s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Otelice Soares de Oliveira
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
NA MEDIDA DO AMAR

O meu corao uma asa viva
Que no se contenta em deter-se
Ante o ensurdecido barulho do nada
E o incontestvel desencanto ante o ser.

O meu corao quer flutuar
E ver
O tempo escrito, nas estrelas,
O tempo desejado, detido, espera
Do renascer.

O meu corao quer coraes
Que saibam, verdadeiramente, amar.
No quer ser passageiro nem mendigo,
Mas, permanncia, no ato de gostar.

O meu corao quer abrir portas,
Quer abrir caminhos
Que tragam aos cegos a claridade
Que os espera e que no querem ver.

Meu corao, com passos leves e serenos,
Quer mergulhar nos sonhos,
Envolver os passantes,
Falar de janelas e luar,
Cantigas e poesia.

Meu corao quer aglomerar,
Cercar-se de toda a gente,
Derramar os seus sentimentos,
Na medida do amar.

POESIA

A poesia habitou no mundo dos solitrios,
Floriu a vida dos amantes,
Foi o grito dos tristes e infelizes

Flores de outono nuns coraes,
Aroma de primavera em coraes outros.

Mas, triste o princpio dos princpios,
Caminhou com passos resolutos
E fincou-se no corao do homem.

UM GRITO

preciso gritar.
O mundo precisa de um grito
Que acorde os coraes adormecidos
E quebre os coraes de pedra.

Um grito que restaure valores
esquecidos
E principie outros valores
Que no estes de agora.

Um grito
Que restaure o Amor
E reconstitua a Paz.

biografia:

Otelice Soares de Oliveira
, naural de Potiragua, sudoeste da Bahia, brasil, residente em feira de santana, graduada em letras Vernculas, ps-graduada em Planejamento Pedaggico e Perspectivas scio-polticas, ps-graduanda em Lngua Portuguesa, atua como professora de Lngua Portuguesa e Literaturas na rede estadual, desde 1985. Ama a poesia e se auto intitula eterna aprendiz de poeta.

otelicesoares@yahoo.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s