s
s
s
s
s
s

El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player

Pedro Benjamin Carvalho e Silva Garcia [Cnsul - Gvea-RJ-RJ]
Nacionalidad:
Brasil
E-mail:
Biografia
Beringelas

As beringelas esto alinhadas.
Prontas para o consumo?
No. Esto simplesmente alinhadas na cor que as particulariza.
Observo a passividade delas exposta na mesa da cozinha. No resistem faca nem ao forno que as queima. E no entanto, curioso!, no sofrem. Aguardam sem ar de estoicismo o que as espera. E proliferam. Amo as beringelas porque so, sem tirar nem pr, expostas ao ser, enfrentando o corte e a chama sem herosmo.

Pedro Garcia

GANSOS

quando um ganso bate asas
faz-se um vcuo em v
um v que aponta o caminho

se sai da formao
sente-se s
e retorna

quando cansa
vai para retaguarda e um outro
assume o seu lugar

quando ferido
dois gansos saem da formao
para proteg-lo
e ficam com ele at que esteja apto a voar ou morra
aps o que retornam formao originria
ou outra

os gansos grasnam para incentivar
o que aponta o caminho

observando os gansos aprendi a voar

Pedro Garcia


uma duas trs quatro cinco seis sete

para Charles Mingus


uma pessoa
no s
magntica disperso
fuso dilacerada feito folhetim
fortim inexpugnvel
pungente desamor
atrao por lees e canrios
uma pessoa
se transformada em peixe
migra para paragens claras

duas pessoas no so s
magnetismos
disperses fuses efuses
e/ou coraes dilacerados
folhetins agudos
fortins inexpugnveis
desamores pungentes
atraes por lees e canrios
desamor aos florentinos
filatelias desfalcadas
duas pessoas
se transformadas em peixes
se dispersam

trs pessoas no so apenas tringulo amoroso
expropriado
num imenso moinho com rodas e magnetismos
disperses fuses efuses
coraes dilacerados quando o dois quando o trs
quando o um
trs pessoas
se transformadas em peixes
se arrebatam no nado

quatro pessoas no so s revelaes anunciadas
so mais
so desesperadas
nas traies e nos magnetismos
nos coraes plurais
nos folhetins plidos
nos amores diversificados
quatro pessoas
se transformadas em peixes
se dilaceram

cinco pessoas
divertidas e amveis
so mais e muito mais
que mltiplos magnetismos desencontrados
cinco pessoas
se peixes
se transformam em cardume

seis pessoas se diluem
as rodas desaparecem
os coraes amortecem
se transformadas em peixes
o mar as encobre
se sete pessoas o mistrio se renova:
os candelabros se acendem
os coraes incendeiam
as feras danam
as horas se desesperam
&
nem Mingus as arrebata
mas
se em peixes transformadas
arrebatam o mar

Pedro Garcia

BIOGRAFIA
Pedro Benjamim Carvalho e Silva Garcia


Formado em Filosofia pelo Instituto de Filosofia e Cincias Sociais da UFRJ; mestre em Educao pela PUC/RJ; doutor em Antropologia Social [Museu Nacional/UFRJ].



Atividades atuais

Professor do Curso de Ps-Graduao da Faculdade de Educao da Universidade Catlica de Petrpolis.

Pesquisador do CNPq.

Coordenador, juntamente com Hamilton Faria, da Rede Mundial de Artistas da Aliana por um Mundo Responsvel, Plural e Solidrio.

Pesquisador do Laboratrio do Imaginrio Social e Educao [LISE] da UFRJ.



