s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Araceli Sobreira Benevides
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Com paixo
com o que nos
falta:
a vida,
a liberdade,
o corpo,
a lngua,
o riso,
o carnaval.

Com paixo
com o que nos une:
o mximo, as paredes, a estrutura.

Com paixo
com o que nos corta:
a escolha, o massacre, a rotina.

Com paixo
com o que nos define:
o bordado, o toque, o sutil
a dor.

Com paixo
com o que nos cega:
a chuva,
a lgrima,
a verdade,

Com paixo
com o que nos divide:
a razo, o medo, a queda, o pecado, os filhos, a costela...

Com paixo
com o que nos eleva:
as flores, a seda, a estrada do bosque...

Com paixo
com o que nos faz ser:
a renda, a cama, o ventre.

Com paixo
com o que nos faz crer:
a palavra, o po, o milagre.

Com paixo
com o que no nos deixa viver:
o tdio, a ruga, as ruas, o fogo.

Com paixo
com o que nos explode:
a loucura, os monstros, o lobo mau, o tempo e o espelho...

Com paixo
com o que nos vivifica:
o mito, a f, o sangue.

Com paixo
com o que nos assusta:
a paixo, o esmalte vermelho,
o olhar profundo, expressivo, inesquecvel,
o perfil de um Deus grego,
a vida, o riso,
o carnaval, o vinho,
a carne, a ternura e a liberdade...

Coisas que s existem
em almas com muita paixo!

Em 25.03.06


Para as mulheres de pedra...

Cansei de ser pedra,
cansei de ser alicerce,
muralha, rocha...
coisa dura, que bate e volta;
que resiste.

Quero ser gua,
suave e delicada, livre,
transparente de alma, olhos,
sentimentos,
sem amarras, represa, nem margens.
Quero ser fluido, gota serena,
gua de cheiro,
onda sem espuma, crrego lmpido,
cascata em montanha!

Quero ser ar,
brisa frgil,,
sem corpo,
sem forma,
levante de areia.
Quero perder-me em vos plenos,
arremear-me em espaos livres,
cu aberto...
ser vento encanado!

Quero ser tudo,
menos fora, coragem, batalha!
Tambm no quero
piedade, nem ares de vtima.
Quero ser leve...
No menos que a folha seca.
Quero ser livre...
No menos que a fonte que jorra.

Cansei de ser forte;
procuro braos firmes para meu rosto encostar.

Cansei de ser rumo;
procuro caminhos novos para meus ps afora soltar

J fui rocha,
j fui intacta,
venci tormentas, terremotos,
vertigens.

Mas quero a paz de uma rajada
de vento,
quero a suavidade de um
fio d'gua
escorrendo,
em mim,
de mim,
por mim.

Quero ser vento,
quero ser gua
Cansei de ser pedra!

Por que amo ler - hoje

A palavra que vem do Outro...
A enorme procura.
A nsia de viver outras vidas,
de no ser eu mesma,
mas, ao mesmo tempo,
ser, sem ser a mesma...

Palavras outras, palavras minhas,
substanciadas em contedos
devorados, trocados,
sonhados, re-colhidos...

Um amor despertado em
pginas-mundos agitados,
removidos,
rememorados,
transportados para outra esfera,
que me trazem para o aqui,
o agora e o porvir, tambm.

Enxergar melhor o que em mim o mesmo,
o diferente, o disperso, o ausente, o silncio.
Em lendo, emergir na voz interna que grita:
'Corre, v, mundo afora...'
Embora esteja presa neste corpo que apenas gira a pgina.

Em lendo, transformar-me em tudo.
Embora os olhos se retraiam, mopes, cansados.
Outros olhos, no mais perdidos:
S brilho, encanto, mito.

E as palavras?
Lendo-as, torno-as minhas,
Recebo-as em pensar, em colheitas fartas,
Em compartilhar.
Escrevendo-as, retiro de mim o que me doaram.
De um jeito entraram,
de outro jeito saem: fluidas, mgicas, plurais em tom, rimas, canto e coro.

Lendo-as, relendo-as,
um amor eterno, juvenil,
antes mtico, hoje .

Devorar o mundo das letras,
Sendo voraz nessa fome sem fim: ler, ler, ler!

Em 14 de maio de 2005.

biografia:
Araceli Sobreira Benevides

Poeta desde menina, Araceli uma apaixonada pela poesia e pelo mundo das palavras. Nasceu em So Paulo, mas com 16 anos foi morar primeiro Juazeiro do Norte, depois em Fortaleza,no Cear onde formou-se em Letras. Em seguida, mudou-se para Mossor, RN onde morou por 4 anos e meio. Ingressou como professora de Literatura e Lngua Portuguesa na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Desenvolvendo atividades no campo da formao de leitores [alunos e professores], Araceli hoje mora em Natal. Publicou, em 2006, o livro de poesias 'O Chamado - ou um cntico para a liberdade e outras poesias' pela Editora Scortecci e est concluindo um livro de contos para ser publicado ainda em 2008. Casada com Jaime Benevides - grande parceiro, me de trs meninos, vive rodeada de livros, flores e poesia.

araceli@digi.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s