s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Nestor Kirjner [Cnsul - Lago Sul-Braslia-DF]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
A LENDA DE VILA BRANCA
[Letra e msica de Nestor Kirjner]

Vou morar em Vila Branca...
Vou morar em Vila Branca...

Em Vila Branca, o tempo existe para a vida,
e querida toda mo que acaricia.
E se inicia, a cada luz,
o dia que seduz
saudade a ser melancolia.

Em Vila Branca, o vento toca teus cabelos
e faz desvelos, faz sorrir a tua amada.
E a madrugada faz-se em luz
no canto que seduz
a noite a ser alvorada.

Vou morar em Vila Branca...

Em Vila Branca, haver quatro paredes
s para as redes dos amantes mais libertos.
E estar perto de voltar o dia,
certo dia, longe,
que existiu nos tempos.

No tempo, busco a orao de f na vida,
em que era ouvida a palavra, mais que a fora!
E fora nunca h de rimar o tempo
com a felicidade
que h em cada momento!

Vou morar em Vila Branca...
Vou morar em Vila Branca...

Biografa:
NESTOR KIRJNER
Currculo artstico-musical


. Brasileiro, casado, engenheiro, professor de acordeon, violonista autodidata, compositor, poeta musical e agente cultural.
. Nascido em Santiago do Boqueiro [atual Santiago], no Rio Grande do Sul, no dia 20 de maro de 1944.
. Tem, atualmente, 64 anos de idade.
. Reside em Braslia h 35 anos.
. Endereo: SHIS QI 15 conjunto 2 casa 7 Braslia - Distrito Federal Brasil.
..


Trajetria musical

. Professor de msica, diplomado como acordeonista no ano de 1959 pela Escola de Msica Cabral de Mello Borges, de Porto Alegre RS. Diplomado pela Escola, foi aprovado a seguir no exame do MEC.

. Como acordeonista profissional, foi lder do conjunto de baile Nestor e seu Conjunto, no perodo de 1960 a 1962, atuando basicamente na cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.

. Cursou a Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, formando-se em Engenharia Eltrica no ano de 1966. Nesse perodo, devido a problemas de sade [dores na coluna herdadas de sua atuao como acordeonista de baile], trocou de instrumento, passando do acordeon para o violo. Autodidata, complementou sua formao no novo instrumento com vrios professores particulares, entre eles o maestro Jos Gomes [da banda de Almir Ster e Diana Pequeno] e os destacados professores instrumentistas Eustquio Grillo [da Universidade de Braslia] e Raul Santiago [um dos fundadores da Escola de Msica de Braslia].

. J em Braslia, exercendo a Engenharia Eltrica na rea de telefonia, dedicou sua veia artstica basicamente atividade de composio, tendo escrito inclusive msica para cinema e textos para musicais de teatro. Fundou vrios conjuntos alternativos, entre eles o Grupo Vo Livre, patrocinado pela Telebrs, empresa onde trabalhava. Tambm na Telebrs, foi Diretor do Grupo de Teatro Sala de Espera, quando procurou especializar o Grupo na montagem e criao de musicais suplementados por textos poticos e filosficos.

. Aposentou-se como engenheiro no ano de 1997, dedicando-se, a partir da, somente a atividades culturais.

. Como microempresrio, dirigiu por dois anos a Academia Kirjner, escola de violo para principiantes, onde procurou implantar um modelo prprio e original no ensino do instrumento.

. Tem dois CDs gravados. O primeiro de cunho profissional, denominado Sinfonia da Cidade Nova, foi lanado em 2003. E um Carto de Natal Sonoro, editado em tiragem restrita, para distribuio gratuita no Natal do ano passado [2007].

Atividades como compositor de letra e msica
. Revelou-se compositor precocemente, aos sete anos de idade, compondo principalmente marchas de carnaval e sambas-canes.

. Com o curso de acordeon, passou a compor MPB propriamente dita, de forma mais elaborada. Aos 17 anos, comps Cano da Esperana, que caracteriza o incio de uma fase mais madura do ento precoce compositor.

. A partir da, classificou-se em diversos festivais, tendo em vrios deles chegado condio de finalista. Teve duas notas mximas como compositor em carnavais do interior do RS, mas foi em Braslia, onde chegou no ano de 1973, que viria a vencer pela primeira vez um Festival de Msica Popular. Em 1975, com a msica Pensamento, parceria com Lenine Rocha, foi escolhido melhor compositor no hoje histrico Primeiro Encontro Brasiliense de Compositores, promovido pela Rdio Planalto.