Livros e artigos publicados a partir de l993

Livros
GARCIA, Pedro. 360 Poesia Reunida. Rio de Janeiro: Dupla Design, 2005.
GARCIA, Pedro. At quando?. Observatrio de Favelas, Rio de Janeiro, 2005.
GARCIA, Pedro e Faria, Hamilton. Re-enchanting the world the role of art in reconstructing the world, Pipal Tree, Bangalore, ndia, 2003.
GARCIA, Pedro e Faria, Hamilton. Arte e identidade cultural na construo de um mundo solidrio, Cadernos de Proposies. So Paulo: Plis, 2002.
GARCIA, Pedro e DAUSTER, Tania [orgs.]. Teia de autores. Belo Horizonte: Autntica, 2000. Prmio Altamente Recomendvel, Fundao Nacional do Livro Infantil e Juvenil, 2000.
GARCIA, Pedro. Viagem Norte. 2 ed. Florianpolis: Oficinas de Arte, Centro Integrado de Cultura, Fundao Catarinense de Cultura, 2000.
GARCIA, Pedro. Sobre nomes. Florianpolis:Athanor, 1998.
GARCIA, Pedro. 360 [poesa reunida]. Mxico: Consejo Nacional para la Cultura y las Artes, Prctica Mortal, 1997.
GARCIA, Pedro & PELLEGRINO, Pedro. Trinta e quatro poemas dois pedros. Rio de Janeiro: Seis, l996.
GARCIA, Pedro. Flechas & Flechas. Rio de Janeiro: Impresses Brasil, l995.
GARCIA, Pedro. O pndulo das ideologias [org.]. Rio de Janeiro: Relume Dumar, l994.
GARCIA, Pedro. Paradigmas em crise e a Educao. In: ZAIA, Brando [org.]. A crise dos paradigmas e a Educao. So Paulo: Cortez, l994.
GARCIA, Pedro. A inveno do tempo. Florianpolis: Letras Contemporneas, l993.
GARCIA, Pedro. Escadas improvveis. Rio de Janeiro: Seis, l993.


Artigos
GARCIA, Pedro. Imaginrio e Educao. In: AZEVEDO, Nyrma Souza Nunes [org.]. Imaginrio e Educao. Campinas: Alnea, 2006.
GARCIA, Pedro. Eu, o outro. In: SILVA, Jailson de Souza & BARBOSA, Jorge Luiz. Favela Alegria e dor na Reunida. Rio de Janeiro: SENAC, 2005.
GARCIA, Pedro Benjamim. Crculo de leitura: identidade e formao do leitor em processo de alfabetizao. In: YUNES, Eliana & OSWALD, Maria Luiza [orgs.]. A experincia da leitura. So Paulo: Loyola, 2003.
GARCIA, Pedro. Educao popular: a poesia como proposta. In: Nuevamerica, n. 97, maro de 2003, p. 68-72.
GARCIA, Pedro & FARIA, Hamilton. Arte e identidade cultural na construo de um mundo solidrio. In: Cadernos de Proposies para o Sculo XXI. So Paulo: Instituto Plis, 2002. 107 p.
GARCIA, Pedro & FARIA, Hamilton. Arte e identidade cultural na construo de um mundo solidrio. In: O reencantamento do mundo. So Paulo: Plis, n. 41, 2002. p. 107-140.
GARCIA, Pedro Benjamim. Abebe: a criao de novos valores na Educao. In: Sementes [Caderno de Pesquisa]. Salvador: Universidade do Estado da Bahia [UNEB]. v. 2, n. 3 e 4, jan./dez., 2001.
GARCIA, Pedro e FARIA, Hamilton. Arte e identidade cultural na construo de um mundo solidrio. In: Sementes [Caderno de Pesquisa]. Salvador: Universidade do Estado da Bahia [UNEB]. v. 2, n. 3 e 4, jan./dez., 2001.
GARCIA, Pedro A construo da leitura e da escrita: um processo contnuo. In: Educao de Jovens e Adultos [Caminhos e Perspectivas]. Rio de Janeiro: Fundao Darcy Ribeiro, 2001.
GARCIA, Pedro. Uma experincia de formao de leitores, com camadas populares, atravs de rodas de leitura. In: VERA Masago [org.]. Educao de Jovens e Adultos novos leitores, novas leituras. Campinas: Mercado de Letras, 2001.
GARCIA, Pedro. Arte como reencantamento do mundo. Rio de Janeiro: Tempo e Presena, ano 22, janeiro/fevereiro de 2000.
GARCIA, Pedro. Severino e severinos anotaes sobre o um e o mltiplo na construo da identidade. In: Nuevamerica, n. 82, junho, 1999.
GARCIA, Pedro. Poesia como reencantamento do mundo. In: Leitura: Teoria e Prtica. Campinas: ALB, ano 17, n. 32, dezembro, 1998.
GARCIA, Pedro; DAUSTER, Tania; LUTGARDA, Maria Mata. Prticas de Leitura: Escola e Centro de Lazer. In: Leitura: Teoria & Prtica. Campinas: ALB & Mercado Aberto, ano 15, n. 28, dezembro, 1996.
GARCIA, Pedro. Paradigmas em crise e a Educao. In: BRANDO, Zaia [org.]. A crise dos paradigmas e a Educao. So Paulo: Cortez, 1994.
GARCIA, Pedro. Libertao como plano e sonho de Deus e de homens uma experincia de educao popular em rea rural. In: Cadernos de Educao Popular. Petrpolis: Vozes, n. 21, 1993.


