s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Clia SIQUEIRA ARANTES
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia

SONHARES NOVOS

Viajo para rumos diversos, até para rumos de versos,
conduzida pela idéia.Transito pelo pensamento,
pelo sentimento.Planto palavras que germinam contos,
poemas, crônicas, confrontos. Nada de odisséia ou epopéia:
registros de um tempo de calma ou de contratempo.
Idéias resultantes do envolvimento, do momento
ou de outras épocas, lugares de folguedos:
riachos, arvoredos, pomares... Vez por outra,
tempo sem sol, de bruma revestido,
ou respingo de chuva em arco-íris refletido...
Conduzida pela vontade, embarco em novos sonhares
ou em outros luares. Rotas traçadas por instrumentos
cortam os ares, engolem mares, serpeiam terra,
contornam serra, cruzando cidade...

Esquecida a idade, travo conhecimento
com países, raízes de nossa História.
Vislumbro fatos mágicos, ou trágicos, de derrota ou vitória...
Paradas, encruzilhadas, mudanças de fusos horários,
novos itinerários sonhados e concretizados.
Afivelada a bagagem, o regresso à terra de origem.
Feliz o reencontro. E, no ponto de partida
da esperada viagem, abraços, sorrisos me acolhem...
Saudade vencida, beleza da vida!


MULHER-FLOR?

“Mulher deve ser como flor...”

Não ambiciono ser flor.
A delicadeza de sua haste não condiz
com meu modo de ser, de viver...
Forma gritante contraste com meu gesto rude
e com a carga emocional de que disponho.
Não sou de sonho, mas um potencial enorme de querer,
de me doar, de carregar nos ombros,
nos braços, alheios cansaços.

Não quero ser flor! Estática em sua beleza,
no eterno ficar no mesmo lugar
ou ser podada e direcionada
para onde outros queiram que ela vá.
Simplesmente aceitar, sem questionar.
..............................................................

Não sou flor, sou Mulher
capaz de querer no meu modo de ser,
capaz de vibrar no meu jeito de amar.

TRANFIGURAÇÃO

O escritor se solta e divide com o papel sua mágoa...
Derrama o conteúdo de seu potencial criativo
com ou sem motivo... Em lírica linguagem
assume a condição de poeta e interpreta seu pensamento
seu momento... Assume, com coragem, a temática social.
Recria situações de sua natural vivência
e a essência de suas emoções transfigura-o em solitário,
ao viajar no itinerário da idéia.
Registra epopéia, ou cenas banais em falas coloquiais...

Solta sua mensagem, desnuda sua angústia...
Na tentativa de solucionar conflitos
invade áreas não conhecidas das vidas,
plenas de alegria ou tormento
e se enleia em tramas emocionais,
em textos fictícios ou reais.
Apenas escreve à maquina,
[digita, explicita]
ou a próprio punho,
para dar testemunho
da realidade de seu tempo..


Biografía:
CÉLIA SIQUEIRA ARANTES


Nasceu em Buriti Alegre, Goiás, a 8/12/1928 e reside em Goiânia desde 1935, acompanhando os pais: Galdino de Paula Siqueira e Emerenciana de Vasconcellos Siqueira. Professora e Contabilista, casou com Alexs Batista Arantes, vivendo períodos em Ceres e Anápolis. Pais de 6 filhos, desdobrados em 14 netos e três bisnetos. Regressou à Goiânia, após a viuvez. Ocupa a Cadeira 45 da Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás. Pertence à União Brasileira de Escritores-Sessão Goiás, ao Instituto Histórico e Geográfico de Goiás, à Associação Goiana de Imprensa e à Comissão Goiana de Folclore e ao Ceculco-Centro de Cultura do Centro Oeste, sediado em Brasília. Co-fundadora da Academia Anapolina de Letras e Artes, presidente por 15 anos. Em Anápolis, exerceu as funções de: Secretária Municipal de Cultura, Coordenadora da Casa do Artesanato/Goiastur, e gerente do Centro de Aprendizagem e Produção em Tecelagem, ligado à Ação Social do Palácio do Governo do Estado de Goiás. Publicou os livros: “Chão Livre” [Poesia] e “Fios da Memória” [Contos] que recebeu o “Prêmio Alejandro J. Cabassa” concedido pela União Brasileira de Escritores-Rio de Janeiro e entregue no Auditório “R.Magalhães Jr.” da Academia Brasileira de Letras-ABL. A ser editado: “Rumos” [Crônicas]. Integrante do “Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras”, de Nelly Novaes Coelho, Editora Escrituras, São Paulo; da “Antologia Poética Brasil, Chile e Peru”, e “Escritores em Ação! Trinta Anos de Atividade Cultural, em Goiás,” UBE-Go/1986., ainda “Analises e Conclusões” de Nelly Alves de Almeida. Participou no Chile do “IV Encuentro del Arte y Cultura” em Melipilla e foi palestrante no Peru, no “Primer Encuentro Internacional del Arte y la Cultura de Trujillo.” Componente do “Caderno de Poesia Oficina 33” lançado na XII Bienal Internacional do Livro, no Rio de Janeiro, pela Oficina Editores e de “Poetas Em/Cena”, no “Belo-Poético”, em Belo Horizonte /MG, bem como da “História do Batismo Cultural de Goiânia” de Ubirajara Galli. Recebeu os títulos de “Cidadã Goianiense”, de “Personalidade Cultural do Ano,” o “Troféu Tiokô”; “Medalha Bernardo Sayão” em Brasília, o diploma conferido pelo Instituto Histórico e Geográfico de Goiás: “América Latina, Caminhos da Memória” e o de Honra ao Mérito, pela Secretaria Municipal de Cultura de Goiânia.

Contato:
Site:
http://www.literaturadobrasil.com.br

E-mail: celiarantes@uol.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s