s
s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Cludio Bento
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
cbento189@gmail.com
Biografia

Cláudio  Bento

Cláudio Bento nasceu na cidade de Jequitinhonha, nordeste de Minas Gerais, No ano de 1959. Seus pais, Maria da Conceição Bento Gonçalves e Euplínio Rodrigues de Sousa.

Fez os primeiros estudos no Grupo escolar Nuno Melo em Jequitinhonha. Começou a publicar seus livros de maneira independente e artesanal no início dos anos oitenta na sua cidade natal.

É poeta, compositor e produtor cultural, tendo participação ativa no movimento cultural

Do Vale do Jequitinhonha. Trabalha ministrando oficinas e cursos literários em escolas públicas, feiras de livros, salões de livros e festivais de arte e cultura.

Possui alguns livros publicados, entre eles, Inventário da infância, Cheiro de jenipapo e Jequitinhonha e outros poemas.

 

 

A CIDADE E AS CANOAS

Minha cidade mistura-se às canoas
Ao vento que varre a orla do rio

Minha cidade é lama e barro das enchentes
É pedra preciosa no oco do chão

Minha cidade é areia branca de praia sem fim
É água ribeira sino de igreja rua de terra batida

Minha cidade é o sobrado colonial
Sob o sol das tardes de verão

Minha cidade é passado
Minha cidade é saudade

Minha cidade é quimera
Fotografia em sépia pendurada na parede



A CASA ILUMINADA DE SOL

A casa iluminada de sol
Amanhece
Como amanhecem os pássaros

O sol ilumina o chão de terra batida
Ilumina uma antiga peça de barro
Do mestre Ulisses de Itinga

Ilumina as paredes gastas
As frutas sobre a mesa da cozinha

as roupas jogadas
Sobre a cama

A casa iluminada de sol
Desamanhece em auroras

Depois anoitece
Confeitando estrelas



FOTOGRAFIA ANTIGA

Não segui os conselhos de Drummond

Faço versos sobre acontecimentos que só interessam a mim

Principalmente faço versos sobre a minha cidade

E minha cidade continua sendo uma fotografia antiga pendurada na parede

Minhas confissões nada revelam
Acontecimentos extremos a muito não acontecem

Permaneço impávido
Engolindo e vomitando outras paisagens

Fazendo versos
Como quem ri


 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s