Outras publicaes

Participou da coletnea: Poesia Contempornea em Santa Catarina. Florianpolis: Garapuvu, 2003.
GARCIA, Pedro & FARIA, Hamilton [orgs.]. O reencantamento do mundo. In: Polis. So Paulo, 2002, n. 41.
Participou da antologia Naturaleza, organizada por Leda e Hans Hhne. Rio de Janeiro: Uap, 2000.
Participou da antologia Ilhada, organizada por Rodrigo de Haro. ed. Bilnge [portugus/espanhol]. Florianpolis: Fundao Franklin Cascaes, l995.
Editor de Alfabetizao e cidadania. Rio de Janeiro: Rede de Apoio Ao Alfabetizadora do Brasil [RAAAB], n. l [l994] e 2 [l995].


Conselho Editorial
Membro do conselho editorial da revista Sementes [Cadernos de Pesquisa]. Salvador: Universidade do Estado da Bahia [UNEB].
Membro do conselho editorial da revista Teias. Rio de Janeiro: Faculdade de Educao da Universidade do Estado do Rio de Janeiro [UERJ].
Membro do conselho editorial do Museu/Arquivo da Poesia Manuscrita, coordenado por Iaponan Soares de Arajo, sediado em Florianpolis, SC.


Pesquisas
- Coordenador da pesquisa LITERATURA E IDENTIDADE: RODAS DE LEITURA COM CRIANAS E ADOLESCENTES DAS CAMADAS POPULARES. Curso de Mestrado da Universidade Catlica de Petrpolis [UCP], com apoio do CNPq, desde maro de 2005.

- Coordenador da pesquisa POR UMA PEDAGOGIA DA LEITURA [FORMAO DE LEITORES ATRAVS DE RODAS DE LEITURA]. Laboratrio do Imaginrio Social e Educao [LISE], UFRJ, com apoio do CNPq, de 2002 a 2005.

- Coordenador da pesquisa POESIA E PROSA NA ESCOLA: FORMAO DO PROFESSOR LEITOR ATRAVS DE RODAS DE LEITURA. Laboratrio do Imaginrio Social e Educao [LISE], UFRJ, com apoio do CNPq, de 2000 a 2002.

- Coordenador da pesquisa REORDENAO DE LINGUAGENS E FORMAO DO LEITOR, juntamente com a professora pesquisadora Dra. Tania Dauster, do Departamento de Educao da PUC/Rio, com o apoio do CNPq, de 1997 a 2000.

- Coordenador da pesquisa O PAPEL DA ESCOLA NA FORMAO DO LEITOR - LIMITES E POSSIBILIDADES, juntamente com a professora pesquisadora Dra. Tania Dauster, do Departamento de Educao da PUC/RJ, de l995 a 1997, com o apoio do CNPq.

