s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Ronaldo Werneck [Cnsul - Cataguases-MG]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
PRETO NU BRANCO

Tudo bem oculto
Sob as aparncias
De gua-forte simples:
De face, de flanco.
O preto no branco.
Manuel Bandeira

no leia
de arranco:
opresso
o poema:
eco
mas a poesia
salta
do branco
- ecco!

tato nas tetas
- e aproveite:

so
compassos
os pretos
dispersos
nu
branco
retretas
leite
submerso

DE CU E NUVEM

Poesia falar sozinho
Mrio Quintana

pois
:
do ocaso
de cu e nuvem
cada do acaso
vem
sem vu
vem
nuvem
pois
nuvem
peso
p poesia
pois um vo em vo que se desvela
e resvala
sentinela
inconstante
coisa
de momento
coisa
que cala
pois
poesia
um cantar pra dentro
um falar sozinho
coisa
que passa
p
fumaa
passarinho
coisa
que passa
que no se liga
mas cala baixinho
e fala
e fica

AGUARDE SUA VEZ

ah! era uma vez
aquela histria
que sempre demora
horas, ora-ora
dentro da memria

de que era uma vez
um pas: um dois trs
onde quem no come
no tem mesmo vez
s nmeros-nome
tanto faz tanto fez

fez no fez f fezes
do rabo das reses
do bumbum do pas
torcendo o nariz
h muito no sai
sal mingau ou sopa:
nada dali cai
nada vem da boca

um dois trs e tome
um dois trs e fome:
fome: trs dois um
e resta um segredo
qualquer, qualquer um
rerroer o dedo

outro, outro: quatro
e cinco e o sapato
j comido pelo
rato, um barato
um s pesadelo:
ns, sola e cadaro
reses e meninos
j, aqui, no lao
rodos, franzinos

ora, ora-veja
assim e seja
um pas, dois, trs
ah, essa no vez
era uma vez: ah!

biografia:
Ronaldo Werneck

Poeta e jornalista, crtico de artes e cronista, Ronaldo Werneck nasceu em 23.10.1943 em Cataguases, Estado de Minas Gerais, Brasil. Co-editor/fundador de O Muro [1962], SLD [1968], Totem [1974] e Cataguarte [anos 80/90], jornais do movimento de renovao/experimentao literria de Cataguases. Nos anos 60, integrou o grupo do Poema Processo e foi um dos organizadores do Festival Audiovisual de Cataguases [msica & poemas visuais] em suas duas verses [1969-1970]. Morou por mais de trinta anos no Rio de Janeiro. De volta sua terra em 1998, passa a assinar a coluna de crnicas 'H Controvrsias', no jornal 'Cataguases'e no jornal 'Liberal', de Cabo Verde. Atualmente, Diretor de Comunicao do CINEPORT- Festival de Cinema de Pases de Lngua Portuguesa. Editou cinco livros de poemas-solo, 'Selva Selvaggia' [1976], 'Pomba Poema' [1977], 'minas em mim e o mar esse trem azul' [1999], 'Ronaldo Werneck revisita Selvaggia' [2005] e 'Noite Americana/Doris Day by Night' [2006]. Em 2001, gravou em show ao vivo o cd 'Dentro & Fora da Melodia - Que papo esse, poeta?'. Em 1997, lanou 'Cataguases Cachoeira', homenagem aos 100 anos do cineasta Humberto Mauro. Est para lanar novo livro poemas, 'Minerar Nu Branco', e um novo e longo ensaio sobre Humberto Mauro: 'Kiryri Rendua Toribca Op'.

roneck@ronaldowerneck.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s