s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Luiz Carlos Lemos
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Coletivo

No sou.
Somos
poetas do mundo.

E assim vivo
O coletivo
Mais profundo!

No quero.
Queremos
O verso alm-fronteira.

palavra
de boa lavra
No h barreira!

No vou.
Vamos!
E marcha homognea!

Nas estradas,
De mos dadas,
Data vnia!

Seja o mundo
pequeno,
nossa voz!

Porque no fui eu
quem renasceu:
fomos ns!

***************************

Quase Poesia

Eu,
quando escrevo este verso,
no sou poeta,

sou quase!

Meu verso,
quando o escrevo,
no Poesia,

m℮tade!

Poesia,
toda, completa
e quando se encontram
- e se casam -

o meu e o teu sentimentos!

Escrevendo,
construo a ponte.
Lendo,
tu passas por ela.

Poesia somos ns dois!

**************************

Mulher

Mulher,
meu verso, solitrio, te procura.
carente, ardente, sensitivo.

E nessa busca,
com espanto, com ternura,
descobre, de repente, que est vivo!...

Mulher,
meu verso te encontra, docemente,
um presente para a alma inquieta.

E nesse encontro,
esto vivos, finalmente,
o meu verso... e o teu poeta!...

Mulher,
meu verso, embevecido, te agradece,
pois que teu nome agora 'Alegria'

De ser, neste momento, um ser que cresce.
E se no fosse por ti,
eu no seria!...

**********************

biografia:

Luiz Carlos Lemos
[ Compadre Lemos ] mineiro de Tefilo Otoni, nasceu a 14 de janeiro de 1954 - est com 54 anos, hoje - e desde os nove anos de idade descobriu sua paixo pela Literatura de Cordel.
Esta descoberta se deu, segundo ele, quando 'Seu Geraldo Capoteiro', - Geraldo Lemos dos Santos, seu pai - deu-lhe de presente o folheto 'Brosog, Milito e o Diabo' de Patativa do Assar.
De sua me, Dona Joanita Pereira dos Santos - Dona Nita -, ele herdou o gosto pela Msica Popular e pela Poesia, de uma maneira geral.
Em 1.975 o Compadre Lemos ingressou no Banco do Brasil, onde trabalhou at se aposentar, em 2.005, por motivos relacionados sade.
Hoje ele reside em Juiz de Fora - Minas Gerais, com a famlia, esposa e duas filhas.
O Compadre Lemos escreve contos, poemas e Folhetos de Cordel 'desde sempre', como ele mesmo diz. autor dos seguintes trabalhos:

Patativa do Assar, a Voz Que Ainda Canta o Serto, [Cordel]
Minha Mul - O Depoimento de um Marido Apaixonado, [Cordel]
Novos Tempos - O Cordel na Internet, [Cordel]
A Casa de Z Limeira, [Cordel]
O Orgulho de Ser Negro, [Cordel]
O Livro do Primeiro Festiverso [ Cordel, em conjunto com mais 31 poetas ],
O Dia da Caa - [ contos ]
Nh Lua - [ contos ]
Vocao - A Saga de Sivirinin [ contos ]
Quase Poesia - Poemas,
Translcida Treva - Poemas
O Fim do Fim - Poemas
Recomeos - Poemas

Alm disso, publica trabalhos [ repentes ] diariamente na Internet, em todas as Comunidades de Literatura de Cordel.

Sendo um batalhador na defesa desse Gnero Literrio, presta servios gratuitos a Comunidades e ajuda poetas iniciantes, com extrema boa vontade.

Que Deus o conserve assim, para a nossa alegria e o bem da Literatura de Cordel.

Texto de AGP

agepe33@oi.com.br

luzcar@oi.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s