- Coordenador da pesquisa COTIDIANO, PRTICAS SOCIAIS E VALORES NOS SETORES POPULARES URBANOS - A DIFUSO DIFERENCIAL DA ESCRITA E DA LEITURA E O SIGNIFICADO DA IMAGEM ENTRE OS JOVENS, juntamente com as professoras pesquisadoras Dras. Tania Dauster e Maria Lutgarda Mata, do Departamento de Educao da PUC/RJ, de l992 a l994, com o apoio do CNPq.



Extenso-
Coordenador das rodas de poesia do Frum de Cincia e Cultura da UFRJ. Novembro e dezembro de 2002.

- Coordenador do curso O imaginrio em suas mltiplas dimenses, no Frum de Cincia e Cultura da UFRJ, 2001.

- Oficina de Leitura para professores do Programa de Alfabetizao Solidria. Petrpolis, 1997.

- Superviso das classes de alfabetizao no municpio de Olho dgua Grande. Programa de Alfabetizao Solidria, Alagoas, 1997.

- Coordenador da Roda de Leitura do Curso Supletivo do Colgio Sto. Incio, RJ, 1996/97.

- Coordenao do Curso de Aperfeioamento para Professores da Rocinha. Centro Comunitrio da Rua 2. Rio de Janeiro, 1996.

- Coordenador do Curso de Formao de Alfabetizadores da Rocinha, promovido pelo Departamento de Educao da PUC/Rio, 1991.



Consultoria e Assessoria
- Consultor ad hoc da CAPES e do CNPq.

- Assessor tcnico-cientfico da FAPERJ.

- Assessoria ao Centro Comunitrio da Rua 2 [Rocinha, RJ], por indicao da Agncia de Cooperao Internacional Po para o Mundo, atravs da ELO/SP, em 1999.

- Parecerista ad hoc dos trabalhos do Grupo de Estudo [GE] Educao de Pessoas Jovens e Adultas, da ANPED, em 1998 e 1999.

- Consultor do projeto Novos desafios da Capacitao, da FESP, RJ, durante todo o ano de 1998.

- Assessor, no perodo de abril a setembro de 1996, da equipe de pesquisa que desenvolveu o projeto Elementos para uma Avaliao Diagnstica de Nveis e Contedos de Alfabetismo Adulto: Contribuies para a Ao Pedaggica, elaborado em convnio com o Programa das Naes Unidas para o Desenvolvimento [PNUD] e o Ministrio da Educao.

- Avaliao do Projeto de Educao em rea indgena do Centro de Trabalho Indigenista [CTI], por solicitao da Norwegian Rainforest Foundation, RJ, 1996.