. Na fase brasiliense, sem deixar de compor letra e msica de suas prprias canes, Nestor Kirjner comeou a desenvolver diversas parcerias, tanto fazendo melodias para amigos poetas como fazendo letras para msicos com quem convivia. Uma dessas parcerias deu origem a Canto-Braslia, feita sobre uma melodia do compositor Tiozinho Rodrigues, fundador do tambm histrico conjunto brasiliense Squema Seis. A msica foi lanada em 1982 pelo prprio Squema Seis, constituindo-se na primeira tentativa de compositores de Braslia no sentido de popularizar canes de amor cidade, maneira de Cidade Maravilhosa, de Andr Filho, que ainda hoje caracteriza a cidade do Rio de Janeiro. O tema do Canto-Braslia bastante popular, de fcil assimilao, e o poema utiliza-se das sete notas musicais, para cantar sete sentimentos sobre a cidade-milagre em que vivemos, concluindo-se com forte refro, no oitavo movimento da melodia. O projeto de divulgao do Canto-Braslia nas escolas de nvel mdio do Distrito Federal foi aprovado pelo Fundo de Apoio Arte e Cultura FAC e pelo Conselho de Cultura do Distrito Federal no ano de 2001, tendo sido executado ao longo do ano de 2002.

. Nestor Kirjner possui cerca de 80 msicas prprias e cerca de 20 composies em parceria. Entre suas msicas mais conhecidas esto, alm das j citadas Canto-Braslia e Pensamento, o samba de raiz Minuto Vagabundo, o irnico e alegre Forr Brasiliense, e a Valsa do Pierrot [todas compostas com parceiros brasilienses]; e tambm o Hino Para o Ano Novo, a utpica A Lenda de Vila Branca e a homenagem que o compositor fez ao Coral que ajudou a fundar, a marcha-rancho Se o Coral Alegria Passasse por Mim, estas ltimas com letra e msica do autor.

. A mais importante realizao de Nestor Kirjner como compositor foi a concepo e realizao do CD Sinfonia da Cidade Nova, lanado em 14 de maro de 2003, no Dia Nacional da Poesia, h 5 anos passados. O lanamento aconteceu nos significativos espaos brasilienses do Ptio Brasil e da UnB - Universidade de Braslia. Trabalho de dois anos de durao, entre composio, gravao e lanamento, a Sinfonia da Cidade Nova uma homenagem a Braslia que parte da idia que moveu Tom Jobim e Vincius de Morais a compor, em pleno Catetinho, no ano de 1959, a Sinfonia da Alvorada, msica-tema da inaugurao de Braslia. A Sinfonia da Cidade Nova pretende ser uma traduo popular dessa importante obra potico-musical. Apoiado pela participao de sete talentosos parceiros, a Sinfonia da Cidade Nova est estruturada com um Prlogo e trs Movimentos, onde surgem canes picas ao lado de choro, samba, xte, forr, marcha-rancho e valsa brasileira, num retrato musical de Braslia que entendemos ser fiel a sua histria de convivncia e miscigenao. E, na letra do Samba da Cidade Nova, msica-tema dessa Sinfonia popular, Braslia preconizada utopicamente como a futura Capital da Paz.

Outras atividades culturais

. Diretor Musical do Coral Alegria, h 6 anos. Esse Coral, que nasceu na Administrao de Braslia, atualmente patrocinado pela Codeplan.

. Colunista cultural do jornal Lago Notcias, com tiragem mdia de 10.000 exemplares. A coluna Toques Culturais, que publicada desde julho de 1998, completar, em 2008, 10 anos de existncia.

. Diretor Cultural da Casa do Poeta Brasileiro. J foi, por duas vezes, Vice-Presidente da Casa.

. Diretor Cultural da Sociedade Amigos da BDB - Biblioteca Demonstrativa de Braslia. Nessa instituio, Secretrio da Comisso de Seleo do Projeto Bibliomsica, patrocinado pela BDB, com apoio da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Foi pioneiro desse Projeto, como participante, onde milita h 13 anos.

. Membro da confraria musical Seresteiros do Cerrado, cultora de nossa MPB mais tradicional.

Principais comendas e premiaes

. Medalha do Centenrio de Bernardo Sayo, recebida em solenidade realizada no Catetinho, recebida das mos de La Sayo, filha de Bernardo, e de Ana Cristina Kubitschek, neta do fundador de Braslia.

. Primeiro Encontro Brasiliense de Compositores, promovido pela Rdio Planalto: nota mxima.

. Nota dez do poeta Mrio Quintana, num festival de msica realizado no Rio Grande do Sul. Foi a nica nota dez dada pelo poeta, entre 770 letras concorrentes.

Anexo: letras de msicas

. Foram anexados a este currculo seis poemas musicais, representativos da obra potico-musical de Nestor Kirjner,

E-mail:

nestorkirjner@terra.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s