertados.
Saber com têm passado,
Têm futuro, têm presente.
E depois falar da gente.
Nossos sonhos, nosso ofício
De saltar os precipícios
Pra poder seguir em frente.
[do site www.caca.art.br]

Monstros no céu

Vamos caminhar no parque
enquanto seu lobo não vem.
Vamos praticar a arte
de chegar um pouco além:
olhar a nuvem no céu
e desenhar no papel
a forma que ela contém.

Ver que parece um bicho,
um monstro, um elefante.
Olhando com mais capricho,
é um cachorro elegante,
ou um fantasma esquisito.
Mas o dia está bonito.
Convida os caminhantes.

Vamos sair sem nada,
bater pernas logo cedo.
No meio da caminhada,
vou te dizer o segredo
dos monstros que ainda tenho
e que transformo em desenhos
pra afugentar o medo.

Contos de fadas

Ah, então é você
Com seu sorriso leve
Que vai me proteger
Feito Branca de Neve.

É você que vem vindo,
Ignorando espadas,
E já quase dormindo
Em meu conto de fadas.

É você a mulher
Destemida e bela
Que dança com quem quer.
Passos de Cinderela.

É você Rapunzel
Que me joga as tranças
Pra que eu suba aos céus
No compasso da dança.

Você é o pavio
Da explosão da vida.
Borralheira no cio,
Bela Adormecida.

Chapeuzinho Vermelho,
Quando o sonho se solta,
Tem um lobo no meio
E as pernas em volta.
[do livro: Fadas Guerreiras]

biografia:

Carlos Augusto Cacá
nasceu em Itapirapuã - GO. Desde criança vive em Taguatinga - DF, onde participa da Tribo das Artes, grupo com o qual interpreta poemas em feiras, bares, teatros, cafés, bibliotecas, escolas, praças, marchas e outras manifestações de trabalhadores. Participou do PSIU poético [Montes Claros-MG]; FLIP [Paraty-RJ]; Bienal do Livro [Goiânia-GO]; Feira do Troca [Olhos d\'Água-GO]; FestinBonito [Bonito–MS]; FSM [Porto Alegre–RS]; Feira do Livro [Brasília-DF]. É autor dos livros Fadas Guerreiras [poesia] e Máscaras [contos]. Com visão crítica e delicada, aborda a mulher, o desejo, os sonhos de liberdade e a luta por justiça. Convida os leitores com os versos:
\'Vem comigo, vem pra dentro.
Veja o que há de ti em mim.
Abra a porta que eu entro.
Sento à mesa, como e falo.
Quando quiser pôr o seu fim,
Feche o livro e eu me calo.\'
www.caca.art.br

caca@conectanet.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s