Participao em eventos internacionais [a partir de 1996]
Mediou a fala do professor Roger Chartier, O passado no presente. Literatura, Memria, Histria, no colquio internacional: Roger Chartier Apropriaes de um pensamento no Brasil, na UFRJ, em 15 de setembro de 2005.
Apresentou trabalho no VIII Congreso Internacional Historia de la Cultura Escrita, realizado na Universidade de Alcal, em Alcal de Henares, Espanha, de 5 a 8 de julho de 2005.
Mesa-redonda: O reencantamento do mundo, o artista e as responsabilidades humanas. Frum Social Mundial, Porto Alegre: 29 de janeiro de 2005.
Animador do evento Potica do reencantamento, recital de poesia coordenado por mim e pelo poeta Hamilton Faria no Frum Social Mundial, Porto Alegre: 28 de janeiro de 2005.
Participou da Mesa Redonda Cultura Cientfica e Cultura Popular, no II Congresso Mundial de Educao Ambiental, patrocinado pela FIOCRUZ e pela Academia Brasileira de Cincias. Rio de Janeiro: 17 de setembro de 2004.
Participou, com apresentao de trabalho, no 7 Congreso Internacional de Promocin de la Lectura y el Libro.Buenos Aires: 7 a 9 de maio de 2004.
Participou, como coordenador da Rede Mundial dos Artistas em Aliana, da reunio para debater a Synthse du projet 2003-2010 de la fondation Charles Lopold Mayer pour le Progrs de lHomme. Paris: 14 a 16 de outubro de 2003.
Participou da mesa redonda Arte, incluso social e cultura da paz, no Frum Social Mundial. Porto Alegre: 23 a 28 de janeiro de 2003.
Participou da mesa redonda Por que escrever?, no Frum Social Mundial. Porto Alegre: 23 a 28 de janeiro de 2003.
Participou da Caravane artistique en rgions de conflits, em Israel e na Palestina, durante o perodo de 26 de novembro a 10 de dezembro de 2002, pela Rseau Mondial des Artistes en Alliance, patrocinada pela Fondation Charles Lopold Mayer pour le Progrs de lHomme, sediada em Paris.
Participou da Assemble Mondiale de Citoyens, Lille, Frana, de 1 a 11 de dezembro de 2001.
Participou do Encuentro Internacional Educacin por un Mundo Responsable, Plural y Solidario, organizado pela Confederacin de Trabajadores de la Educacin de la Repblica Argentina. Buenos Aires: 12 e 13 de junho de 2001.
Coordenou, juntamente com Hamilton Faria, o seminrio internacional Arte e Identidade Cultural na Construo de um Mundo Solidrio, promovido pela Fundao Charles Lopold Mayer para o Progresso do Homem, Paris, entre os dias 29 de abril a 03 de maio. Itapecerica da Serra: 2001.
Participou da Reunio Preparatria do Encontro das Amricas, promovida pela Aliana por um Mundo Responsvel, Plural e Solidrio. So Paulo: 2001.
Participou, apresentando trabalho em mesa-redonda, do Simpsio Internacional Transdisciplinar de Leitura, promovido pelo SESC/Rio, PUC/Rio e Leia Brasil, nos dias 4, 5 e 6 de setembro de 2000.
Apresentao de trabalho no III Congresso Luso-Brasileiro de Histria da Educao, Coimbra: 23 a 26 de fevereiro de 2000.
Conferncia no Seminrio II do Curso de Doutorado Pedagogia Social i Poltiques Socials da Universidade de Barcelona. Barcelona: 1999.
Conferncia: Literatura y subjetividad. La formacin del lector en setores populares, Universidade de Barcelona. Barcelona:1999.
Coordenador de uma das oficinas do seminrio internacional Imagem, Cultura e Educao, patrocinado pelo Frum de Cincia e Cultura da UFRJ, UNESCO, CNPq, FUJB, FAPERJ, RIOARTE, Associao Educativa Roquettte-Pinto, 1998.
Trabalho apresentado em no 1 Congresso Luso-Brasileiro de Histria da Educao. Lisboa: Fundao Calouste Gulbenkian, 1996.


Prmios, medalha e meno honrosa

Medalha concedida, em abril de 2007, pela Acadmie des Arts, Sciences et Lettres, com sede em Paris, por trabalhos relevantes prestados cultura.
Medalha de mrito, concedida pela Comisso Estadual para a Celebrao do Centenrio de Morte de Cruz e Souza, pelo estudo e divulgao da obra deste poeta, 2002.
Prmio concedido pela Fundao Nacional do Livro Infantil e Juvenil [seo brasileira do IBBY], Altamente recomendvel, pelo livro Teia de Autores. Belo Horizonte: Autntica, 2000.
Meno honrosa concedida pela Secretaria da Educao do Paran, a Ouvidoria do Estado e o Instituto Internacional para o Desenvolvimento, pelo trabalho educativo desenvolvido em Faxinal do Cu, 1999.

Prmio Virglio Varzea, concedido ao livro de poesia ndice de Percurso, pelo Centro Integrado de Cultura de Santa Catarina, 1982.
Premiado, em primeiro lugar, no concurso literrio promovido pela Universidade Federal de Santa Catarina, pelo livro Ilha Submersa, 1977.

OBS.: Deixo de mencionar a participao em palestras, seminrios, cursos, mesas-redondas e comisses examinadoras de concursos pblicos, alm de bancas de mestrado e doutorado em vrias universidades do pas.


pedrogarcia@terra.com.br

 

Desarrollado por: Asesorias Web
s
s
s
s
s
s